Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Tag: Trabalho (page 1 of 2)

Seja nos estudos ou no trabalho, existem diversas atitudes que prejudicam a produtividade

Para um aumento de produtividade é preciso agir de maneira inteligente, não necessariamente de forma mais pesada e exaustiva. Alcançar os objetivos diários dentro dos prazos estipulados já é difícil, e pode se tornar impossível quando é adquirido maus hábitos que atrapalham diretamente a produtividade.

businesswoman-2253616_960_720

O nível de produtividade está diretamente ligado aos hábitos que são cultivados diariamente. Desde as tarefas mais simples às mais complexas são afetadas pela falta de foco e concentração. Por isso é importante saber quais são os maus hábitos e como os barrar para aumentar a produtividade, seja no trabalho ou nos estudos.

É natural a pessoa ter uma queda na produtividade depois de fazer a mesma tarefa durante 90 a 120 minutos, isso porque afeta diretamente o ciclo ultradiano, que faz com que o corpo saia do estado de alerta e fique sonolento. O ideal nessa situação é fazer uma pausa e recarregar as energias, até porque é impossível combater o cansaço mental trabalhando ainda mais.

As redes sociais são importantes nos dias atuais, mas também podem ser um risco para a produtividade. Isso porque, checar a cada minuto causa uma distração e perda minutos ou até horas preciosas do dia. Não é preciso ser radical e não olhar, mas tente checar somente uma ou duas vezes ao dia, dessa forma a produtividade vai aumentar, e assim entregar todas as tarefas no prazo.

O email também pode ser um problema, muita gente gasta tempo checando a conta a cada minuto, e isso também retarda a produtividade. Separe três momentos do dia para verificar a caixa de entrada e só acesse nos horários determinados. Há não ser que esteja esperando uma mensagem importante.

Evite deixar de fazer suas coisas para resolver problemas de outras pessoas, isso compromete a produtividade. Priorize suas tarefas e saiba a hora que pode ou não ajudar outra pessoa. O planejamento diário é essencial para uma boa produtividade, e lembre-se que nada é perfeito e que às vezes nem tudo sai como planejado.

Atualmente as pessoas acabam fazendo muitas coisas ao mesmo tempo, o conhecido multitarefas. Essa cultura não é muito eficiente, pois a maioria das pessoas que fazem diversas coisas ao mesmo tempo pode acabar não se saindo muito bem em nenhuma delas. A dica é concentrar-se em apenas uma e automaticamente aumentar a produtividade.

Escrito por: Jacqueline Gonçalo

Alta remuneração e motivação: a busca do equilíbrio em uma empresa

A motivação no ambiente de trabalho, que por vários fatores pode se mostrar desgastante, precisa ser uma constante, e muitas empresas acreditam que apenas a alta remuneração é suficiente para manter os funcionários sempre motivados. Porém, quem conhece gestão de pessoas a fundo sabe: somente isso não pode ser suficiente a longo e médio prazo.

remuneração e motivação

Mesmo que com a recompensa financeira haja melhoria comportamental e profissional, esta mudança pode ser passageira devido ao fato de que o estímulo precisa ser repetido para que a motivação seja mantida, ou seja, será necessário mais dinheiro. Para não cair nesse “loop” errôneo, as empresas precisam oferecer oportunidades de crescimento que permitam a conciliação entre vida pessoal e profissional dos funcionários, além de fatores que vão além do aumento salarial.

Em muitos departamentos de RH, a questão da remuneração é apenas um elemento. O que os empregados buscam é um lugar em que eles sintam que há uma razão para que eles trabalhem ali e entendam sua real importância na complexa engrenagem dos negócios. Seria muito mais fácil para a área de recursos humanos se a imagem de bom lugar de trabalho fosse aquele que oferecesse rios de dinheiro. Nesse caso, era só desenhar um pacote de remuneração mais atraente. Porém, a questão vai além disso.

Como motivar uma equipe?

