Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Tag: Profissão (page 1 of 3)

Ser professor no Brasil é um desafio

Ser professor no Brasil é um desafio, e a cada ano o número de pessoas interessadas em seguir essa profissão diminui. Não é para menos, segundo uma pesquisa feita pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), os salários dos professores de ensino fundamental no país é um dos piores do mundo, se comparados com países desenvolvidos. Em busca de melhores condições de trabalho e um salário melhor muitos profissionais, tanto formados em Letras, quanto de outras áreas do conhecimento, decidem se dedicar a lecionar no ensino superior.

curso técnico

Dados da OCDE comprovam essa afirmação, os salários dos professores universitários de universidades federais públicas são tão altos quanto os de países desenvolvidos como Finlândia, Noruega e Suécia, o faturamento por ano fica em torno de R$ 133,7 mil. O documento também mostra que o país investe muito mais nos alunos do ensino superior, cerca de R$ 45 mil por ano, número muito maior do que a média de R$ 12,7 mil que são investidos ao ano por aluno do ensino fundamental e médio.

Lecionar no ensino superior não se restringe dar aulas para os jovens que acabaram de ingressar na faculdade, existem os mestrados, doutorados e as pós graduações latu senso e stricto sensu. E mesmo optando pela carreira acadêmica, ainda existem profissionais que encaram seguir sua profissão de formação e ainda lecionar.

Conversarmos com o advogado e professor da pós graduação para saber a sua visão sobre esse cenário.

Pós Graduação na prática

O Coordenador da Pós Graduação Latu Sensu em Direito Empresarial da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Luiz André de Carvalho Macena encara esporadicamente a rotina dupla de se dedicar às atividades acadêmicas e a profissão de advogado. Luiz é mestre em Direito e especialista em Direito Civil e Processo Civil, mas deixou a profissão um pouco de lado para ensinar futuros profissionais.

Segundo Luiz se dedicar às duas atividades pode ser um pouco complicado “É bem desgastante, mas o profissional que se dispõe a manter as duas deverá ponderar os benefícios e malefícios decorrentes deste caminho. O profissional da advocacia deverá conciliar sua agenda de compromissos, a realização de audiências, o atendimento aos clientes com o preparo das aulas e sua entrada em sala de aula. Mas é um desafio gratificante” comenta.

Mas quem pensa que seguir a carreira acadêmica exige menos esforço está enganado, segundo o professor Luiz Macena é preciso buscar diversas qualificações se o intuito é lecionar em cursos de pós graduação. “Tem que fazer Mestrado e Doutorado. Hoje dificilmente uma pessoa vai conseguir um cargo de professor universitário sem tais títulos. Também ter vocação para pesquisa é muito importante. A carreira acadêmica exige do professor a participação em congressos, seminários e demais eventos científicos. Escolher um ou mais de ramo especifico para trabalhar, ficar atento a publicação dos editais das universidades sobre a abertura de vagas e conhecer os novos métodos de ensino é essencial. O professor deve ser curioso e estar sempre atualizado” diz.

Post escrito por: Jacqueline Gonçalo

Quem faz curso técnico ou profissionalizante tem mais chances de conseguir um emprego

A educação profissional tem chamado a atenção dos brasileiros, deixando para trás o pensamento de que os cursos de qualificação profissional, de ensino médio técnico e graduação tecnológica não são valorizados pelo mercado de trabalho. Uma pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostrou que pessoas que fizeram algum tipo de curso profissionalizante têm mais chances são 38% maiores de conseguir um emprego formal de carteira assinada, e o salário pode chegar a ser 13% maior também.

curso técnico

E dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também mostram o maior interesse do brasileiro pela qualificação profissional proporcionada pelos cursos, mais de 40,21 milhões de pessoas tem interesse em ingressar nessa modalidade de educação.

