Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Tag: Financiamento

Entenda a diferença entre empréstimo e financiamento

Empréstimo e financiamento: os dois termos muitas vezes levam as pessoas a tratarem ambos como sinônimos, mas na realidade trata-se de duas operações diferentes entre si. São modalidades distintas de crédito, e cada uma delas serve para determinadas ocasiões.

empréstimos e financiamento

Mas como saber qual é a melhor escolha para cada necessidade?

Empréstimo e financiamento: qual o melhor para você?

Empréstimo: o empréstimo é um tipo de crédito livre, ou seja, não há necessidade de explicar a quem concede o crédito qual a finalidade do dinheiro. O processo do empréstimo é também mais simples: basta apresentar os documentos exigidos pela instituição (normalmente RG, CPF, comprovante de residência e comprovante de renda), aguardar a avaliação da financeira sobre a possibilidade da concessão de crédito, e pronto. Até mesmo pessoas negativadas (ou seja, com o nome sujo na praça) podem obter empréstimo para limpar o nome e quitar dívidas.

Além da quitação de dívidas, o empréstimo é uma ótima opção para despesas de emergência, como gastos com saúde, ou para investimentos em cursos, viagens ou reformas.

Por conta da facilidade, é preciso também ter atenção sobre onde obter o crédito. Busque apenas instituições financeiras confiáveis e conhecidas, e jamais pague qualquer tipo de valor antecipado como sinal. Verifique sempre se as parcelas mensais cabem no orçamento, evitando um novo endividamento.

Financiamento: normalmente utilizado para operações de valor mais alto, o financiamento é uma modalidade de crédito com regras mais rígidas. É preciso informar a finalidade específica do crédito no contrato. O próprio bem financiado (carro, imóvel, entre outros) é a garantia da instituição financeira caso ocorra inadimplência, ou seja, se não houver o pagamento das parcelas devidas. Os prazos para pagamento do montante financiado tendem a ser mais longos, justo por conta do valor elevado dos bens financiados.

A solicitação de um financiamento é mais burocrática do que um pedido de empréstimo, afinal envolve bens com valores altos. A análise de crédito do solicitante é bem mais rigorosa do que em um empréstimo pessoal.

Cada modalidade tem suas especificidades. Antes de decidir qual é a melhor para suas necessidades, avalie com atenção e coloque as despesas na ponta do lápis.

Enviado por: Bruna Rodrigues

Casa própria antes dos 30

Muitas pessoas sonham em ter a casa própria antes dos 30 anos, saiba que realizá-lo é possível

A maioria da população sonha em ter a casa própria e sair do aluguel, e hoje existem várias formas de investir em um imóvel, mas para que esse objetivo seja alcançado é preciso planejamento e organização financeira, assim será possível adquiri-lo até mesmo antes dos 30 anos. E essa é a fase da vida que vale mais a pena fazer esse investimento, pois as vezes um financiamento dura longos anos.

corretores-636x310

É importante aproveitar os vinte e poucos anos da melhor forma, e se planejar para ter um imóvel próprio é uma delas, pois normalmente é o momento da inserção no mercado de trabalho e ainda não há muitos gastos porque muitos ainda vivem com os pais e não constituiu família. Porém, o  lado ruim é que muitos jovens não tem uma grande poupança para dar a entrada no investimento e o salário deve ser de um valor razoável com um emprego seguro, para que possa financiar.

E justamente o benefício ao fazer essa aquisição ainda jovem é o financiamento, uma pessoa que assina um contrato pode financiar em até 35 anos, quanto antes começar, maior será o aproveitamento depois da quitação. O planejamento financeiro deve ser bem claro e seguido à risca, para que as prestações caibam no orçamento. O financiamento pode comprometer até 30% da renda na prestação, mas os cálculos devem ser feitos para que sobre dinheiro e não comprometa o salário todo.