Para atingir um elevado grau de satisfação do time, é preciso ir além das ferramentas básicas e dos velhos conceitos de motivação. Motivar colaboradores é uma atividade diária que requer habilidades de um profissional capacitado em gerir equipes. O colaborador deve ser tratado de maneira individual, pois cada um tem talentos, anseios e expectativas perante a carreira e a vida pessoal. É importante que eles saibam dos resultados de suas ações, sendo positivas ou não. O feedback é essencial para desenvolver a equipe. E, quando possível, faça elogios publicamente, pois isso estimula os profissionais a buscarem sempre bons resultados. Além disso, cada colaborador deve sentir-se parte importante para a empresa em que trabalha. Envolva-os nos projetos, defina o que e como cada um pode contribuir. Tudo isso são elementos que podem ajudar, e muito, em uma motivação de qualidade.

Escrito por: Jacqueline Gonçales

Assédio moral no trabalho

Assédio moral no trabalho. Talvez você nunca tenha passado por isso, mas certamente já presenciou o fato ou ficou sabendo de alguém que enfrentou o problema.

Assédio moral no trabalho

Primeiramente precisamos entender o que é tratado como assédio moral, não confundam com assédio sexual que é outro problema, mas com características diferentes.

Assédio moral é quando o trabalhador(a) é exposto a situações que de certa forma o humilham ou causam constrangimento durante as suas atividades no trabalho. Esse constrangimento ocorre com frequência e tende a ocasionar a desistência do emprego por parte do trabalhador por não suportar tanta humilhação. Geralmente esses casos acontecem em estruturas hierárquicas onde o superior usa de sua autoridade para constranger o subordinado, mas não necessariamente é uma regra.

O constrangimento ou humilhação geralmente acontece em frente à outras pessoas que trabalham no mesmo setor ou empresa deixando a pessoa totalmente desestabilizada e ridicularizada na frente de seus colegas.

O assédio moral pode ocorrer por algum motivo específico, mas também pode ser um vício do superior imediato que acredita que pode falar o que quiser e na hora que quiser coisas que humilham o funcionário. Como chamar a atenção por ter cometido um erro, por exemplo, fazendo isso de maneira grosseira em frente aos colegas de trabalho.

Se o problema aconteceu apenas uma vez como fato isolado isso não é motivo para ser considerado como assédio moral no trabalho, mas se acontece com frequência então é preciso tomar uma atitude. Se existem testemunhas peça a ajuda e denuncie ao sindicato ou diretamente à justiça do trabalho.

Esses caso só diminuirão se quem sofre assédio moral fazer a denúncia, geralmente a pessoa prefere deixar o emprego por medo de ficar com a “ficha suja” e não conseguir emprego em outra empresa por ter feito uma denúncia. No entanto, essa prática de falar mal de um ex-empregado para outra empresa também é uma atitude que pode ser denunciada à justiça do trabalho.

6 dicas para encontrar emprego nas redes sociais

Se você segue usando as redes sociais apenas para saber de seus amigos e familiares, está perdendo uma grande oportunidade. Aproveite todo o potencial da internet para ampliar sua rede de contatos e buscar novos rumos profissionais.

Mas, atenção. Mais que estar nas redes sociais, você precisa cuidar de seus perfis. Aqui te damos 6 dicas para que não meter os pés pelas mãos e alcançar seu objetivo!

6 dicas para encontrar emprego nas redes sociais

1- Complete seu perfil. De nada adianta manter um perfil em determina rede social se o recrutador não consegue saber nada sobre você. Informe seus dados pessoais como nacionalidade, profissão, idade e e-mail de contato. Muito importante: todas as suas redes sociais devem estar em sintonia! Cuidado para manter a coerência entre as informações que constam em seus vários perfis e em seu currículo vitae. Não vá dizer em uma que é especialista em redes sociais, e em outra que

2- Capriche na foto. Prefira uma foto de perfil que pareça profissional e mostre bem seu rosto. Se for possível, busque um fotógrafo para fazer a sua do LinkedIn. Mesmo em redes como o Facebook, evite publicar fotos comprometedoras ou restrinja sua privacidade.

