Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Tag: salário

A reforma da previdência pode ser boa para o trabalhador?

Devido a falta de apoio político e descontentamento geral dos trabalhadores, a reforma da previdência pode não atingir a maior parte dos objetivos do Governo. Muita coisa da proposta original já caiu por terra e outras ainda podem cair.

A reforma da previdência pode ser boa para o trabalhador?

Mas será que a reforma da previdência é mesmo boa para o trabalhador?

Eu diria que em nenhuma hipótese uma reforma que aumenta o tempo de contribuição, idade, ou retira benefícios será boa para o trabalhador. No entanto, uma reforma que facilitaria o acesso ao benefício jamais aconteceria. Logo, a verdadeira intenção do Governo é reduzir o “déficit” que diz existir e garantir que a previdência continue a existir e se mantenha sustentável por muito tempo.

Ou seja, o governo simplesmente quer aumentar a arrecadação com pessoas contribuindo por mais tempo e consequentemente usufruindo do direito por menos tempo. Não há como fazer qualquer reforma na previdência sem que haja total descontentamento da classe trabalhadora.

A reforma da previdência pode não acontecer agora como o Governo queria, mas vai chegar um momento onde isso será inevitável. Infelizmente o pior só será adiado.

Não estou aqui defendendo o Governo e nem ao menos criticando os protestos contra a reforma, mas simplesmente dizendo um pouco da verdade sobre a reforma da previdência.

A grande verdade é que o Governo nunca terá apoio para fazer esse tipo de reforma, pois pune o trabalhador às custas de economia para o Governo. Para piorar a situação ainda existe muita coisa obscura por de trás do “rombo da previdência” que o Governo insiste em dizer que existe. Sendo que muitos discordam dessa “verdade”, que na realidade é apenas uma invenção e que a previdência poderia se manter da maneira que está se o dinheiro com ela arrecadado fosse destinado apenas para sua função principal.

Certamente que o Governo jamais vai admitir tal coisa, se isso for verdade, então só nos resta torcer para que as mudanças demorem um pouco mais para acontecer.

Imposto de renda 2017: quem precisa declarar?

Chegou a hora de declarar o imposto de renda mais uma vez, para quem já está acostumado a fazer isso todos os anos basta baixar o programa ou atualizar o do ano passado e informar os dados, ou para aqueles que contratam um escritório de contabilidade é ainda mais fácil. Basta reunir toda a documentação necessária e deixar o resto por conta do seu contador.

No entanto, se você ainda não declarava imposto de renda nos anos anteriores pode ser que neste ano seja necessário, se os seus rendimentos foram maiores do que R$22.847,76 durante o ano de 2016 você está obrigado a fazer a declaração. Quem recebeu um valor menor está isento, mas mesmo assim existem alguns casos que mesmo sendo isento você pode ser obrigado a declarar o imposto de renda. Portanto, é melhor ter certeza disso antes de deixar de fazer a declaração.

Imposto de Renda: bom ou ruim?

Quem tem o imposto retido diretamente na fonte, ou seja, quando você recebe o salário o imposto já fica automaticamente retido quando você ultrapassa o limite mensal também precisa declarar i imposto de renda. Para saber qual foi o valor que ficou retido durante o ano a empresa precisa fornecer o Comprovante de Rendimentos, também conhecida como cédula C. Nela você encontro o total de rendimentos e também quanto foi pago de previdência durante o ano assim como o total que ficou retido no imposto de renda.

Esse valor que ficou retido é um dinheiro que você já pagou para o Governo, depois de fazer a sua declaração e apresentar todos os comprovantes de despesas com saúde, educação, etc, então você saberá se vai precisar pagar mais alguma quantia extra para o Governo. Em muitos casos você poderá reaver o dinheiro que já foi pago. Neste caso depois de concluir a declaração o resultado final vai mostrar qual é o valor que você tem a pagar ou a restituir. Se você tiver algum valor a restituir, ou seja, para receber de volta, a primeira restituição acontece sempre no mês de junho. A primeira parcela é para aposentados e na segunda em diante já começam a serem pagos os outros contribuintes.

