Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Category: Política (page 1 of 7)

Mudanças na CLT: bom ou ruim?

Na teoria o Governo diz que a aprovação das mudanças na CLT é uma vitória na luta com o desemprego, mas por outro lado também é muito criticada levando aos trabalhadores a perder direitos já garantidos. Qual é a verdade?

Mudanças na CLT

Serão permitidos acordos coletivos e se aprovados serão reconhecidos como lei. Acordos coletivos já existem e como o próprio nome diz não é aprovado por apenas uma pessoa, mas em conjunto entre empregador e empregados, portanto, isso não muda em muito o que já existe hoje.

Com a reforma trabalhista, a negociação entre empresas e trabalhadores prevalecerá sobre a lei em pontos como parcelamento das férias, flexibilização da jornada, participação nos lucros e resultados, intervalo de almoço, plano de cargos e salários e banco de horas.

Outros pontos, como FGTS, salário mínimo, 13º salário, seguro-desemprego, benefícios previdenciários, licença-maternidade, porém, não poderão ser negociados.

Como podemos ver as mudanças não atingem o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço que o trabalhador continuará a ter direito quando for demitido, também não afetará o 13º salário que o trabalhador tem direito no final do ano, seguro-desemprego, aposentadoria e licença maternidade.

A aposta do Governo é de que a taxa de desemprego caia bastante com a entrada em vigor das mudanças aprovadas. Para efetivamente sabermos se isso realmente vai acontecer é preciso esperar para ver.

Mudanças na legislação trabalhista visam geralmente reduzir a burocracia na hora de contratar um trabalhador e reduzir custos do setor previdenciário, como foi no caso das mudanças no seguro-desemprego. Elas visam reduzir as despesas do Governo e consequentemente não são boas para quem teria direito a receber e agora não tem mais.

O tempo vai dizer, as taxas de desemprego são divulgadas periodicamente, quem se submeter a essas mudanças também poderá opinar sobre e dizer se isso foi afinal bom ou ruim para o trabalhador. Por mais que digam que isso é bom, o trabalhador sempre ficará preocupado com qualquer mudança nas leis trabalhistas.

Brasil vive uma crise sem fim

O Brasil vive uma crise sem fim, deixando de lado ideologias políticas é possível perceber que o problema é muito mais grave do que aparenta.

Brasil vive uma crise sem fim

O desemprego atingiu números assustadores e a inflação alta ameaçava dar as caras novamente. A então presidente Dilma sofreu impeachment, o que por alguns foi chamado de golpe. Golpe ou não é absolutamente verdade que Dilma já não conseguia mais governar o país que estava cada dia pior, mesmo ela tendo colocado em prática tudo o que disse que não faria durante a sua campanha. Lógico que não seria reeleita se tivesse falado a verdade durante a campanha.

Temer assumiu o Governo interinamente, em meio as denúncias e os envolvidos na operação lava jato o Governo também tomou medidas pouco populares com o objetivo de tirar o país da crise. O fato é que muita gente envolvida no Governo foi acusada de envolvimento em corrupção, não apenas de um partido ou de outro, mas sem distinção as denúncias foram ocorrendo e as delações foram enfraquecendo o Governo.

Apesar de tudo isso a economia já apresentava sinais de melhora, mas então ocorrem novas denúncias e agora o próprio presidente Temer é acusado de corrupção. Também uma das maiores empresas brasileiras e do mundo está envolvida em um esquema de propina que envolve vários políticos.

A pequena recuperação da economia está ameaçada e o Governo também. Será que por de trás de tantas denúncias não existe algo verdadeiro? Todas as denúncias contra o antigo Governo e o atual são infundadas? Acredito que não. Os políticos brasileiros em sua maioria almejam o poder apenas para benefício próprio, jamais pensando no bem do povo.

A única forma de acabar com toda essa cambada de corruptos seria tirar todos os políticos que estão em Brasília e ainda proibi-los de se candidatarem novamente. Criar leis que impeçam o recebimento de doações de empresas para campanha e reduzir as mordomias que nossos deputados possuem.

Sei que tudo isso não passa de utopia, pois jamais aprovariam algo que os prejudicasse. Então só nos resta esperar que um dia isso acabe e o país possa se tornar um país desenvolvido e não simplesmente o país do jeitinho.

Um muro em tempos de globalização

Recentemente o presidente eleito dos Estados Unidos anunciou a construção de um muro para fechar totalmente a fronteira entre Estados Unidos e o México.