O diretor geral do SENAI, Rafael Lucchesi, comentou sobre a pesquisa em entrevista ao Portal da Indústria, “Seguramente, a educação profissional é o caminho mais rápido para a inserção dos jovens no mercado de trabalho e para a recolocação dos trabalhadores que ficam desempregados. Os resultados da pesquisa apontam que a população brasileira tem clareza da importância desse tipo de formação e tem o desejo de se qualificar para o mercado de trabalho” disse

Bem observado pelo diretor geral, os cursos profissionalizantes são uma maneira mais rápida de inserção ao mercado de trabalho e esse pode ser o maior atrativo da modalidade, além do investimento ser bem menor do que um curso superior e a vantagem de não ser obrigatória a conclusão do ensino médio para começar a estudar. Para os jovens que necessitam trabalhar, seja para ajudar em casa ou a vontade de se inserir no mercado de trabalho o mais cedo possível, é uma ótima opção.

Quais são as características dos cursos profissionalizantes?

Essa modalidade tem como objetivo dar mais atenção as atividades que serão desenvolvidas no dia a dia da carreira escolhida, por isso muitos profissionais que já são formados buscam esses cursos para se especializar, mas jovens que não possuem conhecimento técnico em nenhuma área também são contemplados pelos cursos profissionalizantes. A duração pode variar entre seis e 18 meses

Post escrito por: Jacqueline Gonçalo

O perfil do novo profissional

O perfil do novo profissional: saiba o que está sendo valorizado pelo mercado

Você sabe quais são os comportamentos valorizados pelas empresas atualmente? O mercado de trabalho evolui rápido e talvez você não consiga acompanhar quais são as exigências do momento.

Retração econômica. Tecnologia. Inovação. Consumidores pouco fiéis às marcas. Neste novo panorama, a necessidade das empresas é por um profissional ainda mais flexível e com mais capacidade de análise e decisão.

Neste post traçamos uma comparação entre o perfil do profissional desejado hoje pelo mercado e o trabalhador 2.0 que circulava pelas empresas até outro dia – já habituado a trabalhar em equipe e acostumado a ver a tecnologia inserida em sua rotina.

Confira na infografia a seguir, e logo abaixo explicamos melhor cada uma das características do novo profissional.

O perfil do novo profissional

COWORKING: O profissional contemporâneo não fica encerrado em salas de escritórios. Ele precisa observar o que está acontecendo em seu entorno e trocar ideias com pessoas que possam contribuir para seu trabalho. Estão na moda os espaços de coworking, que são mais amigáveis que os escritórios tradicionais e favorecem o networking. Saiba trabalhar com ruídos ao seu redor e use as “distrações” do ambiente para estimular sua criatividade.

NÔMADES DIGITAIS: Conhece essa expressão? Se refere aos profissionais que não tem residência fixa e que têm a possibilidade de trabalhar desde qualquer lugar que tenha conexão à Internet. Esta filosofia é ideal para quem trabalha, por exemplo, como blogueiro de viagem, designer, freelancer em geral ou profissionais da área de TI. Essas pessoas fazem de viajar o seu trabalho, ou conciliam seus trabalhos com conhecer o mundo!

ATITUDE: Ser proativo não significa mais que você tenha um diferencial em relação a outros profissionais. As empresas já partem do pressuposto de que você vai contribuir com novas ideias e sugestões de melhoria, e não simplesmente seguir o script sem questionar.  Atualmente, além de dar uma ideia, é preciso colocá-la em prática, acompanhar seu desenvolvimento e medir os resultados. O profissional atual tem iniciativa, atitude e trabalha com indicadores de desempenho.

CARREIRA: Sem paciência para esperar uma progressão vertical dentro do organograma de uma só empresa, o profissional vai trocando de emprego e ocupando novos cargos. A cada nova oportunidade, desenvolve novas habilidades e adquire experiência. É cada vez mais comum que o funcionário volte para a empresa inicial, porém ocupando uma posição muito mais superior, e em menos tempo do que se esperasse o curso natural das ascensões dentro da companhia.

