Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Tag: juros

Quando é hora de fazer um financiamento?

Em tempos de crise e de juros altos é preciso ficar esperto antes de entrar em um financiamento.

Seguem algumas pontos a serem avaliados antes de contratar um empréstimo.

Qual é a finalidade do empréstimo?

Quando é hora de fazer um financiamento?

Se você está querendo pegar dinheiro para comprar uma casa, por exemplo, e com isso vai deixar de pagar aluguel, então isso pode ser considerado um bom negócio. No entanto, se você pretende financiar um carro novo e não possui uma quantia razoável para dar de entrada então definitivamente isso não é um bom negócio.

Vamos analisar os dois casos: Se você deixar de pagar aluguel irá usar este mesmo dinheiro para pagar as parcelas do seu imóvel e além disso, ainda será o dono do seu imóvel.  Em 20 anos pagando aluguel no valor de R$ 1.000,00 mensais você teria gasto com o pagamento de aluguel um total de R$ 240.000,00 com as prestações e ainda assim não seria o dono do imóvel. Portanto, a qualquer momento é interessante sair do aluguel mesmo que para isso seja necessário fazer um financiamento de longo prazo. A exceção fica para aquelas pessoas que trabalham com o dinheiro e fazem ele render ainda mais. Neste caso não seria vantajoso ter o dinheiro investido em um imóvel.

Com o automóvel não é muito diferente. Se você vai financiar um carro e parar de andar a pé ou de transporte público é preciso avaliar alguns pontos. Para quem pode comprar um carro e pagar à vista esta é a melhor opção, mas certamente esse não é o seu caso e o da maioria das pessoas. Muitas vezes a prestação é bastante atrativa, mas é preciso calcular o valor final do veículo. Em um financiamento longo no qual você deu uma pequena entrada para pegar o veículo o valor final pode ser o equivalente ao valor de dois veículos ou quase isso.

Falando em financiamento de veículo a melhor opção é aquela onde você possui uma boa quantia para dar de entrada, 40% ou 50% do valor do veículo. Assim você poderá financiar o restante em poucos anos e conseguir uma redução dos juros, e ao final o valor do veículo não será muito diferente do valor inicial. Em todo caso é bom lembrar que o veículo sofre depreciação ao longo dos anos, por isso quanto menos você pagar menor será o prejuízo em caso de um venda futura.

É preciso analisar bem estas questões antes de adquirir um financiamento, inflação e juros altos aliados ao aumento do desemprego e momento difícil na economia brasileira são coisas que precisam ser levadas em conta. Porque pior do que pagar o dobro do valor por um bem é não ter mais condições de pagar as prestações e perder todo o valor investido.

Pagamento antecipado do financiamento

Em tempos de crise, qualquer que seja o desconto obtido com a antecipação do financiamento é um bom negócio.

Pagamento antecipado do financiamento

No entanto, é preciso avaliar a situação antes de tomar esta decisão. Quitando as parcelas de trás para frente, ou seja, as últimas parcelas você terá o maior desconto. Assim você paga a parcela atual e antecipa a última reduzindo o tempo total do financiamento. Melhor ainda se sobrar um dinheiro e você conseguir pagar várias parcelas de maneira adiantada, assim o desconto será maior.

Observe que nem todos os tipos de financiamento aceitam antecipação de parcelas com direito a desconto, é importante perguntar na hora da contratação se é possível obter desconto pagando parcelas de maneira antecipada. Caso contrário não existe nenhuma vantagem em dispor de seu dinheiro simplesmente para quitar a dívida. Você pode utilizar o dinheiro para outra coisa, já que não conseguirá desconto.

Quanto maior for o período do financiamento, maior será o desconto obtido com o pagamento antecipado, ou seja, se falta apenas um ano para pagar, por exemplo, o desconto será bem pequeno e pode não ser vantajoso. A menos que a intenção seja se livrar da dívida o mais rápido possível.

Supondo que restam apenas 12 parcelas a pagar e o valor total das parcelas é de R$ 12.000,00,  você pretende quitar o financiamento, caso o desconto seja menor do que R$ 1.000,00 pode não ser interessante. Por exemplo, você pode pode utilizar este dinheiro para comprar uma moto nova à vista e obter um ótimo desconto, fazer uma pequena reforma na casa, sair viajar nas férias, etc.

Para saber qual é o desconto vá até a sua agência e verifique a porcentagem que será abatida. Faça seus cálculos e verifique se realmente compensa. Como disse anteriormente, quanto maior o tempo que resta maior será o desconto obtido.

Veja aqui mais informações

Antecipe o pagamento do financiamento e economize dinheiro

Quer antecipar o pagamento do financiamento e economizar dinheiro, isso é possível.

Antecipe o pagamento - ganhe dinheiro

Juros descontos

Antecipe o pagamento do financiamento e ganhe dinheiro. Hoje em dia é comum encontrar uma pessoa com algum empréstimo vigente, seja em dinheiro vivo pego no banco, financiamento de veículo ou casa própria. Muita gente não vê a hora de terminar de pagar logo para se livrar da dívida e principalmente da parcela que pesa no orçamento mensal. Geralmente empréstimos e financiamentos são realizados justamente porque a pessoa quer comprar algo e não dispõem do dinheiro suficiente no momento, mas com o passar do tempo pode começar a sobrar dinheiro e uma excelente opção é começar a pagar mais de uma parcela de cada vez para diminuir o prazo do empréstimo.




