Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Categoria: Política (page 2 of 7)

Novo seguro-desemprego, veja o que mudou

Novas regras do seguro-desemprego já estão valendo. Você já sabe o que mudou?

Seguro-desemprego

Seguro-desemprego

Anteriormente a Medida Provisória que alterou o seguro-desemprego era muito fácil conseguir o benefício, bastava ter 6 meses de trabalho com carteira assinada para ter direito ao benefício. Muitos usavam de má fé e recebiam o benefício indevidamente, porém, com a nova regra isso não vai mais acontecer. No entanto, aqueles que realmente precisam do benefício terão bastante dificuldade para consegui-lo.

A partir do dia 28 de fevereiro de 2015, para ter direito ao primeiro benefício é preciso ter trabalho no mínimo 18 meses. Isso quer dizer que se você foi demitido quando tinha apenas 17 meses de trabalho não terá direito ao benefício.

Para ter direito ao segundo pedido agora é preciso trabalhar por no mínimo 12 meses e para um terceiro pedido é preciso trabalhar pelo menos 6 meses. Percebe-se que o mais difícil realmente é conseguir o primeiro benefício, por um lado vai reduzir os custos do Governo e por outro vai prejudicar quem realmente precisa.

No primeiro pedido o trabalhador terá direito a 4 parcelas se trabalhou entre 18  e 23 meses, ou cinco parcelas se trabalhou pelo menos 24 meses no período.

No segundo pedido o trabalhador terá direito a 4 parcelas se tiver trabalhado no mínimo 12 meses, caso tenha trabalhado pelo menos 24 meses terá direito a 5 parcelas.

No terceiro pedido o trabalhador terá direito a 3 parcelas pelo menos 6 meses, 4 parcelas se tiver trabalhado entre 12 e 23 meses, 5 parcelas se tiver trabalho no mínimo 24 meses.

Como podemos observar ficou bem mais difícil de conseguir o benefício, o melhor mesmo é torcer para não ser demitido sem justa causa. É melhor ter um salário ruim do que ficar desempregado sem receber seguro-desemprego.

Como anda a logística de transporte no Brasil?

Logística no Brasil

Transporte no Brasil

A greve dos motoristas no Brasil expõe um problema crônico que o país tem. Este problema é a dependência quase que na totalidade do transporte por meio de rodovias, mas precisamente por caminhões. Em pouco mais de uma semana de greve já começam a faltar produtos em supermercados, lojas, postos de combustíveis estão fechados, falta gás de cozinha e tudo aquilo que depende do transporte rodoviário fica com o prazo de entrega comprometido.

Grandes empresas alimentícias correm risco de parar as atividades por falta de insumos e por não poderem despachar seus produtos. Frigoríficos não conseguem enviar a carga processada. Portos não conseguem receber cargas comprometendo o embarque em navios. Ou seja, o país é realmente dependente do transporte rodoviário.

O Brasil nunca levou realmente a sério outras alternativas de transporte, como o ferroviário, hidroviário e aéreo. Esse modais de transporte existem, mas representam uma parcela pequena em comparação com o transporte rodoviário.

O Estado de Mato Grosso, maior produtor de grãos do país é totalmente dependente do transporte rodoviário para escoar a safra. Mesmo em se tratando de rodovias que é o principal meio para o transporte o Governo Federal deixa a desejar, como exemplo tem a BR 163 Cuiabá Santarém que poderia reduzir a distância e diminuir o fluxo de caminhões para o Sul e Sudeste. Esta rodovia foi aberta ainda nos anos 80 e até hoje ainda não foi totalmente asfaltada.

Hidrelétricas são construídas nos rios pelo país sem que exista no projeto a inclusão de eclusas para viabilizar o transporte por hidrovias.

Ferrovias demoram décadas para sair do papel, outras são mal projetadas e acabam sofrendo atrasos e custam muito mais do que deveriam.

