Mais uma vez o governo deixou de reajustar a tabela de Imposto de Renda. Pelo quinto ano consecutivo não houve aumento, nem ao menos a correção pela inflação. A defasagem da tabela já ultrapassa os 100%.

declaração de ir 2019

O atual governo durante a campanha prometeu que iria reajustar a tabela, isentando milhões de brasileiros e reduzindo os valores de outra grande parte. Seria bom demais se isso fosse verdade, mas até agora não passou de promessa, coisa comum no mundo da política. “Prometo antes de ser eleito e depois não cumpro nada”. Assim quem ganha R$ 1.903,99 continua pagando o imposto.

A falta de correção na tabela faz com que os trabalhadores paguem cada vez mais impostos, reduzindo os seus salários de maneira drástica. A situação dos servidores públicos é ainda mais complicada. Eles têm o imposto retido diretamente na fonte, ou seja, são obrigados a pagar os valores mês a mês, descontados de seus salários. Para piorar ainda mais a situação, recentemente foi aprovado o aumento da alíquota previdenciária.

Com isso os servidores públicos serão obrigados a pagarem não mais os 11%, mas sim 14% todos os meses para supostamente terem direito a aposentadoria. Esse aumento foi aprovado na esfera federal, mas já começou a ser implantado pelos estados e os municípios também devem aderir.

Sempre com a velha desculpa de que o sistema previdenciário está defasado, que não há recursos suficientes para garantir aposentadorias no futuro. Qual a garantia de que as reformas vão garanti-las? Nenhuma.

Vemos que a situação está cada vez mais difícil para quem trabalha e paga seus impostos, enquanto deputados, senadores e demais, cada vez tem mais privilégios.

As reformas da previdência, trabalhista e administrativa do governo só tem um objetivo, reduzir despesas. A única maneira de reduzir despesas é gastando menos, quem vai pagar a conta é o trabalhador, não existe reforma que irá beneficiar os pobres, isso é uma grande ilusão.