Quanto mais cedo fazer a declaração mais cedo você pode receber a restituição e assim por diante, então se você acredita que tem algo a restituir corra e faça sua declaração nas primeiras semanas de Março.

Depois basta acompanhar no site da Receita Federal de acordo com o calendário e verificar se a sua já está liberada.Se tiver algum valor a receber o dinheiro será enviado para a conta informada no ato da restituição.

Como sobreviver as dívidas de início de ano?

O correto seria que cada pessoa economizasse durante o ano inteiro uma quantia suficiente para pagar as dívidas de início de ano. Entre elas IPTU, IPVA, material escolar, seguro do veículo e tantas outras despesas que surgem logo no início do ano. Isso porque estas despesas são fixas, ou seja, você sabe que sempre terá despesa com IPTU se possuiu casa própria e não se esquecendo do pagamento do IPVA do seu veículo e material escolar se você tem crianças em idade escolar.

divida

Se o seu orçamento é apertado, certamente você não terá como desembolsar estes valores para quitas as dívidas de uma única vez, por isso é importante economizar durante o ano inteiro para não chegar nesta hora e entrar em desespero com tantas contas para pagar e nada de dinheiro no bolso.

Mas suponhamos que você não economizou durante o ano que passou, ainda resta outra opção. Você pode utilizar o seu décimo terceiro para pagar estas dívidas de início de ano. É um dinheiro extra que entra no final do ano e pode ajudar no seu orçamento. No entanto, se você usou todo o dinheiro para as festas de fim de ano, ou para viajar, aí não resta outra alternativa.

Você não terá o desconto para pagamento à vista do IPTU ou IPVA, não terá como economizar comprando o material escolar à vista e muitas vezes conseguindo preços melhores e o pior de tudo. Certamente você passará o ano inteiro lutando para pagar parcelado as dívidas que só conseguiu o pagamento parcelado. O resultado disso é que a expectativa de repetir o mesmo erro no ano seguinte será grande, a menos que você chegue no final do ano e resista a tentação de gastar todo o seu décimo terceiro com coisas que poderiam esperar para outro momento, ou até mesmo que são totalmente desnecessárias. Lógico que tudo isso só é útil se você estiver empregado no momento.

O sacrifício que você faz hoje pode lhe dar bons frutos no futuro. Não existe vitória sem trabalho e dedicação. Pense nisso.

 

 

O ano está terminando: foi bom ou ruim para você?

fim de ano está chegando

final de ano

Faltam menos de 2 meses para o fim do ano, podemos dizer que este ano está chegando ao fim. Mas e as suas metas, estão sendo alcançadas?

Embora ainda exista tempo, já e possível saber se seus objetivos serão ou não alcançados até o fim do ano.

Talvez uma coisa ou outra não deu certo, mas a maioria dos objetivos foram alcançados, então você pode ficar satisfeito. No entanto, se a maioria dos objetivos não se concretizou, então existe alguma coisa errada. Ou você planejou mal, ou superestimou sua capacidade de concluí-las. Uma coisa é certa, aquilo que fizemos durante um ano serve como base para o próximo ano. Os erros e acertos servem de exemplo para que façamos a coisa certa.

Assim como o ano está terminando, já é hora de começarmos a planejar nossos objetivos para o próximo ano. Afinal, sem planejamento dificilmente conseguimos colocar em prática alguma coisa. Pode dar certo, mas a chance de dar errado é grande.

Embora seja um novo ano que está por vir, o ano que termina pode ter reflexos negativos no ano que está chegando. Principalmente quando falamos em questões financeiras. Começar o ano cheio de dívidas e sem dinheiro para quitá-las é um péssimo começo. Se você tem algumas sobras de final de ano, o ideal é guardá-las para o momento que irá precisar. O ano novo chega com o IPVA, IPTU, IRPF, material escolar, etc. Muitos usam o valor do 13º salário para quitar dívidas e entrar o ano com o caixa em dia. Essa não é a função do 13º, mas é uma solução. A função do 13º salário é dar um final de ano melhor para o cidadão, é chamado também de gratificação natalina. O trabalhador recebe um salário extra para ter condições de passar o fim de ano com fartura.

