Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Tag: mercado

Tendências do mercado para 2018

O ano é propenso para quem quer investir no próprio negócio

2018 já bateu na porta oferecendo uma melhor estabilidade no mercado para quem deseja abrir sua própria empresa. A crise econômica continuará, porém, a economia estará mais aquecida para investir em opções de negócios com alto potencial de crescimento.

Tendências do mercado para 2018

Para encontrar os negócios promissores é preciso estudar cada nicho do mercado com muito cuidado, seja em setores mais tradicionais ou inovadores. Nos últimos anos, por exemplo, se tem visto que os segmentos que mais se destacaram são serviços que facilitam a rotina das pessoas como vendas online, entregas delivery, etc. E o que se mantém forte é o setor de alimentação, principalmente os bios.

E o ano de 2018 promete valorizar ainda mais esses negócios e eles continuarão crescendo. E seguindo a mesma linha, os pequenos negócios e microfranquias vão também se destacar, pois o investimento e os riscos são menores. O ideal para quem vai abrir o primeiro empreendimento é investir em um setor que não exige muito capital, mas que tenha grandes chances de crescer e se estabilizar no mercado.

Alimentação – Como já dito antes, esse setor é um dos mais seguros para se investir atualmente. Todos precisam se alimentar e a importância dos alimentos vem crescendo devido à tendência de comer saudável. Segundo a Associação Brasileira de Franchising, no primeiro trimestre de 2017 o setor de alimentação faturou mais de R$ 9 bilhões.

E dentro desse nicho existem diversas opções como o delivery, a venda de alimentos bios e saudáveis, sorveterias (nas regiões em que o calor predomina), padarias e até lojas especializadas em bebidas funcionais (sucos e vitaminas que auxiliam o organismo a manter um ritmo saudável). As microfranquias que englobam esses negócios estão se destacando em todo o país.

Beleza e estética – Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos esse setor não para de crescer há duas décadas e já faturou mais de 40 bilhões de reais. O nicho que deve ter mais crescimento em 2018 são os tratamentos de beleza que envolvem produtos orgânicos. As microfranquias que se destacam estão nos setores de emagrecimento, depilação, cuidados masculinos.

Reparação e manutenção – Com a crise, os brasileiros diminuíram o hábito de consumir e passaram a prolongar a vida útil do que já se tem, como os aparelhos eletrônicos ou automóveis. Mas esse nicho vai além, pois estão incluídas oficinas mecânicas, empresas de serviços gerais, conserto de aparelhos eletrônicos e de informática, manutenção de eletrodomésticos, até reformas de móveis.

Turismo – Viajar não se tornou um luxo, pelo contrário. Muitas pessoas investem em viagens para poder relaxar, sair um pouco da rotina e desafogar dos problemas pessoais. E a procura por pacotes de viagens também tem aumentado, a terceira idade está cada vez mais saindo da zona de conforto e buscando aventuras. Invista em microfranquias que oferecem viagens mais voltadas ao ecoturismo, as pessoas querem cada vez mais ter contato com a natureza e mudar os ares.

Post escrito por: Jacqueline Gonçalo

Grandes empresas que desapareceram do mercado

Grandes empresas que desapareceram do mercado

Empresas sumiram

Muito se fala que as empresas geralmente fecham as portas logo nos seus primeiros anos de existência, porém, o fechamento ou falência não é “privilégio” apenas de pequenas empresas que entram no mercado e não conseguem prosperar. Pelo contrário, o fato de ser grande empresa, com décadas de existência e até muitas vezes líder de mercado não é garantia de permanência da empresa no mercado competitivo atual.

Alguém hoje em dia lembra da Olivetti? Certamente só os mais velhos lembram. A Olivetti é uma empresa que foi fabricante de máquinas de escrever “datilografia”, era conhecida mundialmente e todo escritório tinha uma máquinas destas. Porém, com a popularização dos computadores a Olivetti praticamente sumiu do mapa. A Olivetti não faliu, mas demorou muito tempo para se adaptar as mudanças do mercado, hoje em dia existem computadores, tablets, impressoras e outros itens de informática fabricados pela empresa, mas nem de longe a marca possui a fama de antigamente.