Esse é o reflexo de décadas de descaso com a infraestrutura logística no país, sem caminhão o Brasil para, não totalmente, mas chega perto disso.

A falta de água no Brasil

Falta de água

falta de água

O Brasil esta passando por um problema sério de falta de água potável para abastecimento da população nas grandes cidades. Esse sempre foi um problema da Região Nordeste do país, porém nunca atingiu de maneira severa a Região Sudeste como acontece atualmente.

 

Os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais enfrentam problemas com a falta de chuva. Aliás, está chovendo, porém mesmo que as chuvas se normalizem não é suficiente para recuperar o nível dos reservatórios em poucos meses. Isso ainda vai levar algum tempo, caso as chuvas caiam com normalidade. Mas de quem é a culpa da falta de água? O Governo Federal põe a culpa nos Estados, os Estados por sua vez culpam o Governo por falta de recursos. Já sei, a culpa é de São Pedro que não mandou chover o suficiente.

Tirando a ironia de lado, todos são culpados, é claro com exceção de São Pedro. A falta de chuvas em abundância já ocorre a algum tempo, esta situação que está aí agora poderia ser prevista. Governos estaduais e federal poderiam ter realizado investimentos para prevenir o pior. O racionamento de água poderia estar vigente a bastante tempo para reduzir o consumo de água. Os habitantes já deveriam estar fazendo economia de água desde o primeiro momento em que se ouviu sobre a possibilidade de faltar água.

E agora, o que fazer? Existem muitas soluções, algumas simples e outras bastante complicadas.

A solução mais simples é a economia, ou seja, a redução do consumo. Gestos simples que muitos estão careca de saber e mesmo assim não estão nem um pouco preocupados, só vão lembrar disso o dia que faltar água mesmo. Vamos ver algumas soluções simples.

Abrir o registro do chuveiro apenas para se molhar e depois fechar em seguida, só abrir novamente para enxaguar o corpo.

Manter a torneira fechada enquanto escova os dentes, enquanto lava a louça abrir apenas molhar e para enxaguar.

Lavar o carro em casa com um balde de água. Usar água da máquina de lavar roupas para limpar as calçadas.

Molhar as plantas só quando necessário.

Coletar água da chuva e armazená-la para limpeza da casa.

Lavar roupas apenas em grande quantidade evitando desperdício. Se você mora na beira de um córrego não jogue lixo nem esgoto dentro dele.

Soluções mais complicadas.

Despoluir rios como o Tietê.

Multar pesado empresas que poluem rios que poderiam fornecer água para a população. Multar pessoas que consomem muita água.

Tratar a água poluída para que possa ser consumida.

Utilizar a água do mar para consumo humano (retirar o sal), pode ser muito caro, mas é um absurdo ficar sem água com tanta água salgada que temos no planeta.

Fazer edificações sustentáveis que coletam a água da chuva e utilizam para limpeza e higienização de banheiros, tratamento da água antes de despejá-la no esgoto, ou reutilizá-la sempre que possível.

Recuperar nascentes, reflorestar beiras de rios.

Tudo isso não é ficção, na realidade já existe a tecnologia, apenas falta vontade e interesse de colocar em prática.

Também publicado em: http://www.administradores.com.br/artigos/cotidiano/a-falta-de-agua-no-brasil/85293/

Fonte da imagem: https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcS69EMU4drvG2wyVYjOHn-SSTEKJXHWOV88BHE08Nu3A4_oXg03ww

Por que a educação no Brasil ainda é ruim?

Educação no Brasil

Educação no Brasil

Recentemente foi divulgado o resultado do Enem de 2014 com dados preocupantes. O desempenho dos estudantes piorou em alguns aspectos em relação ao ano de 2013. Entre as pioras uma queda de 7% no desempenho em matemática e o mais terrível de tudo. Mais de 500 mil tiraram nota zero em redação, ou seja, quase 10% dos estudantes que fizeram o Enem. Estes estudantes perdem a chance de entrarem na universidade neste ano por causa da nota zero em redação.