3- Faça uma limpeza no mural. Revise suas publicações em Facebook e Twitter e apague aquelas que possam ter um conteúdo agressivo, de cunho político ou – imagine! – falando mal de antigos chefes ou da empresa na qual você quer trabalhar. Ah! Não se esqueça de corrigir os erros gramaticais que possa ter cometido.

4- Produza conteúdo. Neste oceano de gente qualificada, você precisa mostrar seu conhecimento e se destacar. Se não quer ter seu próprio blog, opte por plataformas simples e eficientes como o Producer, do beBee, ou o Pulse, do LinkedIn. Ali seus textos terão visibilidade instantânea.

5- Use e abuse de palavras-chave. Observe nas redes sociais quais são as principais palavras relacionadas à profissão que você está buscando. Você pode analisar o perfil dos demais profissionais do setor. Certifique-se de incluí-las em seu perfil e de publicar conteúdo com este vocabulário. Você terá mais chances de ser encontrado pelos filtros dos headhunters.

6- Mexa-se! Entre em grupos profissionais no LinkedIn e colmeias no beBee. Procure as oportunidades disponíveis e se candidate. Mas, vá além e aproveite o melhor das redes sociais: faça contato com representantes de empresas que você admira, profissionais de recursos humanos e headhunters. A chave é fazer networking!

Texto disponibilizado por http://www.bebee.com/

A falta de tempo em nossa vida

Como lidar com a falta de tempo em nossa vida?

A falta de tempo é uma reclamação que ouvimos com frequência em nosso dia a dia. Não tenho tempo para ler, não tenho tempo para descansar, não tenho tempo para me envolver com projetos sociais, não posso viajar, não tenho tempo para dormir, etc.

A falta de tempo em nossa vida

A verdade é que todos nós independente de sermos classe média, classe alta ou até mesmo um chefe de estado, todos dispõem do mesmo tempo durante o dia, ou seja, vinte e quatro horas. O que muda é a maneira como cada um utiliza o seu tempo.

Vamos pegar o meu exemplo. Eu trabalho oito horas diariamente de segunda a sexta-feira tendo o horário dividido de maneira que alguns dias tenho folga no período da manhã e depois trabalho das 18 as 22h. Outro dia essa folga é no período da tarde. De qualquer forma entre sete da manhã e dez horas da noite eu terei que cumprir oito horas de trabalho. Além desse horário que estou no trabalho mantenho outras atividades, possuo um cargo na igreja que demanda de mim no mínimo quatro horas semanais, sou responsável por organizar reuniões mensais com meus colegas de trabalho, sou representante do sindicato no município e, além disso, ainda tenho tempo para ler livros, escrever e publicar livros. Também mantenho um blog com atualizações semanais. Tudo isso sem deixar de cumprir minhas tarefas como pai e esposo no dia-a-dia.

Muitas vezes as pessoas dizem que não tem tempo, mas isso não é verdade. Não tem tempo para ler um livro, mas passam horas na frente da TV. Não tem tempo para realizar o trabalho que lhe foi atribuído dentro do prazo, mas passa horas acessando redes sociais e olhando fofoca e notícias na internet.

Tudo é uma questão de foco e estabelecer metas. Se estou escrevendo um livro de 300 páginas e pretendo concluí-lo em 10 meses isso significa que tenho que obrigatoriamente escrever 30 páginas por mês, caso fique um mês sem escrever no mês seguinte terei que escrever 60 páginas. Dificilmente conseguirei cumprir o prazo fixado. Preciso estabelecer uma meta diária e semanal para não procrastinar o meu trabalho.