Borderbeachtj

 

Em tempos de globalização é o mesmo que voltarmos a viver na pré-história. O muro que deve custar bilhões e bilhões de dólares promete impedir a entrada de imigrantes ilegais nos Estados Unidos. O muro finalizado incluindo a parte que já existe totalizará aproximadamente uma extensão de 3 mil quilômetros. Na prática os Estados Unidos construiriam o muro e depois o México ajudaria a pagar o gasto da obra. Provavelmente o México não aceitará essa proposta.

Já imaginou se o Brasil resolvesse construir um muro para fechar as suas fronteiras? O Brasil possui mais de 15 mil quilômetros de fronteira terrestre. Certamente que a obra nunca sairia do papel, pois uma simples rodovia que corta o país “BR 163” mesmo depois de 30 anos ainda não foi concluída. Isso sem falar no esquema de corrupção que a obra seria envolvida.

A fronteira entre Estados Unidos e México é bem menor, mas não deixa de ser algo difícil de ser vigiado.

A simples construção de um muro não impede que as pessoas usem equipamentos para conseguir pulá-lo ou até mesmo outros meios para danificar o muro e causar buracos na estrutura. Para que o muro seja eficiente precisará ser vigiado por 24 horas diariamente para sempre. Portanto, além da despesa com a construção de um muro que até hoje não foi necessário, também existirá a despesa com a sua vigilância sendo necessário milhares de homens para a tal tarefa.

Por si só o muro não resolve o problema, pois o espaço aéreo ainda estará livre e a zona costeira também. O mundo precisa de ideias para unir os povos e acabar com os conflitos, não de muros para aumentar o preconceito e a desunião entre os povos.

O Brasil tem solução?

O Brasil passa por um momento de instabilidade política, aumento do número de desempregados, crise no sistema penitenciário e na segurança pública, sem falar que não consegue avançar no quesito educação pública de qualidade.

e071acc32c7e4befc3022bf1715b6773_XL

Não adianta dizer que a culpa é do atual presidente, isso porque a crise no país já se acentuava muito antes dele assumir a presidência.

Cada país tem as suas peculiaridades, mas se nada dá certo por aqui então por que não copiar coisas que estão dando certo em outros países?

Sabe-se que a educação é o pilar para o desenvolvimento de um país, os países que mais investem em educação de qualidade colhem os benefícios desse investimento. Então por que o Brasil não copia Coreia do Sul e Finlândia? O pilar utilizados por ambos é professores de ponta, com reconhecimento profissional e boas condições de trabalho.

No Brasil os professores de ponta estão nas universidades, na educação básica estão os professores com menor qualificação e que possuem salários relativamente baixos e más condições de trabalho, o que reflete na formação de novos professores. Basta uma pesquisa rápida para provar que hoje em dia são poucos aqueles jovens que pretendem seguir a profissão. Basta se espelhar no que está dando certo em outros países.

A mesma coisa acontece com a questão da violência, no mundo existem vários exemplos bons a serem seguidos para resolver os problemas enfrentados pelo Brasil, basta copiá-los. Mas sempre lembrando que a educação é o pilar de tudo, se o país investir pesado em educação quem sabe um dia precisará fechar presídios invés de construir novos assim como faz a Suécia.

Talvez seja utopia acreditar que algum dia o Brasil vai se tornar um país desenvolvido e com os problemas de saúde, segurança e educação resolvidos ou controlados, mas na minha opinião isso só depende de vontade daqueles que governam este país e que ao que tudo indica só estão preocupados com o próprio bem estar. Afinal para eles isso não é um problema, afinal não utilizam a rede pública de educação, sistema público de saúde e também não se preocupam tanto assim com a segurança, pois andam em carros blindados e possuem segurança vinte e quatro horas.

Sonhar é permitido!

 

A desilusão da Copa e das Olimpíadas no Brasil

A desilusão da Copa e das Olimpíadas no Brasil é muito maior do que os benefícios que irão ficar para a posteridade

Quando o Brasil foi escolhido para sediar a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 isso foi motivo de muita alegria por parte de muitos brasileiros. Isso porque o Brasil foi sede da Copa do Mundo em 1950 e teria uma nova oportunidade para ganhar o título em casa. Pelas Olimpíadas porque depois de se candidatar a vaga por várias vezes finalmente o país foi escolhido como sede. Até aí tudo bem.

