Consumo exagerado

Consumismo

O consumismo é hoje uma tendência nos países desenvolvidos e nos que estão em processo de desenvolvimento, como é o caso do Brasil.

Cada dia mais as pessoas compram coisas de que não precisam, ou trocam o velho pelo novo simplesmente por ser um produto considerado desatualizado. Sim, desatualizado, e não estragado. Ou seja, o produto está funcionando perfeitamente, mas já é considerado defasado pelo mercado, não está mais na moda. Então as pessoas se veem na obrigação de comprar um novo para não ficar fora de moda.

No Brasil como principal símbolo do consumismo temos os aparelhos celulares, já a algum tempo que no país temos mais aparelhos celulares em funcionamento do que número de habitantes. Para cada habitante existe mais do que um celular em funcionamento, ou seja, é como se todos tivessem celulares, inclusive os bebês, como isso não é verdade então é óbvio que muitas pessoas possuem dois ou até mesmo três celulares. Fato este que não é mais necessário já há muito tempo, pois hoje em dia existem celulares com dois, três chips, etc.

Se todos já tem celular então como continuar vendendo celulares no Brasil? A resposta é simples, como disse anteriormente, as pessoas já possuem celular, mas os lançamentos de novos aparelhos são tantos e com tantas modificações que elas acabam trocando de aparelho mesmo sem necessidade. Quem hoje em dia tem um aparelho de celular com cinco anos de uso?

Os aparelhos de celular são uma questão a parte. No caso dos automóveis é bem diferente. O Governo incentivou a produção e aumento das vendas de veículos novos no Brasil nos últimos anos. Ficou muito fácil comprar automóvel 0K. No entanto, grande parte destes automóveis foi comprado na base de financiamentos. Ou seja, quem comprou carro novo três anos atrás ainda está pagando o carro, após quitar o veículo a tendência é que ainda fique mais um período com ele até trocar de carro. Resumindo, carro não é igual a celular que se troca todo ano. Quanto mais pessoas tiverem carro, menor será o número de pessoas dispostas a comprar carro 0K. As vendas tendem a diminuir com o passar do tempo e a falta de estrutura para receber os veículos nas ruas deixa o trânsito cada vez mais caótico nas grandes cidades.

Outro setor que também recebeu muitos incentivos nos últimos anos foi o de habitação. O programa Minha Casa Minha Vida do Governo Federal construiu milhões de habitações em todo o território nacional. Existem várias faixas de financiamento, na maioria dos casos a pessoa financia a casa para pagar em 20 ou 30 anos. As construtoras ganham, empregos são gerados, reduz-se o déficit habitacional no país, mas quem comprou um imóvel não vai comprar outro. Além disso, vai ficar sem poder de compra por um bom período até que as prestações não representem mais uma fatia grande do orçamento.

A mesma coisa acontece com as TVs, durante a Copa do Mundo as vendas bateram recorde, mas quem comprou TV vai ficar alguns anos sem trocá-la, muitos ainda estão pagando a TV, quando a renda está comprometida com alguma coisa, outros setores vão sentir isso com a queda das vendas, afinal, o bolso do consumidor é um só.

O consumismo é insustentável, todos podem ter celular, mas jamais todos poderão ter automóvel. Uma sociedade baseada no consumismo tende a se deteriorar com o passar do tempo.

Sharing is caring!

(Visited 1.059 times, 1 visits today)