Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Mês: agosto 2017

Internet, gastronomia e redes sociais: como consolidar a marca do seu restaurante

Não tem mais jeito: as redes sociais chegaram em um nível de presença na vida real, que hoje praticamente tudo gira ao redor dela. Das avaliações dos locais de lazer, trabalho e consumo, até nossas relações interpessoais: tudo está conectado. E isso inclui justamente a questão do consumo, da gastronomia e dos negócios que giram ao redor desse universo.

Hoje não dá mais para esperar os clientes baterem à porta! É preciso se mexer e buscar uma presença impactante e coesa nas redes sociais. O cliente está em busca, hoje, de facilidades, do mundo a um clique, dos sabores à mão! Então se o seu negócio, restaurante ou serviço não se adequar, com o passar do tempo você irá precisar correr atrás do prejuízo, literalmente.

Um site é um bom começo nesse quesito. Mas ele precisa ser totalmente funcional, responsivo e clean, e principalmente adequado às funções móbile, já que muitos dos clientes vão acessar pelo smartphone. A criação de sites é feita geralmente por uma empresa especializada, que irá aconselhar o cliente da melhor forma. As redes sociais devem caminhar de acordo! E feito isso, a imagem que começará a transparecer daquela marca deve ser mais interessante possível.

Delivery, menu online e funcionalidades

Vivemos numa época em que, quanto mais a internet nos ajudar, melhor. Por isso, o serviço de delivery deve vir atrelado a um sistema rápido, que responda as dúvidas do cliente e que seja adequado à proposta. O menu online, facilitado, preços e disposições do negócio são essenciais.

O cliente também quer se sentir prestigiado, então ele irá se valer das suas redes sociais para opinar, reclamar ou sugerir. E isso precisa ser totalmente bem visto nessas plataformas, ou então as críticas superarão os elogios.

O site da empresa deve provocar aquele cliente a consumir, a provar os sabores, não fazê-lo procurar a concorrência, com mais presença e discurso nas redes e na internet. Por isso, esses elementos são essenciais. Acredite: não há mais como fugir disso. Já abriu o site do seu restaurante hoje?

Post escrito por: Jacqueline Gonçalo

Para o administrador sempre há oportunidades no mercado’, diz professor de administração e gestão

É interessante se imaginar que, diante de tantos cursos que se posicionam como fortes graduações todos os dias em milhares de universidades pelo país, um curso continue sendo o mais procurado: o curso de administração. Tudo isso pode ser visto por um viés amplo que engloba mercado, mudanças do ensino, perspectiva salarial e muitos outros fatores. Se pensarmos no quão antigo esse curso é, a reflexão fica ainda mais intrigante. É o que explica o coordenador e professor de administração e gestão da ESAMC, Calixto Silva Neto.

Logo_Administração-pt

“Os primeiros cursos de administração nos Estados Unidos tiveram início em 1881, finalzinho do século 19. No Brasil o ensino de Administração teve início em 1952, portanto recente. Nos anos 1980 o mercado tornou-se altamente competitivo e globalizado. Essa competitividade exigiu das empresas uma performance melhor, principalmente no que diz respeito a custos e qualidade”, explica o especialista. Segundo ele, esse “boom” com que as empresas necessitassem de gente gabaritada. “Essa situação fez com que os recursos empresariais fossem melhor administrados, papel do administradores, advindo daí o sucesso na carreira”, elenca.

O coordenador explica ainda que, quem desejar estudar administração, enfrentará desafios que exigem muito dinamismo, já que o curso possui essa característica. “A área da administração é abrangente e, durante o curso, o aluno vai se identificando com determinada área do conhecimento administrativo, focando seu estudo e o Trabalho final nessa área, o que faz com que o alcance sucesso e ótimas colocações no mercado de trabalho ou como empreendedor”, enaltece.

Empregos e carreira

O que atrai milhares de pessoas ao curso, segundo o profissional, é que “para o administrador sempre há oportunidades”. “Nas crises, o papel do administrador é preponderante, uma vez que a necessidade de controle de qualidade e custos aumenta em função do mercado ofertante. O problema, atualmente, é que com a crise muitas empresas fecharam, saíram do mercado brasileiro ou diminuíram de tamanho, o que provocou uma oferta de profissionais maior que a demanda”, acrescenta.

Porém, ele deixa uma dica interessante, que tem tudo a ver com os caminhos da graduação. “Os melhores alunos são os que serão chamados primeiro. Para o recém-formado, é de muita importância o ‘trabalho final’, pois pode servir de portfólio”, indica. Segundo ele, atualmente a oferta de profissionais é maior que a procura, mas isso não deve assustar o futuro administrador.  Ele deve ter garra e buscar ir além. “as empresas têm uma grande oportunidade de escolha, para tanto, é necessário criar os diferenciais: formação em escola de boa reputação e reconhecida no mercado, ótimas notas ao longo do curso, ética e moral. Absolutamente nada de preconceitos. Honestidade, isso desde a entrevista”, acredita.

Post escrito por: Jacqueline Gonçalo

Terceirizar para comercializar: características da terceirização

Existem duas formas de terceirização em plena operação no Brasil. São elas: a terceirização de serviços e a de produtos. De modo geral, terceirizar algo significa delegar aquela produção a outra empresa, que irá atender com determinado serviço ou produto. A lei de terceirização do trabalho tem sido bastante questionada no Brasil, já que ela vem atrelada à reforma trabalhista proposta pelo governo Temer.

terceirização

Na terceirização do trabalho, os profissionais poderão trabalhar para qualquer empresa sendo contratados por meio de prestadoras de serviço especializadas.

O que muda principalmente na vida de um cidadão que trabalha terceirizado é que eles não têm exatamente os mesmos direitos que os funcionários da empresa que contrata a prestadora de serviço.

Porém, dentre os benefícios apontados pelos especialistas, está a abertura de espaço para o surgimento de mais empresas prestadoras de serviço especializado, ampliando a oferta de oportunidades profissionais.

Já a terceirização de produtos inclui buscar um produto “de fora” para abastecer sua empresa, e já vem sendo amplamente aplicada no Brasil. Essa prática é extremamente benéfica para alguns perfis de empresas.

Um exemplo é a terceirização de alimentos, que busca seus produtos em uma empresa especializada, causando alguns efeitos, como reduzir despesas e racionalizar atividades e processos e reduzir custos de mão-de-obra, pois os fornecedores externos de produtos alimentícios vão suprir a empresa com custos menores.

Nesse caso, a empresa contacta um fornecedor que se encarrega de estudar sobre aquele produto (alimentos, no caso), desenvolvê-lo, e passa a fornecê-lo de forma completa.

Post escrito por: Jacqueline Gonçalo

Administração e Sucesso