Quando estamos fazendo uma tarefa que exige concentração, como no caso de escrever um livro, o ideal é que não sejamos interrompidos, mas sabemos que isso é muito difícil de não acontecer. Porém, muitas vezes as interrupções são ocasionadas por nós mesmos. Se estou fazendo uma tarefa que não exige o acesso a internet, então é melhor nem abrirmos nosso navegador, pois ficaremos tentados a dar uma espiadinha nas notícias, verificar nossa caixa de e-mail a cada nova mensagem que chega e olhar as atualizações nas redes sociais. O ideal é que façamos isso apenas uma ou duas vezes ao dia em horário determinado.

Como já disse anteriormente todos nós temos o mesmo tempo disponível, a diferença está apenas na maneira como o utilizamos. O tempo perdido não pode ser recuperado, portanto, utilize-o da melhor maneira possível, ou jogará fora grande parte de sua vida.

Recomendo a leitura do livro: Faça o tempo trabalhar para você

O perfil do novo profissional

O perfil do novo profissional: saiba o que está sendo valorizado pelo mercado

Você sabe quais são os comportamentos valorizados pelas empresas atualmente? O mercado de trabalho evolui rápido e talvez você não consiga acompanhar quais são as exigências do momento.

Retração econômica. Tecnologia. Inovação. Consumidores pouco fiéis às marcas. Neste novo panorama, a necessidade das empresas é por um profissional ainda mais flexível e com mais capacidade de análise e decisão.

Neste post traçamos uma comparação entre o perfil do profissional desejado hoje pelo mercado e o trabalhador 2.0 que circulava pelas empresas até outro dia – já habituado a trabalhar em equipe e acostumado a ver a tecnologia inserida em sua rotina.

Confira na infografia a seguir, e logo abaixo explicamos melhor cada uma das características do novo profissional.

O perfil do novo profissional

COWORKING: O profissional contemporâneo não fica encerrado em salas de escritórios. Ele precisa observar o que está acontecendo em seu entorno e trocar ideias com pessoas que possam contribuir para seu trabalho. Estão na moda os espaços de coworking, que são mais amigáveis que os escritórios tradicionais e favorecem o networking. Saiba trabalhar com ruídos ao seu redor e use as “distrações” do ambiente para estimular sua criatividade.

NÔMADES DIGITAIS: Conhece essa expressão? Se refere aos profissionais que não tem residência fixa e que têm a possibilidade de trabalhar desde qualquer lugar que tenha conexão à Internet. Esta filosofia é ideal para quem trabalha, por exemplo, como blogueiro de viagem, designer, freelancer em geral ou profissionais da área de TI. Essas pessoas fazem de viajar o seu trabalho, ou conciliam seus trabalhos com conhecer o mundo!

ATITUDE: Ser proativo não significa mais que você tenha um diferencial em relação a outros profissionais. As empresas já partem do pressuposto de que você vai contribuir com novas ideias e sugestões de melhoria, e não simplesmente seguir o script sem questionar.  Atualmente, além de dar uma ideia, é preciso colocá-la em prática, acompanhar seu desenvolvimento e medir os resultados. O profissional atual tem iniciativa, atitude e trabalha com indicadores de desempenho.

CARREIRA: Sem paciência para esperar uma progressão vertical dentro do organograma de uma só empresa, o profissional vai trocando de emprego e ocupando novos cargos. A cada nova oportunidade, desenvolve novas habilidades e adquire experiência. É cada vez mais comum que o funcionário volte para a empresa inicial, porém ocupando uma posição muito mais superior, e em menos tempo do que se esperasse o curso natural das ascensões dentro da companhia.

ANÁLISE: Ter acesso à informação já não é mais um desafio. Além do Google, existem inúmeras fontes de dados brutos, como estudos, relatórios de institutos de pesquisa, ou até mesmo outro departamento que possa facilitar os números para você. A chave, agora, é analisar e interpretá-los de maneira estratégica. Traduzir esses dados em informação útil para a empresa.

PODER DE DECISÃO: Ainda é necessário ser rápido para reagir frente a situações críticas e importantes. Porém, hoje, o profissional médio tem cada vez mais capacidade para decidir sobre as tarefas que deve dar prioridade. Não é mais o chefe quem decide o que você deve fazer, quando e como. O trabalhador possui muito mais autonomia, e precisa saber responder a esta responsabilidade.