Isso tudo é reflexo do que? O Brasil diz que está investindo cada vez mais em educação, mas cadê a melhora?

Ainda temos poucos jovens na universidade. Também pudera em um país onde pouco mais da metade dos jovens conclui o ensino médio na idade correta. Se está investindo, então por que não melhora?

A resposta pode ser a seguinte. O Governo está investindo mais, porém ainda investe pouco em relação ao necessário.

Se perguntarmos a um jovem que está cursando o ensino médio qual é a profissão que ele deseja ter, dificilmente ouviremos que ele pretende ser professor. Isso é o reflexo da situação precária da educação brasileira. Onde um professor precisa trabalhar em três turnos para conseguir um salário razoável e em consequência não tem tempo para preparar aulas, corrigir provas e trabalhos. Por este motivo faltam professores qualificados nas escolas, onde ainda existem muitos professores em sala de aula que não possuem um curso superior. Sobra boa vontade, mas falta qualificação.

Nas universidades a situação não é muito diferente. O governo criou várias universidades e institutos federais, mas isso não era suficiente. Para tentar reverter a situação criou o ProUni, onde universidades privadas passaram a absorver aquilo que o governo não dava conta. Hoje as instituições privadas respondem pela maior parte das matrículas no ensino superior no Brasil.

As instituições privadas de nível superior geralmente possuem boa estrutura física, no entanto, falham no quesito quadro de professores. Enquanto nas universidades publicas a maioria dos docentes possui mestrado e doutorado, esta já não é a realidade das instituições privadas.

Pensam em virar professor apenas aqueles que amam a profissão, em muitas áreas as disciplinas são lecionadas por profissionais com outras formações o que acaba prejudicando o aprendizado.

Falta de estrutura + falta de qualificação + falta de investimento = alunos com baixo rendimento escolar

Fonte da imagem: http://www.blogdozebrao.com.br/v1/wp-content/uploads/2014/05/BRASIL-%C3%89-O-ANTEPEN%C3%9ALTIMO-EM-RANKING-GLOBAL-DA-EDUCA%C3%87%C3%83O.jpg

O Paraíso da Corrupção

o paraíso da corrupção

paraíso da corrupção

É isso o que o Brasil parece ser, o paraíso da corrupção. Um país onde as notícias sobre corrupção em todas as esferas do Governo são constantes. Um país onde quem desvia milhões dos cofres públicos fica preso pouco tempo, quando fica.

Um país onde uma das maiores empresas do país está tomada pela corrupção, fazendo com que aquilo que deveria gerar riquezas para o país está na verdade dando prejuízos. Um país onde as evidências sobre corrupção no Governo estão em toda parte e a justiça não é capaz de tomar uma atitude para tirar esta corja do poder. Por muito menos Collor sofreu um impeachment, dizem que contra ele existiam provas, mas contra o governo petista dizem não existir provas. Mas seria possível tanta corrupção ocorrer sem que o Governo não tivesse nenhum conhecimento disso?

A verdade é que o país possui muita riqueza, mas a aplicação dos recursos não é feita da maneira que deveria.

O país continua fazendo feio quando o assunto é educação, os indicadores não melhoram, metade dos jovens não conclui sequer o ensino médio. Um país onde grande parte dos professores não possui graduação. Um país onde os jovens não querem de maneira alguma tornarem-se professor. Isso porque o salário de professor é degradante, um professor precisa lecionar em três períodos para conseguir sobreviver e não tempo nem ao menos para preparar aulas.

Afinal para que estudar em um país onde a educação nunca foi uma prioridade do Governo, não é preciso ter diploma para aprender a ser corrupto. A impunidade que vemos em nosso país é um desestímulo para aqueles que ainda acreditam na honestidade e de quem ainda acredita que o Brasil pode ser uma país melhor para viver.

O apagão do Governo Dilma

Apagão no Brasil

Apagão

Uma das promessas de campanha de Dilma era de que em seu Governo não haveria apagão como ocorreu no Governo do PSDB.

