Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Tag: BR 163

Obras que o Governo Federal nunca termina

transposição Rio São Francisco

Transposição do São Francisco

Todos os governos brasileiros tem problemas quando o assunto é conseguir concluir uma obra dentro do prazo previsto inicialmente. Como o PT está no governo a quase 12 anos vamos fazer um breve levantamento das obras que deveriam ter sido entregues neste período.

BR 163 Cuiabá – Santarém: grande parte de sua extensão foi asfaltada ainda nos anos 80, quando em poucos anos foram feitos centenas de quilômetros de asfalto. No entanto, aproximadamente 1.000 Km não tinham asfalto, sendo sua maioria em terras paraenses. Em 8 anos o Governo do PSDB praticamente nem ao menos mexeu na obra, então veio o PT e o Governo fez várias promessas de conclusão, adiou o prazo várias vezes e hoje em quase 12 anos de governo a obra ainda não está pronta. Existe uma nova previsão de que a obra fique pronta no fim de 2015. Esta rodovia é de extrema importância econômica para o Brasil, Mato Grosso é o principal produtor de grãos e a distância para o norte é bem menor em comparação com o porto de Santos.

Transposição do Rio São Francisco: a obra que teve início no ano de 2007 e que promete levar água a milhões de pessoas no Nordeste deveria ser concluída em 2012 com um custo de 4,6 bilhões de reais. Atualmente a obra já está em 8,2 bilhões de reais e a sua conclusão foi adiada para 2015. Vocês acreditam que ficará pronta neste prazo? Recentemente a presidente disse que a culpa do atraso é a curva do aprendizado, ou seja, o país não sabe fazer este tipo de obra. Faltou planejamento e responsabilidade com o dinheiro público e respeito com os nordestinos que precisam tanto desta água.

Refinaria Abreu e Lima: o projeto de construção da refinaria foi lançado em 2005 com previsão de investimento de 2,5 bilhões, atualmente já está orçada em 20 bilhões de reais e ainda não está pronta. Algumas previsões são de que ficará pronta em 2015.

Ferrovia Norte Sul: a obra já dura mais de 20 anos e ainda não tem previsão de conclusão. Obras como essa poderiam baratear o frete, reduzir o número de veículos nas estradas e contribuir no crescimento do país.

Essas são apenas algumas das muitas obras que o Governo não termino no prazo. Como consequência os custos da obra aumentam e o Brasil deixa de progredir economicamente.

Rodovia BR 163 Cuiabá – Santarém: será que agora o asfalto sai do papel?

Cuiabá - Santarém

BR 163

Não sei exatamente em que ano foi aberta a rodovia que liga Cuiabá a Santarém, porém na década de 80 ela já existia e em tempo recorde foram asfaltados aproximadamente 500 Km de Cuiabá – MT a Santarém – PA. Porém, a agilidade ficou esquecida no tempo e a rodovia também. O trecho asfaltado passou por várias restaurações e até mesmo total reconstrução, no entanto, o trecho de Sinop – MT a Santarém – PA até hoje ainda não foi concluído totalmente.

Uma rodovia com décadas de existência e que vários governos não tiveram a capacidade concluir o asfaltamento. Sarney, Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma, nenhum deles teve capacidade de concluir esta obra de extrema importância para a maior região produtora de grãos do Brasil. Mato Grosso o Estado maior produtor de grãos do país precisa escoar sua produção para os portos da região Sul e Sudeste por falta de logística.

Por que digo que nenhum foi capaz de concluir a obra? Simplesmente porque é a verdade. Dilma também não irá concluir a obra, pois anunciou recentemente que irá conceder o trecho citado a iniciativa privada. Isso mesmo, a BR 163 de Sinop a Santarém também será entregue a iniciativa privada em regime de concessão.

A empresa ganhadora ficará responsável por concluir a obra, fazer sua manutenção e certamente também fará a duplicação. Porém, logicamente irá cobrar pedágio de todos que utilizarem a rodovia.

É uma obra que deveria estar pronta no mínimo uns dez anos atrás, mas quem sabe agora sai. Quem ganhar a concessão tem prazos para cumprir. O governo sempre empurrou com a barriga. Sempre dizem que é uma obra de extrema importância para o desenvolvimento do país.

Então por que será que ninguém foi capaz de terminá-la?

Concessão da BR 163 em Mato Grosso

A Odebrecht foi a vencedora da concessão da BR 163 realizada pelo Governo nesta semana, o trecho que ficará sob concessão tem 850,9 quilômetros e vai da divisa entre Mato Grosso do Sul e Mato Grosso até a cidade de Sinop (MT). O prazo de concessão é de 30 anos. Nesse período, a concessionária terá que fazer obras de duplicação e manutenção da rodovia, além de implantar melhorias.