AUTO-APRENDIZAGEM: A capacitação formal – a que vem de cursos superiores ou de especialização – não é mais suficiente. O profissional é exigido a desenvolver tarefas novas a cada dia, e para isso precisa absorver novas competências. Esqueça os vários dias de treinamento, na maioria das vezes você terá que buscar fontes de consulta e aprender sozinho a desempenhar as novas atividades.

REINVENTAR-SE: Se as necessidades do consumidor mudam muito rápido, por que as empresas teriam que manter-se imutáveis? Seria um tiro no pé, não é mesmo? Portanto, com cada vez mais frequência as empresas mudam suas estratégias e até mesmo seu negócio. Além de ser flexível quanto às tarefas que é capaz de realizar, o profissional de sucesso tem que participar ativamente das transições, contribuir para novas mudanças e continuar perfeitamente integrado ao DNA da empresa.

IDIOMAS: Quem nunca colocou no currículo “conhecimento intermediário em inglês”? Pode parecer duro, mas, atualmente, isso não representa nada. Se você quer ter uma carreira de sucesso, tenha em mente que é preciso ter um domínio bastante consistente do idioma, e mais: conhecer a cultura do país, os hábitos de consumo, como as pessoas costumam fazer negócios ali, e até mesmo as datas comemorativas importantes para aquele povo.

MOBILIDADE: Você está acostumado a ter sua própria estação de trabalho, com seus arquivos gravados no “seu” computador da empresa? Esqueça isso. Utilizar serviços de armazenamento na nuvem é muito mais prático  e permite que você e seus colegas de trabalho possam  acessá-los de casa ou do celular, a qualquer momento. Aliás, acessar e-mails em qualquer hora do dia é uma característica do novo profissional.

Fonte do artigo: http://www.bebee.com/

Novo seguro-desemprego, veja o que mudou

Novas regras do seguro-desemprego já estão valendo. Você já sabe o que mudou?

Seguro-desemprego

Seguro-desemprego

Anteriormente a Medida Provisória que alterou o seguro-desemprego era muito fácil conseguir o benefício, bastava ter 6 meses de trabalho com carteira assinada para ter direito ao benefício. Muitos usavam de má fé e recebiam o benefício indevidamente, porém, com a nova regra isso não vai mais acontecer. No entanto, aqueles que realmente precisam do benefício terão bastante dificuldade para consegui-lo.

A partir do dia 28 de fevereiro de 2015, para ter direito ao primeiro benefício é preciso ter trabalho no mínimo 18 meses. Isso quer dizer que se você foi demitido quando tinha apenas 17 meses de trabalho não terá direito ao benefício.

Para ter direito ao segundo pedido agora é preciso trabalhar por no mínimo 12 meses e para um terceiro pedido é preciso trabalhar pelo menos 6 meses. Percebe-se que o mais difícil realmente é conseguir o primeiro benefício, por um lado vai reduzir os custos do Governo e por outro vai prejudicar quem realmente precisa.

No primeiro pedido o trabalhador terá direito a 4 parcelas se trabalhou entre 18  e 23 meses, ou cinco parcelas se trabalhou pelo menos 24 meses no período.

No segundo pedido o trabalhador terá direito a 4 parcelas se tiver trabalhado no mínimo 12 meses, caso tenha trabalhado pelo menos 24 meses terá direito a 5 parcelas.

No terceiro pedido o trabalhador terá direito a 3 parcelas pelo menos 6 meses, 4 parcelas se tiver trabalhado entre 12 e 23 meses, 5 parcelas se tiver trabalho no mínimo 24 meses.

Como podemos observar ficou bem mais difícil de conseguir o benefício, o melhor mesmo é torcer para não ser demitido sem justa causa. É melhor ter um salário ruim do que ficar desempregado sem receber seguro-desemprego.