Alguns cuidados devem ser tomados quando a decisão de comprar um imóvel está certa, como investir em algo que caiba no orçamento e saber que muita coisa pode mudar ao longo do processo. O outro lado de ser jovem é a constante mudança e novas oportunidades, principalmente as profissionais. Por isso é melhor pensar em um imóvel mais em conta, bem localizado e que possa se tornar uma renda futura, caso a vida tome outros rumos.

Os imóveis valorizam com o passar dos anos, e isso também deve ser levado em conta, portanto a compra de uma casa ou apartamento simples pode ser uma grande aquisição pensando no futuro. E se a escolha for por um imóvel na planta, é imprescindível que haja muita pesquisa sobre as construtoras e se certificar da veracidade do projeto.

Há diversas opções no mercado, muitos deles em condomínios fechados que são completos, mas é importante contabilizar e planejar as intermediárias e chaves. Os valores mudam durante o tempo de financiamento e isso pode impactar na organização financeira, por isso saiba se terá condições reais e uma reserva até a quitação.

Uma boa forma de saber se está pronto e capacitado para adquirir o primeiro imóvel por um financiamento é poupar todo mês o valor que pretende pagar de prestação, faça isso durante três meses. Se houver dificuldade para guardar a quantia é porque o valor vai pesar no orçamento e então o imóvel deve ser mais barato, ou então o prazo de pagamento deverá ser maior.

Hoje no mercado local existem diversas opções de casas à venda, apartamentos, em bairros ou condomínios fechados. Os valores são variados e se encaixa com a necessidade de cada investidor, basta fazer uma boa pesquisa e contactar uma boa imobiliária.

Escrito por: Jacqueline Gonçalo

 

Empréstimo Bradesco online

Empréstimo Pessoal Online

Encontrar o empréstimo sob medida para suas necessidades pode ser mais simples do que você imaginava. O Bradesco coloca à sua disposição uma linha exclusiva de empréstimos e financiamentos que pode ser contratada com apenas alguns cliques. Confira a seguir as opções de créditos online:

* Crédito Pessoal Online: linha de empréstimo exclusiva para correntistas do Banco
– Limite máximo de R$ 1.000
– Parcelas a partir de R$ 5
– Parcelamento em até 24 vezes
– Após a aprovação do crédito, o valor é depositado de imediato na conta-corrente do cliente
– Forma de contratação: através de Internet Banking

* Crédito Pessoal: linha de empréstimo destinado a pessoas físicas, universitários ou aposentados
– Não é necessário comprovar a finalidade do crédito
– Após a aprovação do crédito, o valor é depositado diretamente na conta corrente do cliente
– Pagamento em até 40 parcelas, debitadas automaticamente da conta
– Forma de contratação: pelo Internet Banking (empréstimo online)

LIMITE DE CRÉDITO PESSOAL: linha de empréstimo destinado a correntistas maiores de 18 anos, com limite pré-aprovado
– Parcelas a partir de R$ 5
– Pagamento em até 48 vezes,
– Pagamento mediante débito automático em conta-corrente
– Forma de contratação: pela internet, pelo celular, Fone Fácil ou nas máquinas de autoatendimento

Saiba agora mesmo qual a melhor linha de empréstimo para você: acesse o site do Bradesco e utilize o simulador online. Siga o seguinte procedimento: clique na opção “Simuladores Bradesco” na parte inferior da sua tela e siga as instruções. Você deve indicar o valor desejado, a data de pagamento da primeira prestação e o prazo. O resultado da simulação irá lhe o valor aproximado da parcela, a taxa de juros e o valor total financiado. Dessa forma, fica mais fácil escolher a alternativa que melhor se adapta ao seu orçamento.

Maiores informações podem ser obtidas através da Central de Crédito (0800 273 3486) ou com seu gerente de relacionamento. Obtenha seu crédito da forma mais simples e ágil: peça hoje mesmo um empréstimo online Bradesco e consiga realizar tudo aquilo que você sempre sonhou.

* O texto que você acabou de ler é um Artigo Patrocinado e foi fornecido por https://www.compareemcasa.com.br/

Quando é hora de fazer um financiamento?