Mal começou seu segundo mandato e já enfrentamos o primeiro apagão de 2015. A culpa pode ser em parte da falta de chuvas, mas o Governo tem uma parcela de culpa muito maior. Na realidade o apagão foi planejado, a energia deixou de ser fornecida parcialmente em 11 estados para evitar um colapso no sistema elétrico, pois o consumo atingiu recordes e o sistema poderia ficar sobrecarregado a qualquer momento.

Isso mesmo, o consumo poderia ser maior do que a energia disponível no país. E o Governo tem culpa sim. Algumas obras de hidrelétricas que já deveriam estar prontas estão atrasadas. A Hidrelétrica Teles Pires está com o cronograma de obras dentro do prazo e deve ficar pronta em abril, mas a linha de transmissão deve ficar pronta apenas no mês de julho. A Usina de Belo Monte já deveria estar gerando energia parcialmente.

As desculpas são muitas, mas os estádios para a Copa por mais atrasos que enfrentaram ficaram prontos a tempo de sediar os jogos da Copa. As hidrelétricas também deveriam estar prontas antes do país enfrentar falta de energia, ou será que o Governo deu mais atenção para a Copa do que para as Hidrelétricas.

O Governo ainda continua dizendo que não existe risco de apagão como aconteceu no passado. Mas o que vemos não é isso, já foram vários apagões no primeiro Governo Dilma. Hoje as Usinas Termoelétricas representam grande parte da produção de energia do país aumentando o custo de produção. Em consequência disso pagamos mais caro pela energia e ainda corremos risco de apagão. Aliás, o Governo Dilma é um verdadeiro apagão.

Preço do Petróleo cai, mas preço do combustível aumenta no Brasil

Preço da gasolina

Aumenta imposto da gasolina

O preço da gasolina e do óleo diesel já estavam bastantes altos, mesmo o Governo dizendo que a Petrobras estava tendo prejuízos por causa dos preços praticados que estavam abaixo do mercado Internacional.

No entanto, nos últimos meses o preço do barril de petróleo caiu no mundo inteiro, fato este que fez o preço da gasolina cair muito em alguns países pelo mundo. Este é o caso dos Estados Unidos onde o preço da gasolina caiu muito com a queda do petróleo.

Mesmo com a queda do petróleo, no Brasil em momento algum foi cogitado a queda nos preços dos combustíveis, muito pelo contrário, no final do ano de 2014 houve um aumento e agora no início de 2015 o Governo dá outro golpe nos brasileiros. O Governo anunciou um aumento de impostos nos preços dos combustíveis, R$ 0,15 para o litro do diesel e R$ 0,22 para a gasolina. Este reajuste é para as refinarias, mas certamente que será totalmente repassado para o consumidor. Aliás, o preço para o consumidor certamente será maior.

O aumento da gasolina prejudica muito quem precisa do veículo para o trabalho e o aumento do preço do diesel que já estava bastante alto pode desencadear aumento de preços em vários setores. Já que o aumento do diesel aumenta o custo do transporte de produtos por rodovias.

Como se sabe no Brasil o preço dos combustíveis em grande parte é formado por impostos, esperar que o preço caísse é o mesmo que acreditar em Papai Noel. Afinal, de algum lugar o Governo precisa tirar dinheiro para cobrir os rombos da Petrobras e fraco crescimento do país. O lugar escolhido foi o bolso do cidadão.

Cadê o Pré-sal? O Brasil não ia ser um dos campeões de produção de petróleo? Tem especialista dizendo que a exploração do Pré-sal é simplesmente inviável no preço que o petróleo está atualmente.

http://brasil.elpais.com/brasil/2015/01/13/politica/1421170670_187160.html

Corrupção no Brasil: a mudança deve começar em nossas atitudes

Corrupção no Brasil

Diga não à corrupção

A corrupção assola nosso país e constantemente ouvimos pessoas reclamando e pedindo mudanças na política brasileira. Porém, este é um problema difícil de ser resolvido. Recente pesquisa mostrou que a maioria dos brasileiros procuram sempre um jeitinho para burlar as regras. Pode parecer que não, mas pequenas atitudes típicas que cometemos no dia a dia são formas de corrupção, embora não façam o mesmo estrago das noticiadas na TV, são atitudes que prejudicam as pessoas e dão prejuízos para nosso país.