O uso de smartphones no trabalho

o uso de smartphones no trabalho

Smartphones

Os aparelhos celulares e principalmente os smartphones são aparelhos que praticamente todos possuem hoje em dia. Alguns anos atrás era fácil de controlar o uso destes aparelhos durante o horário de trabalho, pois os celulares praticamente só faziam chamadas e enviavam mensagens. No entanto, atualmente os celulares e smartphones estão cada vez mais sofisticados, tiram fotos de alta resolução, gravam vídeos, acessam redes sociais, e-mails e até mesmo permitem realizar tarefas que antigamente só eram possíveis com um computador ou notebook.

Por este motivo ficou muito mais difícil controlar o uso destes aparelhos durante o trabalho. É claro que em algumas ocasiões é expressamente proibido utilizar qualquer tipo de aparelho celular durante o trabalho. Como exemplo as tarefas repetitivas que exigem a utilização das duas mãos e em processo contínuo. Mas em muitos casos o trabalho não é assim e sempre sobra um tempinho para dar uma espiada no que está acontecendo nas redes sociais. Algumas empresas proíbem até mesmo este tipo de uso, outras deixam a critério do funcionário.

Como os smartphones são conectados a internet e recebem atualizações constantes e o usuário vai ficar curioso para saber o que foi que chegou. Cabe a cada pessoa saber os limites para não prejudicar o rendimento do seu trabalho. Já imaginou se uma pessoa que recebe 100 mensagens por dia interrompesse seu trabalho para ler todas as mensagens, certamente seu supervisor ou gerente não vai gostar nenhum pouco disso.

A mesma coisa acontece com os sites da internet, mesmo que a empresa proíba o acesso através dos computadores os funcionários continuarão tendo acesso através dos smartphones, ou seja, fica muito difícil de controlar o que cada um está acessando. Novamente cabe a cada um saber os limites de uso, se você acessa um site para obter uma informação que lhe auxiliará no trabalho é uma coisa. No entanto, se você utiliza para acessar sites de fofoca ou entretenimento é outra totalmente diferente.

Se a empresa proibir o uso certamente que você vai ficar insatisfeito, então é melhor utilizar com cautela para não ser punido. Você pode utilizar na pausa para a água ou café, no intervalo para ir ao toalete, ou ainda no horário de almoço. Mas jamais faça isso durante uma reunião importante que dispensa totalmente o uso do smartphone. Se estiver recebendo uma ligação urgente avise seus superiores, assim você evita constrangimentos e não atrapalha o andamento do seu trabalho.

Transforme suas ideias em atitudes

Transforme suas ideias em atitudes

Tenha atitude

Ficar esperando as coisas caírem do céu não é uma boa ideia. Se você realmente almeja conseguir algum sucesso nesta vida é preciso de atitude, não apenas as ideias. Você pode ter um monte de ideias, mas é preciso colocá-las em prática, ou você nunca saberá se foi uma boa ou má ideia.

Se você pretende abrir uma empresa. Pesquise o mercado, verifique se existe demanda para o ramo que pretende entrar. Verifique se você tem capital de giro suficiente, qual será seu retorno sobre o investimento, ou seja, faça um plano de negócios antes de abrir a empresa. Assim você terá uma ideia de como será o faturamento da empresa e pode desistir antes mesmo de começar. Outra coisa, se você pretende abrir uma empresa para trabalhar menos, então pense bem, pois certamente você terá mais tarefas na empresa do que trabalhando de empregado e possivelmente vai trabalhar mais de 12 horas diariamente.

Se você pretende abrir uma empresa sem correr muito risco e possui capital para isso, então abra uma franquia. As franquias oferecem tudo pronto, desde o plano de negócios até o treinamento para os funcionários. As empresas que oferecem franquias já sabem previamente se o local que você escolheu comporta tal tipo de comércio. Portanto, a possibilidade de dar errado é bem menor do que abrir uma empresa por conta. No entanto, tudo isto custa caro, por isso é necessário ter o capital para pensar em abrir uma franquia.