Em tempos de crise e de juros altos é preciso ficar esperto antes de entrar em um financiamento.

Seguem algumas pontos a serem avaliados antes de contratar um empréstimo.

Qual é a finalidade do empréstimo?

Quando é hora de fazer um financiamento?

Se você está querendo pegar dinheiro para comprar uma casa, por exemplo, e com isso vai deixar de pagar aluguel, então isso pode ser considerado um bom negócio. No entanto, se você pretende financiar um carro novo e não possui uma quantia razoável para dar de entrada então definitivamente isso não é um bom negócio.

Vamos analisar os dois casos: Se você deixar de pagar aluguel irá usar este mesmo dinheiro para pagar as parcelas do seu imóvel e além disso, ainda será o dono do seu imóvel.  Em 20 anos pagando aluguel no valor de R$ 1.000,00 mensais você teria gasto com o pagamento de aluguel um total de R$ 240.000,00 com as prestações e ainda assim não seria o dono do imóvel. Portanto, a qualquer momento é interessante sair do aluguel mesmo que para isso seja necessário fazer um financiamento de longo prazo. A exceção fica para aquelas pessoas que trabalham com o dinheiro e fazem ele render ainda mais. Neste caso não seria vantajoso ter o dinheiro investido em um imóvel.

Com o automóvel não é muito diferente. Se você vai financiar um carro e parar de andar a pé ou de transporte público é preciso avaliar alguns pontos. Para quem pode comprar um carro e pagar à vista esta é a melhor opção, mas certamente esse não é o seu caso e o da maioria das pessoas. Muitas vezes a prestação é bastante atrativa, mas é preciso calcular o valor final do veículo. Em um financiamento longo no qual você deu uma pequena entrada para pegar o veículo o valor final pode ser o equivalente ao valor de dois veículos ou quase isso.

Falando em financiamento de veículo a melhor opção é aquela onde você possui uma boa quantia para dar de entrada, 40% ou 50% do valor do veículo. Assim você poderá financiar o restante em poucos anos e conseguir uma redução dos juros, e ao final o valor do veículo não será muito diferente do valor inicial. Em todo caso é bom lembrar que o veículo sofre depreciação ao longo dos anos, por isso quanto menos você pagar menor será o prejuízo em caso de um venda futura.

É preciso analisar bem estas questões antes de adquirir um financiamento, inflação e juros altos aliados ao aumento do desemprego e momento difícil na economia brasileira são coisas que precisam ser levadas em conta. Porque pior do que pagar o dobro do valor por um bem é não ter mais condições de pagar as prestações e perder todo o valor investido.

Pagamento antecipado do financiamento

Em tempos de crise, qualquer que seja o desconto obtido com a antecipação do financiamento é um bom negócio.

Pagamento antecipado do financiamento

No entanto, é preciso avaliar a situação antes de tomar esta decisão. Quitando as parcelas de trás para frente, ou seja, as últimas parcelas você terá o maior desconto. Assim você paga a parcela atual e antecipa a última reduzindo o tempo total do financiamento. Melhor ainda se sobrar um dinheiro e você conseguir pagar várias parcelas de maneira adiantada, assim o desconto será maior.

Observe que nem todos os tipos de financiamento aceitam antecipação de parcelas com direito a desconto, é importante perguntar na hora da contratação se é possível obter desconto pagando parcelas de maneira antecipada. Caso contrário não existe nenhuma vantagem em dispor de seu dinheiro simplesmente para quitar a dívida. Você pode utilizar o dinheiro para outra coisa, já que não conseguirá desconto.

Quanto maior for o período do financiamento, maior será o desconto obtido com o pagamento antecipado, ou seja, se falta apenas um ano para pagar, por exemplo, o desconto será bem pequeno e pode não ser vantajoso. A menos que a intenção seja se livrar da dívida o mais rápido possível.