Por outro lado, muitos abusam no final do ano e fazem dívidas além da capacidade que possuem de pagar. Afinal são muitos presentes, Natal, amigo secreto, ano novo, etc.

Então o ano chega e as dívidas começam a vencer e junto com elas chegam as outras que eu citei acima. Aí é que mora o perigo. Começar o ano endividado pode comprometer seu ano inteiro. Portanto, é preciso ter responsabilidade e gastar de acordo com suas possibilidades. De que adianta fazer festa no final de ano e passar o próximo ano inteiro endividado. Fica a dica.

Você está satisfeito com seu emprego?

Satisfeito com seu emprego

Emprego certo

Muitas pessoas certamente estão insatisfeitas com seus empregos. Outras gostam do que fazem, mas acreditam que a remuneração não é adequada. Outras pessoas não gostam do que fazem, mas estão satisfeitos com o salário. Raramente é possível unir o útil ao agradável quando o assunto é emprego e salário.

As vezes as pessoas estão insatisfeitas com seus empregos e a única coisa que sabem fazer é reclamar e mais nada. O correto é procurar outro emprego, pois você precisa trabalhar, então não é bom para você e muito menos para a empresa ter no quadro de funcionários uma pessoa descontente, desmotivada. Porém, mesmo insatisfeita, as vezes a pessoa fica a vida inteira no mesmo emprego, simplesmente porque não acredita que pode conseguir algo melhor. Aquele velho ditado, para que mudar de emprego se o salário será o mesmo. Muitas vezes o salário pode ser o mesmo, porém a mudança de ares pode ser benéfica para sua vida e seu rendimento no trabalho.

Agora se a ideia é ganhar mais, aí a conversa é diferente. Empregos que pagam mais na maioria das vezes exigem maior qualificação. Então não adianta sonhar com bons salários se você não está preparado para ocupar estas vagas. Aliás, atualmente existem muitas pessoas preparadas, mas em algumas áreas existe a falta de pessoas qualificadas. Dificilmente você sairá do cargo de serviços gerais para gerente de produção sem que tenha capacidade para isso. Para serviços gerais o ensino fundamental pode ser o suficiente, mas para gerente de produção, por exemplo, uma simples graduação pode ser insuficiente, pode ser necessário uma pós-graduação na área.

Muitos querem empregos melhores remunerados sem fazer o mínimo de esforço, aí você vai depender da sorte ou do QI (quem indica), ou ainda ser muito bom naquilo que faz mesmo sem ter estudado muito.

Mesmo estando insatisfeito com o emprego e com o salário, existem empresas que dão oportunidades para que os funcionários ocupem postos melhores remunerados na empresa, ou seja, fazem recrutamento interno, é nesta hora que você precisa estar preparado para assumir a função. Mesmo que você não goste do que faz, é importante que faça bem feito e mostre que você merece uma oportunidade. Mas se a empresa não lhe dá oportunidade, aí a solução é procurar outro emprego mesmo.

O emprego que para você é ruim para outra pessoa pode ser o ideal, depende de como você vê as coisas.

Existem maneiras diferente de enxergar a mesma coisa como na história dos dois pedreiros:

Dois pedreiros estavam assentando tijolos. Alguém que passava próximo do local perguntou a um deles:

– O que o senhor está fazendo?

– Estou levantando uma parede.

– E o senhor, o que está fazendo? – perguntou ao outro.

– Eu estou construindo uma Catedral.

Os dois eram pedreiros, utilizavam as mesmas ferramentas e o mesmo material para fazer a mesma obra. Um apenas assentava tijolos e erguia uma parede, enquanto o outro construía uma Catedral.

Na vida é exatamente a mesma coisa. Uns simplesmente vivem, outros sonham e outras vão atrás de transformar os sonhos em realidade.