Quer comprar um carro novo? Se você tem o dinheiro, vá à concessionária e compre, mas se não tem pense antes de fazer bobagem. Tem uma quantia para dar entrada, mas esta quantia é pequena, cuidado. Se o prazo de financiamento for longo você pode para dois carros. O ideal é dar a maior entrada possível, quanto menos você financia menor o juro pago até o final. Mesmo assim, verifique se a parcela cabe no seu orçamento, lembre que além da prestação você ainda terá despesas com combustível, seguro, IPVA, Licenciamento anual e manutenção. Por isso avalie bem antes de entrar numa fria.

Quer fazer faculdade? Estude e passe no vestibular, ou tente entrar pelo ENEM. O curso que você quer é pago, se inscreva no ProUni e consiga bolsa integral ou meia-bolsa. Escolha o curso certo. Se você é jovem isso talvez não seja um problema. Mas para quem tem um pouco mais de idade, não é uma boa ideia chegar ao final do curso depois de quatro ou cinco anos e descobrir que não é aquilo que você queria. Por isso pense bem antes de começar.

Vai comprar uma casa? Se você tem dinheiro vá e compre, mas se não tem pesquise bem antes. Escolha o local, cuidado ao comprar casas com preços muito abaixo do mercado, isso pode ser um sinal de que o bairro ou a vizinhança não é das melhores. Verifique a distância entre a casa e o local de trabalho, colégio, a distância pode pesar no orçamento e o barato pode sair caro. Verifique o tamanho do imóvel, se for pequeno e você pretende aumentá-lo no futuro. Consulte a possibilidade de ampliação futura. Analise o terreno, se for muito inclinado você pode ter problemas com o escoamento da águas das chuvas. Se ficar em um local muito baixo você pode sofrer com inundações.

Está endividado e quer sair dessa? Planeje seus gastos, utilize o dinheiro extra para quitar suas dívidas. Dinheiro extra pode ser o abono salarial do PIS, o 13º salário, o valor recebido pelas férias trabalhadas na empresa. Mas de nada adianta pagar as dívidas e no próximo ano ficar endividado novamente. Por isso é importante planejar, anote tudo o que você gasta mensalmente, ou seja, os gastos fixos. Energia, água, gás, transporte, aluguel, mercado e reserve um valor para eventuais gastos extras. Quando precisar comprar alguma coisa que está fora do orçamento, primeiro analise se terá condições de pagar aquele valor, seja a vista ou parcelado, talvez seja possível pagar, mas para isso outras coisas ficarão pendentes. O cálculo é simples, você não pode gastar mais do que ganha mensalmente. A mesma coisa acontece com as empresas, a despesa não pode ser maior do que o faturamento.

Quer ter uma aposentadoria tranquila? Então comece logo a guardar dinheiro. Muitas pessoas não se preocupam com a velhice, quando ela chega não têm nem condições de bancar os remédios dos quais necessitam. Por isso preocupe-se em trabalhar registrado e pagar o valor correto para o INSS, além disso, faça uma poupança e comece a guardar certa quantia mensalmente ou ainda faça uma previdência privada. Assim não será preciso fazer milagres para viver com apenas um salário mínimo como fazem grande parte dos aposentados.

Já pensou em escrever um livro? Ainda não? Pensa que é preciso ser escritor profissional, ou que custa muito caro? Nada disso, hoje em dia é muito fácil publicar um livro, existem vários sites que publicam seu livro praticamente sem custo. A menos que você queira pagar pela revisão, diagramação e capa. Você pode fazer isto tudo sozinho se tiver um pouco de conhecimento sobre o assunto. Se você tem a capacidade de escrever o livro, isso não será problema algum. Se o livro for publicado apenas no formato digital, você terá menos custos ainda. Além disso, ainda é possível ganhar dinheiro com as vendas caso a sua ideia seja boa.