Fotos digitais hoje em dia são a coisa mais simples do mundo, mas alguém aí tira fotos com uma Kodak? Acredito que dificilmente encontraremos alguém utilizando uma Kodak. A Kodak foi um ícone quando o assunto era fotografia com os velhos filmes fotográficos, mas perdeu mercado diante das câmeras digitais e não acompanhou a febre das fotografias digitais. Resultado, a empresa com mais de 100 anos pediu falência, mas ainda existe e tenta se reerguer com novos produtos. Só que ninguém ouve falar, é como se não existisse mais.

No Brasil temos exemplos de grandes lojas varejistas que simplesmente sumiram. Arapuã, Mappin, Mesbla, Lojas Hermes Macedo são exemplos de grandes empresas que não conseguiram resistir a concorrência do mercado dos anos 90 e foram a falência. É como se hoje deixassem de existir empresas como a Casas Bahia, Ponto Frio, City Lar, Gazin, Romera, entre outras.

Também na década de 90 o Banco Bamerindus foi comprado pelo HSBC e por um tempo ainda foi chamado de HSBC Bamerindus até que o nome Bamerindus desapareceu completamente. Também nesta época o Banco Nacional e o Banco Econômico quebraram.

A Gurgel foi uma fabricante de veículos 100% nacionais que não resistiu a concorrência e acabou fechando as portas depois de 27 anos de existência.

Como percebemos, as empresas estão expostas a concorrência do mercado e o surgimento de novas tecnologias, aquelas que não conseguem se adaptar podem desaparecer do mercado engolidas pela concorrência ou por falta de inovação.

Empresas Líderes de Mercado: por quanto tempo?

Líderes de mercado

Cada dia que passa surgem novas empresas, outras passam a produzir outros produtos e aumentam a partcipação no mercado, ou seja, cada vez é mais difícil ser líder de vendas em algum segmento.

Antigamente as mudanças no mercado ocorriam de forma lenta, existiam poucos produtos e isso colocava estas empresas como líderes de mercado.

No entanto, as mudanças começaram a ocorrer de forma acelerada e produtos que eram essenciais deixaram de ser adquiridos e praticamente fizeram desaparecer algumas empresas do mercado. Exemplo claro disso é a Olivetti, todo escritório dependia da máquina de escrever, de repente surgiram os computadores e os editores de texto. A máquina de escrever se tornou um item obsoleto, e toda a estrutura de produção da Olivetti foi sucateada.

Outro exemplo é a Kodak, será que alguém ainda utiliza filmes fotográficos? Após a popularização das câmeras digitais o mercado de filmes fotográficos praticamente foi extinto.

Acompanhar a evolução do mercado, as necessidades dos clientes, as novas tecnologias e a inovação são fatores determinantes para manter as empresas vivas.

Em 1977 a Fiat se instalou no Brasil, lançou o primeiro carro movido a álcool no país, hoje é lider de vendas de automóveis por 10 anos consecutivos e ao completar 35 anos de Brasil conseguiu superar sua maior concorrente que por 25 anos teve o carro mais vendido do Brasil.

Investimento em estrutura física, tecnologia, recursos humanos, inovação e principalmente saber ouvir o cliente fizeram a Fiat se tornar líder de mercado.

Existem alguns produtos como a Coca Cola por exemplo, que não precisa melhorar o seu produto, modificar o sabor para agradar o consumidor, mas precisa investir em marketing para conquistar novos clientes. Apesar de ser líder de mercado, os clientes estão optando por produtos mais saudáveis. Pensando nisto a Coca Cola investiu na produção de sucos.

Acreditar que a liderança de mercado será mantida sem esforço e sem necessidade de inovação foi o erro de muitas empresas no passado.

Administração e Sucesso