Quanto você economiza por mês?

Quanto você economiza por mês

Economia mensal

Qual é a sua economia mensal? Quanto você guarda por mês pensando em uma aposentadoria tranquila, ou simplesmente para comprar algo que custa caro, como a casa própria ou um veículo, ou até mesmo para bancar uma faculdade?

Para quem recebe um salário mínimo mensal esta tarefa é um pouco complicada, haja visto que conseguir passar um mês com o valor de um salário mínimo já é um ato heroico. Dizem que tem gente que consegue tal proeza e segundo nosso Governo o salário mínimo está de bom tamanho. Porém, acho pouco provável que isso aconteça de fato.

Mas vamos supor que você tem uma renda razoável, existem pessoas que mesmo ganhando muito dinheiro nunca se preocupam com o futuro e em determinado momento da vida a fonte seca e a pessoa fica na pior, sem dinheiro e sem renda. Como nunca se preocupou em guardar dinheiro ou investir em alguma coisa.

Mas vamos falar de pessoas inteligentes, que pensam no futuro, planejam suas vidas. O começo é bem difícil, muitas vezes acreditamos que ganhamos pouco e fazer economia não resolve nada. O correto é primeiramente colocar no papel tudo aquilo que temos de despesa durante o mês, assim vamos ver o que realmente temos que pagar mensalmente e o que são gastos que podem ser eliminados. Isso mesmo, eliminados. Não acredite que você irá fazer economia sem abrir mão de alguma coisa. Diminuir o número de vezes que vai a lanchonete, a pizzaria, a festas de fim de semana, etc.

Pode ser que seu salário lhe permita economizar apenas 10% do que você ganha mensalmente, esta quantia é pequena e não irá lhe garantir uma aposentadoria e se a ideia for comprar algo pode ser que demore muito tempo. Mas se você ganha razoavelmente bem o ideal é guardar 20%, 30% mensalmente. Isso se você quer garantir um aposentadoria gorda, ou até mesmo investir em algum negócio após se aposentar. Se a intenção é apenas economizar pode ser que o tempo necessário para atingir o objetivo seja pequeno, 5 ou 10 anos pode ser suficiente. Mas como ficar com o dinheiro e resistir a tentação de não gastá-lo? A resposta é simples, você deve deixá-lo em uma conta separada, em uma poupança ou investimento e simplesmente esquecer que ele existe. É claro que em uma emergência você não vai correr riscos tendo dinheiro guardado, mas este deve ser o último recurso mesmo.

E quanto eu posso economizar durante o período? Isso vai depender da renda que você possui. Vamos a um exemplo:

Uma pessoa recebe mensalmente R$ 4.000,00 líquidos, em seus cálculos é possível economizar por mês 20%, ou seja R$ 800,00, em um ano serão R$ 9.600,00, isso contando apenas os salários normais, excluindo 13º salário e férias e possíveis restituições de imposto de renda. Em cinco anos serão economizados R$ 48.000,00 e em dez anos serão R$ 96.000,00 de economia sem contar o rendimento da poupança ou outro investimento onde o dinheiro foi aplicado.

Fiz uma planilha no Excel e cheguei ao valor de aproximadamente R$ 140.000,00 economizados em dez anos. É claro que o rendimento pode ser maior se o local onde o dinheiro foi investido tiver rendimento maior que o da poupança, além disso, o cálculo segue um padrão de depósitos mensais de R$ 800,00 durante todo o período, isso pode cair em consequência de depósitos menores e pode subir caso a renda da pessoa aumente no período.

Como não sou matemático, pode ter algum erro na fórmula, mas acredito que está correto. Como exemplo, uma pessoa tinha R$ 50,00 na poupança, passaram nove anos ela foi verificar o saldo e tinha na conta R$ 95,00, o valor quase dobrou sem ela fazer nenhum depósito.

Clique no link a seguir: Cálculo de rendimento

Cálculo de rendimento

Administração e Sucesso