Supondo que restam apenas 12 parcelas a pagar e o valor total das parcelas é de R$ 12.000,00,  você pretende quitar o financiamento, caso o desconto seja menor do que R$ 1.000,00 pode não ser interessante. Por exemplo, você pode pode utilizar este dinheiro para comprar uma moto nova à vista e obter um ótimo desconto, fazer uma pequena reforma na casa, sair viajar nas férias, etc.

Para saber qual é o desconto vá até a sua agência e verifique a porcentagem que será abatida. Faça seus cálculos e verifique se realmente compensa. Como disse anteriormente, quanto maior o tempo que resta maior será o desconto obtido.

Veja aqui mais informações

Antecipe o pagamento do financiamento e economize dinheiro

Quer antecipar o pagamento do financiamento e economizar dinheiro, isso é possível.

Antecipe o pagamento - ganhe dinheiro

Juros descontos

Antecipe o pagamento do financiamento e ganhe dinheiro. Hoje em dia é comum encontrar uma pessoa com algum empréstimo vigente, seja em dinheiro vivo pego no banco, financiamento de veículo ou casa própria. Muita gente não vê a hora de terminar de pagar logo para se livrar da dívida e principalmente da parcela que pesa no orçamento mensal. Geralmente empréstimos e financiamentos são realizados justamente porque a pessoa quer comprar algo e não dispõem do dinheiro suficiente no momento, mas com o passar do tempo pode começar a sobrar dinheiro e uma excelente opção é começar a pagar mais de uma parcela de cada vez para diminuir o prazo do empréstimo.




Esta é uma boa saída para aqueles que pretendem quitar a dívida o mais rápido possível, para aqueles que não têm pressa o dinheiro pode ser utilizado em outra coisa.

Se você pretende pagar a dívida o mais rápido possível, além da redução do tempo ainda existe a possibilidade de reduzir a quantia de juros pagos ao banco no período. Isto porque quanto maior o prazo, maiores serão os juros. Se você paga hoje uma parcela que só venceria daqui a alguns anos, consequentemente os juros serão menores. Mas como fazer isso? Primeiramente você precisa estar com as prestações em dia e ter uma quantia razoável em mãos para negociar a antecipação com o banco. Se você tiver pouco dinheiro pode optar por pagar uma parcela a mais por mês, neste caso paga a parcela normal e a última de trás para frente. Detalhe, é preciso ir ao banco para obter o desconto pela quitação antecipada. Se você tem uma quantia maior pode quitar várias parcelas de uma única vez, neste caso segue o conselho anterior, pague as parcelas de trás para frente, vá ao banco e negocie a antecipação do pagamento.

Exemplo: um empréstimo de 72 prestações no valor de R$ 717,38, após quitar 20 prestações o indivíduo conseguiu economizar uma quantia considerável, foi ao banco e negociou a antecipação de algumas parcelas. No momento da antecipação o indivíduo tinha em mãos R$ 6.600,00, com este valor conseguiu pagar 23 parcelas de trás para frente. Além de reduzir o tempo do empréstimo de 72 para 49 meses ainda conseguiu uma economia de R$ 9.899,00, pois se as parcelas fossem pagas nas datas normais o custo seria de R$ 16.499.74.

Este é um caso de empréstimo pelo Sistema Price ou Sistema de Amortização Francês onde as prestações são sempre iguais, porém a amortização e os juros são diferentes em cada mês. No caso acima o desconto obtido foi relativamente alto devido as prestações pagas estarem com data de vencimento bem distantes. Em uma nova antecipação o desconto será bem menor, mesmo assim ainda é vantajoso antecipar o pagamento de prestações se houver disponibilidade de dinheiro.




O banco leva em consideração vários itens na hora do pagamento da antecipação, entre eles a taxa de juros atual, a taxa Selic. Existe um cálculo onde é possível ter uma ideia de quanto você conseguirá de desconto em uma provável antecipação. Veja abaixo neste link um exemplo de cálculo de desconto.

https://educandoseubolso.blog.br/2015/05/27/amortizar-o-financiamento-imobiliario/

Gostou do Blog? Então curta nossa página do Facebook

 







 

Gastos com Campanha: fora de lógica

gastos com campanha política

Gastos da eleição

A justiça eleitoral limita os gastos com a campanha eleitoral para evitar gastos exagerados e acima do patrimônio declarado.