Todos sabem que é proibido ingerir bebida alcoólica e dirigir veículos, no entanto, as blitz de trânsito encontram com frequência pessoas sem a mínima condição de dirigir atrás de um volante. Pessoas bêbadas ao volante são responsáveis por milhares de mortes todos os anos. Além da perda de vidas, isso dá um prejuízo incalculável para o Governo com o uso dos hospitais para tratamento dos feridos em acidentes de trânsito.

Um dia destes, eu seguia com meu veículo quando de repente a pessoa que estava dirigindo o veículo a frente jogou uma lata de cerveja pela janela do veículo. São três infrações, dirigir sob a influência de álcool, utilizar apenas uma das mãos no volante e jogar lixo em via pública. Este é um exemplo de como as pessoas não respeitam as leis.

Posso enumerar várias atitudes que as pessoas fazem no dia a dia e acreditam que não estão fazendo nada de mais.

Dirigir veículo sem habilitação, com documento vencido, sem os documentos do veículo ou pessoais, excesso de velocidade, desrespeito a sinalização, desrespeito aos pedestres, veículo com pneus carecas e equipamentos de segurança que não funcionam.

Cortar filas, utilizar assentos reservados para pessoas que realmente precisam, subornar guardas de trânsito, utilizar a posição social para levar vantagens, não pagar dívidas no prazo combinado.

Subornar agentes públicos para ir para frente da lista de espera, receber benefícios sociais sabendo que não se enquadra nos critérios preestabelecidos, sair do emprego para receber seguro-desemprego, arrumar emprego e continuar sem registro para não perder o seguro-desemprego, utilizar veículos ou outros bens públicos para uso particular.

Exercer profissão ilegalmente, sonegar impostos, desviar dinheiro de obras de caridade, pedir isenção de taxa de concurso público sem ter direito, etc.

Estas são apenas algumas das situações que ocorrem diariamente e que são formas de corrupção ou descumprimento das leis.

Se quisermos um país menos corrupto temos que começar mudando nossas atitudes, não podemos exigir um país melhor quando nós mesmos não fazemos a nossa parte.

Fonte da imagem: http://radaramazonico.com.br/wp-content/uploads/2013/04/chega-de-corrup%C3%A7%C3%A3o.jpg

Aumento do preço da gasolina, por que só agora?

Depois de muito tempo sendo anunciado, finalmente o não tão esperado aumento da gasolina saiu.

O Governo dava pistas de que o aumento sairia mesmo, mas não dizia quando. Aliás, diziam que o aumento era necessário para que a Petrobras retomasse a sua capacidade de investimento. No entanto, este aumento segundo especialistas, já deveria ter sido anunciado há muito tempo. Porém, como tentativa de manter o controle da inflação, o Governo postergou o aumento e só agora anuncia o reajuste de 3% para a gasolina e 5% para o óleo diesel nas refinarias. Para o consumidor o reajuste deve ficar entre 2% e 4%.

Mas será por que o Governo esperou a eleição passar e a poeira baixar para anunciar o aumento. Medo de perder votos? Se realmente o preço da gasolina está dando prejuízos para a Petrobras por que este aumento não saiu antes? A tendência é que ocorram novos aumentos para compensar esta defasagem.

O reajuste pode parecer pouco, mas a questão é que o consumidor não vai ao posto de combustíveis para comprar 1 litro de gasolina, tem gente que gasta centenas de litros por mês porque trabalha com o automóvel. Por isso por menor que seja, o reajuste tem impactos no bolso do consumidor e na inflação.