ANÁLISE: Ter acesso à informação já não é mais um desafio. Além do Google, existem inúmeras fontes de dados brutos, como estudos, relatórios de institutos de pesquisa, ou até mesmo outro departamento que possa facilitar os números para você. A chave, agora, é analisar e interpretá-los de maneira estratégica. Traduzir esses dados em informação útil para a empresa.

PODER DE DECISÃO: Ainda é necessário ser rápido para reagir frente a situações críticas e importantes. Porém, hoje, o profissional médio tem cada vez mais capacidade para decidir sobre as tarefas que deve dar prioridade. Não é mais o chefe quem decide o que você deve fazer, quando e como. O trabalhador possui muito mais autonomia, e precisa saber responder a esta responsabilidade.

AUTO-APRENDIZAGEM: A capacitação formal – a que vem de cursos superiores ou de especialização – não é mais suficiente. O profissional é exigido a desenvolver tarefas novas a cada dia, e para isso precisa absorver novas competências. Esqueça os vários dias de treinamento, na maioria das vezes você terá que buscar fontes de consulta e aprender sozinho a desempenhar as novas atividades.

REINVENTAR-SE: Se as necessidades do consumidor mudam muito rápido, por que as empresas teriam que manter-se imutáveis? Seria um tiro no pé, não é mesmo? Portanto, com cada vez mais frequência as empresas mudam suas estratégias e até mesmo seu negócio. Além de ser flexível quanto às tarefas que é capaz de realizar, o profissional de sucesso tem que participar ativamente das transições, contribuir para novas mudanças e continuar perfeitamente integrado ao DNA da empresa.

IDIOMAS: Quem nunca colocou no currículo “conhecimento intermediário em inglês”? Pode parecer duro, mas, atualmente, isso não representa nada. Se você quer ter uma carreira de sucesso, tenha em mente que é preciso ter um domínio bastante consistente do idioma, e mais: conhecer a cultura do país, os hábitos de consumo, como as pessoas costumam fazer negócios ali, e até mesmo as datas comemorativas importantes para aquele povo.

MOBILIDADE: Você está acostumado a ter sua própria estação de trabalho, com seus arquivos gravados no “seu” computador da empresa? Esqueça isso. Utilizar serviços de armazenamento na nuvem é muito mais prático  e permite que você e seus colegas de trabalho possam  acessá-los de casa ou do celular, a qualquer momento. Aliás, acessar e-mails em qualquer hora do dia é uma característica do novo profissional.

Fonte do artigo: http://www.bebee.com/

Hoje é mais um dia do administrador

Hoje é mais um dia do administrador, a profissão completa 50 anos de história.

Dia do administrador

Parabéns a todos aqueles que amam esta profissão e administram suas empresas, ou profissão independente, mas também a todos que administram suas vidas, suas famílias, os problemas do dia-a-dia e conseguem encontrar soluções para seguir em frente.

Afinal, tudo em nossa vida precisa ser administrado. Como o nosso tempo, por exemplo, nossa vida é muito corrida, precisamos chegar ao trabalho na hora certa, almoçar correndo, deixar as crianças na escola. Temos que dar atenção para os filhos, carinho para a esposa, receber visitas, fazer compras, etc.

Sei que essas coisas não são atribuições da profissão de administrador, mas será que alguém que não consegue sequer administrar as coisas de sua vida no dia-a-dia tem capacidade para administrar uma empresa. É mais provável que a resposta seja não.

A economia do país atravessa um momento delicado, administrar com seriedade é uma das formas de ajudar o país a crescer e evitar que o país retroceda.

09 de setembro é o Dia do Administrador, por ser a data de assinatura da Lei nº 4769, de 9 de setembro de 1965, que criou e regulamentou a profissão de Administrador. Portanto, neste ano de 2015 a profissão de Administrador completa 50 anos.

Parabéns a todos os administradores e administradoras!

Qual é o seu principal objetivo na vida?

Objetivo na vida

Objetivos na vida

Vivemos uma correria no dia-a-dia, muitos vezes não temos para nada, estamos sempre ocupados e constantemente estressados. Mas para que tanta correria? Você sabe por que está fazendo tudo isso, quais são os objetivos de sua vida.