Até ai tudo bem, mas vamos comparar a eleição com uma empresa. Para abrir uma empresa fazemos um investimento, dependendo do tamanho da empresa este investimento pode ser bastante alto. No entanto, deve existir um planejamento para avaliar a viabilidade do negócio e quanto tempo irá levar para o negócio começar a dar retorno, ou seja, lucro.

Agora como que pode um candidato gastar por exemplo, R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais) com uma campanha a prefeito? Vamos supor que ele consiga se eleger, digamos que o salário do prefeito seja de R$ 20.000,00 mensais, logo durante o mandato de 4 anos, 48 meses, o prefeito irá receber em salários R$ 960.000,00, ou seja, menos da metade do que gastou para conseguir se eleger. Teoricamente é prejuízo na certa, mas ninguém é maluco de entrar num barco furado destes. Para eleger um candidato os partidos fazem coligações e os empresários investem na campanha esperando receber algo em troca durante o mandato. Aliás, se não for desta maneira, a solução será desviar verbas públicas para cobrir os gastos da campanha política.

O cargo público não é uma empresa que dá lucros, o ganho será apenas o salário recebido mensalmente, portanto, o investimento deveria ser de acordo com o retorno previsto.

Na minha opinião a justiça deveria proibir que os gastos com a campanha política para prefeito, vereador, deputado, senador, governador e presidente fossem maiores do que os salários recebidos durante o mandato. Isso poderia diminuir um pouco da corrupção que assola nosso país.

As doações para campanha realizadas por empresas deveriam ser proibidas, estas empresas que fazem grandes doações para campanhas presidenciais, por exemplo, são as mesmas que frequentemente vencem as grandes licitações em nosso país. Afinal, qual é o interesse das empresas em financiar as campanhas? Vocês acreditam que elas simplesmente gostam dos candidatos e tem dinheiro sobrando para investir em campanhas. Certamente não.

Empréstimos e Financiamentos

As empresas geralmente são financiadas por recursos próprios (Capital Social) ou por recursos de terceiros (Empréstimos, Financiamentos). Quem investe na empresa tem a expectativa de ter um retorno, mas isso não é garantido para todos os investidores, pois se a empresa não tiver lucro nem os proprietários, nem os acionistas terão o retorno que pretendiam.

Por outro lado existe outro tipo de financiamento da empresa que é obrigatória a sua quitação, os empréstimos e financiamentos adquiridos pela empresa devem ser aplicados a fim de que o seu retorno seja maior que o seu custo. Para sabermos se o retorno foi satisfatório devemos calcular o Custo do Capital de Terceiros (KI). Para encontrarmos o Custo do Capital de Terceiros, dividimos as Despesas Financeiras Líquidas pelo Passivo Oneroso, supondo que o Resultado foi 7 %, nesse caso o Retorno sobre o Investimento da Empresa (ROI) deve ter sido superior a 7 %, caso contrário a captação de recursos de terceiros não foi um bom negócio.

Isso é uma questão lógica, não apenas para as empresas, mas também para nós mesmos. Quando vamos pegar algum dinheiro de terceiros devemos fazer com que o retorno seja maior que o seu custo, se pegamos dinheiro emprestado de um banco para comprar um veículo para ser utilizado no trabalho estamos fazendo um bom negócio, mas se esse carro ficar parado na garagem e for utilizado apenas nos fins de semana, talvez isso possa ser um prejuízo, pois a sua utilização não está trazendo o retorno satisfatório, nesse caso um carro usado poderia ser a solução.

A empresa precisa de recursos para o seu funcionamento, portanto precisa obter lucros que possam cobrir as despesas e ainda manter a capacidade de investimentos quando for necessário.

Administração e Sucesso