Quem tem a opção de abastecer com álcool certamente irá fazer isso, pelo menos enquanto for vantajoso, ou seja, onde o álcool está custando no máximo 70% do preço da gasolina.

Porém se todos preferirem o álcool logo faltará produto no mercado, assim o consumidor será obrigado a usar gasolina. Aliás, a falta de incentivo a produção de álcool tem um motivo, manter a venda de gasolina em alta, afinal o álcool não é feito de petróleo.

 

Para entender a derrota de Aécio

derrota de Aécio Neves

Eleições 2014

A menos que as pesquisas estivessem muito erradas, a derrota de Aécio Neves já era esperada. No entanto, como era previsto a diferença entre os dois candidatos foi bem pequena em numero de votos, considerando a grande quantidade de eleitores existentes no Brasil. Apenas 3.459.963 milhões de votos a mais para Dilma. Considerando votos válidos 51,64% para Dilma e 48,36% para Aécio, com 54.501.118 milhões de votos para Dilma e 51.041.155 milhões de votos para Aécio. Foi o pior desempenho do PT em percentual de votos desde a vitória de Lula em 2002 e o melhor desempenho do PSDB no mesmo período. Os números mostram que cada vez menos pessoas estão votando no PT, e cada vez mais pessoas estão votando no PSDB.

Alguns dizem que a culpa foi de Minas Gerais, Estado de Aécio onde Dilma venceu a eleição no Estado, mas venceu com pouco mais de 500 mil votos de diferença, no entanto, esquecem que Dilma também é mineira. Por outro lado Dilma perdeu a eleição no Rio Grande do Sul, Estado onde viveu e fez carreira política após a ditadura militar.

Comparando o resultado das eleições de 2010 e de 2014, vemos que o PT e o PSDB venceram nos mesmos Estados nas duas eleições, com exceção temos o Distrito Federal onde Dilma venceu em 2010 e agora em 2014 foi massacrada 61,90% para Aécio e 38,10% para Dilma.

Entre os Estados com maior número de eleitores Dilma venceu no Rio de Janeiro e Minas Gerais e Aécio venceu em São Paulo. Nestes três Estados Aécio fez mais de 24 milhões de votos e Dilma pouco mais de 19 milhões de votos. Se juntarmos os três Estados do Sul e o Estado de Goiás, Aécio fica com mais de 35 milhões de votos e Dilma com mais de 27 milhões. Portanto, vemos que a votação de Minas Gerais não influencia no resultado final. No entanto, se analisarmos os Estados do Nordeste vemos que estes sim influenciam muito no resultado, como a Bahia, onde Dilma fez quase 3 milhões de votos a mais do que Aécio. Pernambuco quase 2 milhões de votos a mais e Maranhão 1,8 milhão de votos a mais. Em alguns Estados Dilma ficou perto de 80% dos votos.

Na minha opinião o Nordeste não foi responsável pela vitória de Dilma, mas sim os eleitores que deixaram de votar em algum dos candidatos. Muitos eleitores estavam insatisfeitos e anularam seus votos ou simplesmente deixaram de votar. Estes eleitores não queriam nenhum dos dois candidatos, mas não existia uma terceira opção. Entre votos brancos e nulos foram mais de 7 milhões, enquanto mais de 30 milhões de eleitores se abstiveram.

A vitória do PT faz acreditar que no Brasil está tudo em ordem, não temos problemas na segurança pública, saúde, educação, economia, transporte, saneamento básico, corrupção não existe, etc.

Dizem que o PSDB foi um péssimo Governo, mas grande parte dos eleitores de hoje não lembra de como era o Brasil antes do Governo FHC, portanto, nem ao menos podem opinar sobre isso. Se o PT está perdendo espaço e o PSDB não é bom, então porque é que Marina Silva não foi para o segundo turno. Será que Eduardo Campos teria chances, infelizmente isto nunca saberemos.

« Older posts Newer posts »
Administração e Sucesso