Isso mesmo, nossa vida deve ter objetivos, alguns simples e outros mais difíceis de serem concretizados, e para alcançá-los precisamos de planejamento. Muitas vezes não paramos para pensar nisso, vamos vivendo da maneira que dá. Passamos meses planejando uma festa de formatura que irá durar apenas uma noite, mas não dispomos de algumas míseras horas para planejar nossa vida, ou seja, nosso futuro.

Pode até ser que consiga alguma coisa sem planejar, mas aí vai depender mais da sorte.

Primeiramente pense quais são os objetivos para sua vida. Agora por ordem separe quais são de curto prazo, médio prazo e de longo prazo. Veja o exemplo a seguir:

Objetivos de curto prazo: comprar um carro, fazer uma graduação, casar.

Objetivos de médio prazo: ter filhos, comprar a casa própria, conseguir um emprego estável.

Objetivos de longo prazo: abrir uma empresa, aposentadoria.

Agora que já tem em mente quais são seus objetivos é preciso delimitar o tempo para alcançar cada um deles, ou seja, qual é a sua meta.

Com quantos anos você pretende conseguir comprar um carro, qual o tempo que levará para concluir a graduação e com que idade pretende se casar, conforme os objetivos de curto prazo.

Com que idade pretende ter filhos e quantos pretende ter, quando pretende comprar a casa própria e qual o limite de tempo para que consiga um emprego estável, conforme os objetivos de médio prazo.

Com que idade pretende ter uma empresa própria e com quantos anos deverá se aposentar.

Agora você já tem os objetivos e o tempo que pretende demorar para alcançá-los. Só isso, não agora é que vem a parte mais difícil, colocar a mão na massa. Com seus objetivos escolhidos agora é preciso trabalhar para que eles virem realidade e que isso aconteça dentro do tempo esperado. Não adianta ter objetivos e ficar de braços cruzados. O seu comprometimento será o responsável pelas suas conquistas. Avalie periodicamente se os seus objetivos estão andando conforme o planejado, faça tudo o que for preciso “dentro da lei” para obter sucesso.

Pode parecer bobagem pensar no seu futuro daqui a 20 anos, como será sua vida. Porém se você não pensar o futuro vai chegar da mesma maneira, e pode ser que não seja dos melhores dependendo das escolhas que você fez em sua vida, em sua juventude.

Você consegue trabalhar sem supervisão?

O chefe está de olho

Trabalhar sem supervisão

Geralmente nas empresas existe alguém responsável pelo setor ou por dar ordens para todos os funcionários. O chefe ou líder é responsável por determinar as tarefas que devem ser realizadas e supervisionar o seu andamento. Ou seja, cumprimento de prazos, eficiência no trabalho, tempo desperdiçado em conversas paralelas, etc.

A presença de alguém que supervisione o trabalho é fundamental para que as coisas andem conforme o planejado, pois existem pessoas totalmente incapazes de tomarem atitudes sem que tenham recebido a ordem de alguém. São pessoas que não possuem iniciativa. Por outro lado, basta um simples descuido do supervisor para que estas pessoas comecem a enrolar o serviço, ou seja, fingir que estão trabalhando, ir muito ao toalete para matar tempo, ficar no cafezinho conversando para o tempo passar e por aí vai. É aquele velho ditado, “Quando o gato sai de casa o rato faz a festa”.

Apesar disso, existem pessoas que são totalmente diferentes. Ou seja, elas sabem o que é preciso fazer e não ficam esperando a ordem para fazer algo que elas já sabem que devem fazer. O serviço está na minha frente, porque eu devo esperar uma ordem para realizá-lo? Ou melhor, para que eu vou levar uma bronca desnecessária do meu chefe?

Neste caso a supervisão serve apenas para novas tarefas que podem surgir e para tirar eventuais dúvidas sobre o trabalho.