A desilusão da Copa e das Olimpíadas no Brasil

O problema é que o país não tinha condições de sediar uma Copa do Mundo e muito menos uma olimpíada.

Percebemos isso observando que a maioria dos estádios não ficaram prontos dentro do prazo estipulado pela FIFA sendo entregues muito próximo do início do evento e mais ainda porque muitas obras que deveriam ter sido entregues antes da Copa dois anos depois ainda não foram concluídas. Essas obras incluíam reformas em aeroportos, melhorias do tráfego urbano e novos sistemas de transporte. A maior prova disso é o VLT de Cuiabá que até hoje ainda não saiu do papel e não tem data para ser entregue.

Para sediar a Copa os Estados precisaram realizar empréstimos junto ao Governo Federal para fazer estádios e as demais obras. Hoje os estados estão passando por dificuldades financeiras, não apenas por causa da crise que o país enfrente, mas sim por ocasião da Copa do Mundo que já terminou dois anos atrás. O pior de tudo é que nem ao menos ganhar a Copa nossa seleção conseguiu, mas deu o maior vexame da história da seleção brasileira.

Com as Olimpíadas é a mesma coisa. O Estado do Rio de Janeiro está gastando o dinheiro que não tem para concluir todas as obras e mesmo assim corre o risco de não conseguir terminar tudo a tempo. A saúde e a segurança no estado está um caos por falta de investimentos e mesmo assim rios de dinheiro precisam ser destinados para que as obras possam ser concluídas.

Muitos atletas desistiram de participar das Olimpíadas no Rio por medo de doenças como a Zika Vírus e outros estão preocupados com a poluição das águas onde serão realizadas as provas aquáticas.

O pior de tudo é saber que o Estado ficará endividado depois que as Olimpíadas terminarem e não existe comprovação que depois de tudo terminado estas obras serão destinadas para outros fins beneficiando a população que tanto precisa de infra-estrutura e áreas de lazer. Espero que não se tornem em prejuízo como alguns estádios que foram construídos para a Copa do Mundo e que hoje a renda obtida não é suficiente nem ao menos para bancar a manutenção, quem dirá para pagar o valor que foi gasto em sua construção.

A crise no Brasil é culpa do governo

A crise no Brasil é culpa do governo que utilizou meios errados para simular um falso crescimento

O Brasil passa por um momento delicado causado pela crise econômica e pela crise política que se instalou no país.

A crise no Brasil é culpa do Governo

O desemprego já superou a marca de 11 milhões de habitantes alcançando a maior marca dos últimos anos. Empresas fechando as portas e quedas nas vendas são o reflexo de uma política econômica deficitária do atual governo.  A queda nas vendas de veículos é um exemplo de como a crise está instalada no país, apenas nos primeiros quatro meses do ano a queda nas vendas está perto dos 30%.

O governo incentivou a compra de veículos novos com a redução do IPI, também aplicou a redução em alguns eletrodomésticos para incentivar o consumo. No entanto, veículo e geladeira não são itens de primeira necessidade que se troca todos os anos. Como resultado hoje grande parte da população está com a renda comprometida, para não dizer totalmente endividada com prestações que se estendem por anos.

Para iludir a população e manter sua popularidade em alta, o Governo Dilma evitou o reajuste da gasolina e de outros itens até o momento que pode. Mesmo sabendo que chegaria o momento em que os preços precisariam subir.

Como resultado de todos os erros do Governo, logo que assumiu seu segundo mandato Dilma fez tudo àquilo que prometeu não fazer durante o discurso de sua campanha para a reeleição. Como resultado tivemos no ano de 2015 a inflação ultrapassando a marca dos 10%.

O pior de tudo isso é ver o Governo querendo colocar toda a culpa na oposição. No entanto, quem está no poder a mais de 13 anos não é a oposição e sim o PT.

Se Dilma tivesse um pouco de humildade e assumisse todos os erros que cometeu em seu Governo talvez não seria tão duramente criticada, mas colocar a culpa nos outros realmente é mais fácil.

Veja também: Dicas para enfrentar a crise

Curta nossa página no Facebook

Dia do Trabalhador: muitos não têm o que comemorar

Mais um dia do trabalhador está se aproximando, porém este ano muitas pessoas não possuem motivos para comemorar.