Serão instaladas praças de pedágio no percurso, sendo que a Odebrecht pode começar a cobrança quando 10% da obra já estiver concluída. A principal melhoria para a rodovia será a sua duplicação, no momento apenas uma parte da rodovia tem obras de duplicação sendo executadas com recursos do PAC.

O número de acidentes na rodovia é extremamente alto, principalmente envolvendo caminhões e muitas vezes com vítimas fatais, o trecho onde ocorrem mais acidentes fica próximo ao município de Nova Mutum.

O tráfego de veículos e caminhões é intenso principalmente na época de colheita, pois grande parte da safra de Mato Grosso é escoada para os portos da Região Sul e Sudeste. A duplicação da rodovia neste trecho vai reduzir o número de acidentes e dar maior agilidade no deslocamento das cargas, tendo em vista que a empresa ganhadora da concesão terá que manter a rodovia em boas condições de trafegabilidade.

Muitos vão criticar a cobrança de pedágio, mas este é um caminho sem volta. Várias rodovias brasileiras serão concedidas a iniciativa privada, assim como estão sendo realizadas concessões de aeroportos e ferrovias.

O Governo Lula foi um grande crítico das privatizações realizadas pelo Governo FHC, no entanto, agora o governo do PT percebe que o país precisa da iniciativa privada para o seu desenvolvimento.

Um País sem Estradas

O Brasil segue batendo recordes em produção agrícola, no entanto, a situação logística ainda é a principal preocupação dos produtores brasileiros. O Estado de Mato Grosso, maior produtor de grãos enfrenta dificuldades para escoar a produção.

A principal rota de escoamento da produção encarece o frete, estradas ruins, combustível caro são os principais fatores. A falta de investimentos em logística é um problema gravíssimo e que persiste  à décadas.

Grandes obras de infraestrutura foram realizadas até os anos 80, um exemplo disso é a BR 163, em poucos anos a rodovia teve sua ligação concluída de Cuiabá à Santa Helena, porém, mais de 30 anos depois a extensão da obra que deveria ligar Cuiabá à Santarém no Pará ainda não foi concluída.  Várias previsões foram feitas, mas a conclusão da obra ainda é um sonho para os produtores matogrossenses que podem reduzir o custo do frete levando a produção até o porto no Pará.

A BR 163 é apenas um exemplo da morosidade dos investimentos em logística no Brasil. Porém, o país não apenas deixou de investir em estradas para escoar a produção, mas deixou de investir em formas alternativas de transporte. A solução para escoar a safra seria o transporte através de ferrovias. No entanto, o déficit de ferrovias no Brasil é imenso, existem projetos para ambos modelos, construção de rodovias e de ferrovias. Mas o investimento necessário é altíssimo, e a previsão de conclusão das obras também é longa. O Governo está buscando alternativas para recuperar o tempo perdido, mas esta buscando a parceria com a iniciativa privada para colocar isto em ação. Milhares de quilômetros de rodovias devem ser entregues para serem administrados pela iniciativa privada, e em troca disso será cobrado pedágio.

É um mal necessário, os motoristas reclamam, mas se as estradas forem conservadas adequadamente é uma boa. Pois o que adianta andar de graça pelas estradas, mas o asfalto ter mais buracos do que uma peneira. Aliás, de graça não é, todos pagam impostos, mas se o Governo não é competente para manter conservadas as rodovias, é melhor que privatize tudo mesmo.

Estrutura Logísitica no Brasil

BR 163

Recente estudo realizado pelo CNT – Conselho Nacional do Transporte diz que mais da metade das estradas brasileiras possui deficiências. Desse total 26,9% são ruins ou péssimas, apesar dos investimentos terem aumentado nos últimos anos, o Brasil ainda investe muito pouco nas rodovias. O estudo diz que o Brasil precisa investir 200 bilhões de reais em rodovias, no entanto investiu apenas 9 bilhões em 2010.

Um exemplo claro de falta de investimentos e morosidade é a pavimentação da BR 163, Cuiabá-Santarém, a obra deveria ficar pronta em dezembro de 2011, porém a previsão de término já foi adiada para dezembro de 2012. Tudo bem se a rodovia fosse nova, mas ela foi aberta nos anos 70 e até hoje não foi comcluída a pavimentação. A conclusão dessa obra beneficiará o Estado de Mato Grosso que é o maior produtor de grãos do país, reduzindo os custos de logística, diminuindo o desperdício de grãos que se perdem pelo caminho, diminuindo o tráfego de veículos pesados para a região sul e sudeste e reduzindo números de acidentes. 

A BR 163 é apenas um exemplo de falta de investimentos em infra-estrutura, esta inda não foi concluída, outras já, porém estão totalmente desgastadas e precisam ser recuperadas urgentemente.

Administração e Sucesso