E você, faz o seu trabalho sem necessidade de ter alguém na sua cola, ou só trabalha quando o chefe está por perto.

Você está satisfeito com seu emprego?

Satisfeito com seu emprego

Emprego certo

Muitas pessoas certamente estão insatisfeitas com seus empregos. Outras gostam do que fazem, mas acreditam que a remuneração não é adequada. Outras pessoas não gostam do que fazem, mas estão satisfeitos com o salário. Raramente é possível unir o útil ao agradável quando o assunto é emprego e salário.

As vezes as pessoas estão insatisfeitas com seus empregos e a única coisa que sabem fazer é reclamar e mais nada. O correto é procurar outro emprego, pois você precisa trabalhar, então não é bom para você e muito menos para a empresa ter no quadro de funcionários uma pessoa descontente, desmotivada. Porém, mesmo insatisfeita, as vezes a pessoa fica a vida inteira no mesmo emprego, simplesmente porque não acredita que pode conseguir algo melhor. Aquele velho ditado, para que mudar de emprego se o salário será o mesmo. Muitas vezes o salário pode ser o mesmo, porém a mudança de ares pode ser benéfica para sua vida e seu rendimento no trabalho.

Agora se a ideia é ganhar mais, aí a conversa é diferente. Empregos que pagam mais na maioria das vezes exigem maior qualificação. Então não adianta sonhar com bons salários se você não está preparado para ocupar estas vagas. Aliás, atualmente existem muitas pessoas preparadas, mas em algumas áreas existe a falta de pessoas qualificadas. Dificilmente você sairá do cargo de serviços gerais para gerente de produção sem que tenha capacidade para isso. Para serviços gerais o ensino fundamental pode ser o suficiente, mas para gerente de produção, por exemplo, uma simples graduação pode ser insuficiente, pode ser necessário uma pós-graduação na área.

Muitos querem empregos melhores remunerados sem fazer o mínimo de esforço, aí você vai depender da sorte ou do QI (quem indica), ou ainda ser muito bom naquilo que faz mesmo sem ter estudado muito.

Mesmo estando insatisfeito com o emprego e com o salário, existem empresas que dão oportunidades para que os funcionários ocupem postos melhores remunerados na empresa, ou seja, fazem recrutamento interno, é nesta hora que você precisa estar preparado para assumir a função. Mesmo que você não goste do que faz, é importante que faça bem feito e mostre que você merece uma oportunidade. Mas se a empresa não lhe dá oportunidade, aí a solução é procurar outro emprego mesmo.

O emprego que para você é ruim para outra pessoa pode ser o ideal, depende de como você vê as coisas.

Existem maneiras diferente de enxergar a mesma coisa como na história dos dois pedreiros:

Dois pedreiros estavam assentando tijolos. Alguém que passava próximo do local perguntou a um deles:

– O que o senhor está fazendo?

– Estou levantando uma parede.

– E o senhor, o que está fazendo? – perguntou ao outro.

– Eu estou construindo uma Catedral.

Os dois eram pedreiros, utilizavam as mesmas ferramentas e o mesmo material para fazer a mesma obra. Um apenas assentava tijolos e erguia uma parede, enquanto o outro construía uma Catedral.

Na vida é exatamente a mesma coisa. Uns simplesmente vivem, outros sonham e outras vão atrás de transformar os sonhos em realidade.

Dia do Administrador

Hoje é

Dia do Administrador

Parabéns a todos que escolheram esta

profissão e se orgulham de serem

Administradores ou Administradoras!

Passei em Concurso Público: e agora?

Concurso público

Ao ser aprovado em concurso público o candidato deve aguardar a nomeação, tomar posse e depois entrar em efetivo exercício.