Dia do Trabalhador: muitos não têm o que comemorar

Hoje existe no Brasil um número recorde de desempregados, os últimos números divulgados apontam 11,1 milhões de pessoas desempregadas.  A apenas um ano o número de desempregados era de 7,9 milhões de pessoas.

O governo Dilma ainda durante as eleições de 2014 pregava que a taxa de desemprego estava controlada no Brasil e que o candidato da oposição dizia mentiras quando falava que o país estava prestes a entrar em uma grande crise.

Como vimos a oposição estava certa sobre a crise que se instalou no Governo logo no início do segundo mandato de Dilma. Aumento crescente do desemprego, inflação atingindo o maior limite dos últimos anos, aumento da tarifa de energia elétrica, aumento dos combustíveis, ou seja, tudo o que o Governo dizia que não ia acontecer se tornou realidade. O governo se defendeu dizendo que teve que mudar o discurso devido ao momento enfrentado no país, mas será que realmente Dilma seria reeleita se falasse toda a verdade sobre a situação que o país atravessava ainda em 2014?

Hoje o Governo coloca toda a culpa na oposição, mas quem esteve no comando do país durante os últimos anos não foi a oposição. Não sei dizer se Dilma cometeu crime de responsabilidade, mas certamente mereceria perder o mandato apenas por ter mentido durante a sua campanha para a reeleição.

Não digo que Dilma é melhor ou pior do que Temer, mas o que realmente importa é aquilo que é melhor para o país. Quem se lembra do impeachment de Collor sabe muito bem disso. O país estava uma bagunça e após o vice-presidente Itamar Franco assumir a presidência o país começou a entrar nos eixos com a implantação do Plano Real no ano de 1994.

Sei que muitos defenderão até o fim a presidente, mas como disse anteriormente isso pouco importa, o que importa é que haja uma mudança urgente na maneira de governar este país, não importa o partido. É preciso fortalecer a economia do país e gerar novos empregos, só assim o trabalhador realmente vai ter o que comemorar no seu dia.

Curta nossa página no Facebook

Dicas para enfrentar a crise

Por mais que o Governo negasse durante a campanha que não existia crise no país, podemos observar claramente que isso não era a verdade. É fato que a crise se agravou neste ano, no entanto, se as medidas tomadas pela presidente para tentar evitar que a crise se agravasse fossem tomadas antes da eleição, a sua reeleição seria quase impossível.

Dicas para enfrentar a crise

Aumento da inflação, taxas altas de desemprego, alta do Dollar, energia cara, combustíveis cada vez mais caros, estes são apenas alguns dos reflexos da crise.

Vamos ver algumas dicas para enfrentar a crise.

Considere que você ainda não perdeu o emprego.

  • Substitua a carne de gado por frango ou carne de porco;
  • Substitua frutas, verduras e legumes que estão com preços altos por outros produtos sempre que for possível, em alguns casos isso não é possível como no caso do alho e da cebola;
  • Possui carro com motor flex, faça o cálculo do preço do álcool, se o preço do litro for de até 70% do preço da gasolina é mais vantajoso abastecer com álcool, caso contrário é melhor abastecer com gasolina mesmo esta custando mais caro, pois o rendimento do álcool é menor em relação a gasolina. Por exemplo, se a gasolina está sendo vendida a R$ 3,75,  só compensa abastecer com álcool se ele estiver sendo vendido abaixo de R$ 2,62.
  • Vai comprar algum produto de valor maior? Pague à vista sempre que possível, quando for parcelar as compras verifique se as parcelas somadas no final resultam no mesmo valor do produto à vista. Com a ilusão das parcelas pequenas você corre o risco de pagar duas vezes o valor do produto;
  • Vai comprar um carro novo? Espere pelas ofertas das montadoras, com os pátios cheios e quedas nas vendas as promoções devem acontecer com frequência. Compre com taxa zero de juros, ou utilize o valor da entrada para comprar um usado e fique livre das parcelas;
  • Está pagando um financiamento com juros altíssimos? Verifique a possibilidade de antecipar o pagamento das parcelas e reduzir o valor final dos juros, veja aqui uma explicação;
  • Mantenha seus gastos sob controle, faça uma planilha no próprio Excel e coloque todos os seus gastos fixos, ou seja, aqueles que ocorrem todos os meses, assim você já sabe o que já está comprometido, o restante deve ser guardado para eventuais gastos que não estão no orçamento, mas que geralmente ocorrem, remédios, manutenção do veículo, impostos, etc.