Esta é uma boa saída para aqueles que pretendem quitar a dívida o mais rápido possível, para aqueles que não têm pressa o dinheiro pode ser utilizado em outra coisa.

Se você pretende pagar a dívida o mais rápido possível, além da redução do tempo ainda existe a possibilidade de reduzir a quantia de juros pagos ao banco no período. Isto porque quanto maior o prazo, maiores serão os juros. Se você paga hoje uma parcela que só venceria daqui a alguns anos, consequentemente os juros serão menores. Mas como fazer isso? Primeiramente você precisa estar com as prestações em dia e ter uma quantia razoável em mãos para negociar a antecipação com o banco. Se você tiver pouco dinheiro pode optar por pagar uma parcela a mais por mês, neste caso paga a parcela normal e a última de trás para frente. Detalhe, é preciso ir ao banco para obter o desconto pela quitação antecipada. Se você tem uma quantia maior pode quitar várias parcelas de uma única vez, neste caso segue o conselho anterior, pague as parcelas de trás para frente, vá ao banco e negocie a antecipação do pagamento.

Exemplo: um empréstimo de 72 prestações no valor de R$ 717,38, após quitar 20 prestações o indivíduo conseguiu economizar uma quantia considerável, foi ao banco e negociou a antecipação de algumas parcelas. No momento da antecipação o indivíduo tinha em mãos R$ 6.600,00, com este valor conseguiu pagar 23 parcelas de trás para frente. Além de reduzir o tempo do empréstimo de 72 para 49 meses ainda conseguiu uma economia de R$ 9.899,00, pois se as parcelas fossem pagas nas datas normais o custo seria de R$ 16.499.74.

Este é um caso de empréstimo pelo Sistema Price ou Sistema de Amortização Francês onde as prestações são sempre iguais, porém a amortização e os juros são diferentes em cada mês. No caso acima o desconto obtido foi relativamente alto devido as prestações pagas estarem com data de vencimento bem distantes. Em uma nova antecipação o desconto será bem menor, mesmo assim ainda é vantajoso antecipar o pagamento de prestações se houver disponibilidade de dinheiro.




O banco leva em consideração vários itens na hora do pagamento da antecipação, entre eles a taxa de juros atual, a taxa Selic. Existe um cálculo onde é possível ter uma ideia de quanto você conseguirá de desconto em uma provável antecipação. Veja abaixo neste link um exemplo de cálculo de desconto.

https://educandoseubolso.blog.br/2015/05/27/amortizar-o-financiamento-imobiliario/

Gostou do Blog? Então curta nossa página do Facebook

 







 

Comprar à Vista ou no Cartão de Crédito?

Comprar à vista ou no cartão

Cartão de crédito

O cartão de crédito pode até parecer um vilão, e muitas vezes é culpado pelo endividamento das pessoas. No entanto, para quem sabe utilizá-lo é um importante aliado na hora das compras. O cartão de crédito não endivida ninguém, mas sim o próprio usuário que não sabe utilizá-lo que se endivida.

Se você não tem todo o dinheiro em mãos e pretende comprar algo como uma TV por exemplo, supondo que ela custa R$ 1.800,00 à vista ou em até 10 vezes no cartão de crédito. Se você tem condições de pagar uma prestação de R$ 180,00 mensais está é uma boa oportunidade. O preço parcelado é o mesmo a vista, ou seja, o vendedor garantiu que se a compra fosse a vista o preço seria o mesmo. Para que você vai esperar 10 meses juntando o dinheiro para comprar a TV se pode comprá-la hoje mesmo e pagar o mesmo preço parcelado?

Algumas lojas vendem em até 10 vezes sem juros, mas esta opção é apenas para compra no cartão de crédito, ou seja, quem não tem não compra.

O principal problema é a falta de controle no uso de cartões de crédito, algumas pessoas acabam comprando mais do que o orçamento pode pagar. Fazem prestações em várias lojas e quando percebem não tem mais como pagar o valor integral da fatura. Então a pessoa começa a parcelar a fatura e acaba ficando endividada não conseguindo mais quitar seus débitos. Outros possuem vários cartões de diferentes instituições na ilusão que assim aumentam seu limite no cartão de crédito. Ora, você não precisa ter vários cartões para ter maior limite de crédito, o que você precisa é de renda maior, quanto maior a renda e quanto maior a utilização maior será seu limite no cartão de crédito.

O cartão de crédito tem anuidade, mas isso não conta? Conta sim, a anuidade do cartão de crédito é muito menor que a taxa de juros cobrada por algumas lojas que vendem no crediário próprio com prestações a perder de vista, no final das contas você compra um produto e paga quase dois. Portanto, a anuidade passa a ser insignificante.

E os juros do cartão de crédito? Tenho cartão de crédito a vários anos e nunca paguei juros do cartão, simplesmente porque compro apenas aquilo que posso pagar. As operadoras de cartão de crédito estão loucas para que você caia nesta cilada. É bom manter uma planilha com o controle dos seus gastos, não apenas do cartão de crédito, mas incluindo água, energia, internet, celular, aluguel, combustível, alimentação, vestuário, etc. Assim você saberá qual é sua média de gastos mensais e as chances de endividamento no cartão de crédito passa a ser quase nula.

Fica a dica, sempre que o preço parcelado no cartão for igual ao preço a vista é mais vantajoso comprar no cartão, pois assim você pode utilizar o dinheiro que tem em mãos para outras coisas que não pode parcelar.