Passar em concurso público é o sonho de muita gente, fato é que muitos tentam várias vezes e não conseguem ser aprovados. As vezes são aprovados, mas para concursos do qual não queriam ser aprovados, fizeram a prova por falta de outra opção. Outros se dedicam aos estudos com o único objetivo de passar em um concurso específico, ou seja, escolhem onde querem trabalhar e com dedicação conseguem a aprovação. Muitos outros fazem todo quanto é tipo de concurso que aparece pela frente, é claro que para cargos com bons salários, é neste caso que ocorrem as aprovações em mais de um concurso. Bom para aquele que foi aprovado, pois poderá escolher entre o emprego que mais lhe agrada, ou até mesmo a melhor remuneração e plano de carreira.

Para os orgãos públicos isso é ruim, ao ser aprovado em um concurso público o orgão deve nomear os aprovados, esperar que os mesmos tomem posse e depois entrem em efetivo exercício. Se a pessoa que foi nomeada não tomar posse o orgão terá que fazer nova nomeação até que a vaga seja preenchida. Pior ainda quando se esgotam todos os aprovados e classificados e ninguém quer tomar posse. Neste caso a única solução é a realização de novo concurso público.

Infelizmente isto é realidade, enquanto uns não conseguem passar em nenhum concurso público, outros são aprovados e simplesmente não querem tomar posse porque já passaram em outro concurso, ou até mesmo já possuem emprego melhor.

Pelo menos eles dão esperança para aqueles que ficaram apenas classificados, ao acabar a lista de aprovados a tendência é que sejam nomeados os classificados até que as vagas oferecidas sejam completadas. Portanto, se você ficou apenas classificado em um concurso público, não durma no ponto. Acompanhe as nomeações que você pode ter uma surpresa.

Mestres e Doutores para Garis

Mestres e Doutores

Recentemente uma reportagem me chamou a atenção, pessoas com nível superior, mestres e até doutores se inscreveram para o concurso de garis da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro.

Uma notícia muito surpreendente realmente, em um momento em que o Brasil está investindo pesado na formação de mestres e de doutores, inclusive oferecendo bolsas para quem quer estudar no exterior, pois segundo levantamentos o número de mestres e de doutores no Brasil ainda é muito pequeno em relação aos países desenvolvidos e existe a necessidade de formar cada vez mais mestres e doutores.

Mas como pode isto, uns dizem que o Brasil precisa de mais mestres e doutores, por outro lado mestres e doutores formados se inscrevem para trabalhar de gari? Certamente que a desculpa é de que não conseguem emprego, mas será que realmente não existe emprego para mestres e doutores no Brasil? Não acredito nesta teoria. Existe uma grande demanda por professores mestres e doutores nas universidades estaduais e federais brasileiras e por que não falar das instituições privadas também. Pessoas qualificadas certamente conseguem emprego mais facilmente. No entanto, o fato de possuir mestrado e doutorado por si só não quer dizer que a pessoa tem vaga garantida. É preciso mostrar que possui capacidade.

Como dizia anteriormente as universidades possuem forte demanda por mestres e doutores, mas para ser professor é preciso ter capacidade de passar para os alunos aquilo que sabe e, sobretudo é preciso gostar daquilo que faz.

Talvez grandes centros como o Rio de Janeiro estejam saturados de mestres e doutores, mas certamente existem lugares onde existe escassez até mesmo de pessoas com nível superior. O principal problema é que na maioria das vezes as pessoas não querem sair dos grandes centros para trabalhar nas cidades do interior do Brasil.

Mesmo que prefiram continuar no Rio de Janeiro, não acredito que não existe uma ocupação melhor do que o serviço de gari para estas pessoas, como citei no início, além de mestres e doutores, milhares de pessoas com nível superior também se inscreveram para o concurso. Se o salário fosse vantajoso até dava para entender, mas os selecionados devem ganhar aproximadamente um salário mínimo e, além disso, o grau de instrução que eles possuem de nada servirá para a seleção, pois o que será avaliado é a capacidade física e não a intelectual.

O Brasil forma milhares de mestres e doutores todos os anos e precisa aumentar estes números para suprir a demanda. Mas certamente que está demanda não é para preencher vagas de gari.

Older posts
Administração e Sucesso
Assign a menu in the Left Menu options.
Assign a menu in the Right Menu options.