Estas são apenas algumas dicas para enfrentar a crise, certamente que existem muitas outras que você pode seguir.

Inflação e desemprego avançam no Brasil

O ano de 2015 começou com a inflação em alta, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo -IPCA de janeiro a junho já ultrapassa 6% e é quase o mesmo índice apurado para o ano inteiro de 2014. A tendência é que tenhamos neste ano de 2015 a maior inflação dos últimos 11 anos.

Inflação e desemprego

Inflação no Brasil

O aumento da gasolina, da energia, das bebidas, dos alimentos e até mesmo das loterias foram alguns dos responsáveis pela inflação em alta.

O discurso do Governo de que a inflação estava controlada está caindo por terra, assim como os níveis de desemprego no país.

Aliás, o desemprego está em alta, já ultrapassa a taxa de 8%. Isso representa aproximadamente 8 milhões de brasileiros desempregados. O comércio está em queda e a tendência é que o desemprego aumente mais ainda. Apenas a venda de veículos caiu mais de 20% nos seis primeiros meses de 2015, isso está obrigando as montadoras a reduzirem a produção e darem férias coletivas aos funcionários. Segundo a Fenabrave 250 concessionárias já fecharam as portas em 2015.

O Estado de Mato Grosso que é um dos maiores produtores de carne bovina do Brasil também enfrenta dificuldades, várias unidades frigoríficas já fecharam as portas em 2015 causando milhares de demissões no Estado.

O Governo cancelou vários investimentos no país para reduzir as despesas. Cortou investimentos do PAC. Minha Casa Minha Vida. Ministério das Cidades, Saúde e Educação.

Todos estes cortes ajudam o Governo a economizar, mas refletem negativamente na economia. Ou seja, o tiro pode sim sair pela culatra.

A situação da Saúde Pública e da Educação no Brasil não é das melhores e mesmo assim o Governo reduz investimentos. Por outro lado vemos rios de dinheiro sendo desviados através da corrupção que assola nosso país.

Dilma herdou uma herança maldita, ou seja, está colhendo os frutos dos erros que cometeu na gestão anterior.

Governo modifica seguro desemprego outra vez

A Medida Provisória que estava em vigor desde o dia 28 de fevereiro já não está mais valendo.

Governo modifica seguro desemprego

Seguro desemprego

A Lei 13.134 sancionada pela presidente dita as novas regras para o acesso ao seguro desemprego.

A presidente vetou alguns pontos da Medida Provisória 665 que dificultou o acesso ao seguro desemprego. A princípio seria necessário ter 18 meses de trabalho consecutivo para ter direito ao benefício. Com a aprovação da nova regra agora é preciso ter 12 meses de trabalho consecutivo para ter direito ao primeiro pedido.

Para o segundo pedido era necessário ter no mínimo 12 meses de trabalho, o novo texto aprovado diz que agora é preciso ter apenas 9 meses de trabalho consecutivo.

Para o terceiro pedido é necessário ter pelo menos 6 meses de trabalho.

Anteriormente a medida provisória eram necessários 6 meses para qualquer pedido.

Entre a vigência da Medida Provisória e a sua sanção pela presidente muita gente pode ter ficado sem o benefício por causa das regras vigentes. Agora que as regras foram alteradas novamente o Governo estuda formas de verificar as pessoas que tiveram o pedido negado a fim de não prejudicá-las.

Aqueles que fizeram o pedido durante este período devem ficar atentos, pois mesmo que remota ainda existe a possibilidade de conseguir o benefício. O Governo estuda pagar de forma retroativa aqueles que tiveram o benefício negado.

O ajuste no seguro desemprego faz parte do ajuste fiscal do Governo, apenas com estas mudanças o Governo pretende conseguir uma economia de aproximadamente 15 bilhões por ano.

A questão é a seguinte, o Governo vai fazer uma grande economia, por outro lado muitos desempregados vão ficar sem o auxílio e consequentemente sem estes 15 bilhões para gastarem com supermercado, roupas, transporte, etc.

O resultado disso pode não ser muito favorável para a economia brasileira que já está mal das pernas.

Além do seguro-desemprego outros ajustes em benefícios salariais podem ser aplicados pelo Governo, vamos aguardar para ver no que isso vai dar.

Older posts
Administração e Sucesso
Assign a menu in the Left Menu options.
Assign a menu in the Right Menu options.