Para tornar o seu trabalho o mais profissional possível é preciso que ele seja reconhecido como livro realmente, para isso faça seu registro como editor e solicite o número do ISBN para o seu livro. Isto vai ter um custo de R$ 235,00 para o livro digital. Procure um bibliotecário para fazer a ficha catalográfica do seu livro. O valor da ficha pode variar. Faça o registro do livro na Fundação Biblioteca Nacional. Tudo isso pode parecer muita coisa, muita burocracia, mas garante a qualidade do seu trabalho e os seus direitos sobre o material. Além disso, é muito mais complicado e muito mais caro publicar um livro impresso e conseguir colocar ele a venda em uma livraria. Mesmo que não seja um sucesso de vendas, pelo menos você realizou o sonho de publicar um livro.

Você está satisfeito com seu emprego?

Satisfeito com seu emprego

Emprego certo

Muitas pessoas certamente estão insatisfeitas com seus empregos. Outras gostam do que fazem, mas acreditam que a remuneração não é adequada. Outras pessoas não gostam do que fazem, mas estão satisfeitos com o salário. Raramente é possível unir o útil ao agradável quando o assunto é emprego e salário.

As vezes as pessoas estão insatisfeitas com seus empregos e a única coisa que sabem fazer é reclamar e mais nada. O correto é procurar outro emprego, pois você precisa trabalhar, então não é bom para você e muito menos para a empresa ter no quadro de funcionários uma pessoa descontente, desmotivada. Porém, mesmo insatisfeita, as vezes a pessoa fica a vida inteira no mesmo emprego, simplesmente porque não acredita que pode conseguir algo melhor. Aquele velho ditado, para que mudar de emprego se o salário será o mesmo. Muitas vezes o salário pode ser o mesmo, porém a mudança de ares pode ser benéfica para sua vida e seu rendimento no trabalho.

Agora se a ideia é ganhar mais, aí a conversa é diferente. Empregos que pagam mais na maioria das vezes exigem maior qualificação. Então não adianta sonhar com bons salários se você não está preparado para ocupar estas vagas. Aliás, atualmente existem muitas pessoas preparadas, mas em algumas áreas existe a falta de pessoas qualificadas. Dificilmente você sairá do cargo de serviços gerais para gerente de produção sem que tenha capacidade para isso. Para serviços gerais o ensino fundamental pode ser o suficiente, mas para gerente de produção, por exemplo, uma simples graduação pode ser insuficiente, pode ser necessário uma pós-graduação na área.

Muitos querem empregos melhores remunerados sem fazer o mínimo de esforço, aí você vai depender da sorte ou do QI (quem indica), ou ainda ser muito bom naquilo que faz mesmo sem ter estudado muito.

Mesmo estando insatisfeito com o emprego e com o salário, existem empresas que dão oportunidades para que os funcionários ocupem postos melhores remunerados na empresa, ou seja, fazem recrutamento interno, é nesta hora que você precisa estar preparado para assumir a função. Mesmo que você não goste do que faz, é importante que faça bem feito e mostre que você merece uma oportunidade. Mas se a empresa não lhe dá oportunidade, aí a solução é procurar outro emprego mesmo.

O emprego que para você é ruim para outra pessoa pode ser o ideal, depende de como você vê as coisas.

Existem maneiras diferente de enxergar a mesma coisa como na história dos dois pedreiros:

Dois pedreiros estavam assentando tijolos. Alguém que passava próximo do local perguntou a um deles:

– O que o senhor está fazendo?

– Estou levantando uma parede.

– E o senhor, o que está fazendo? – perguntou ao outro.

– Eu estou construindo uma Catedral.

Os dois eram pedreiros, utilizavam as mesmas ferramentas e o mesmo material para fazer a mesma obra. Um apenas assentava tijolos e erguia uma parede, enquanto o outro construía uma Catedral.

Na vida é exatamente a mesma coisa. Uns simplesmente vivem, outros sonham e outras vão atrás de transformar os sonhos em realidade.

Older posts