O Governo de Mato Grosso pretende privatizar a MT 320 e MT 208 no trecho que vai do entroncamento da BR 163 em Nova Santa Helena, passando pelos municípios de Colíder, Nova Canaã do Norte, Carlinda e terminando em Alta Floresta. Audiências públicas estão sendo realizadas nas cidades para mostrar o projeto e esclarecer dúvidas da população. Seriam instaladas 3 praças de pedágio no trecho de apenas 190 KM.

O problema é que este trecho de asfalto encontra-se em obras, o prazo inicial previa o término das obras em 1 ano, ou seja, em maio deste ano. Porém menos da metade do trecho está pronto. Aliás, o trecho que esta pronto ainda não possui sinalização horizontal e vertical, em alguns lugares já é possível ver buracos surgindo na pista, o material utilizado não apresenta boa qualidade. O serviço de restauração está sendo feito com a remoção do asfalto antigo e colocação de um novo asfalto, porém a técnica utilizada é o TSD, Tratamento Superficial Duplo, o próprio nome já é sugestivo de má qualidade. Por que não utilizam o asfalto usinado a quente? Por que possui mais qualidade?

Moradores da região esperam angustiados a anos pela restauração da rodovia, é um buraco atrás do outro, tanto que é preciso refazer todo o asfalto. Agora que a obra está saindo querem cobrar pedágio? O pior de tudo isto é que o Governo pegou emprestado recursos do BNDES e do Banco do Brasil para realizar a obra. Como assim, vai usar o dinheiro de empréstimo para arrumar o asfalto e depois concedê-lo a iniciativa privada. A alegação do Governo é de que não existe recurso suficiente para manutenção das rodovias, porém o Governo possui a anos um Fundo exclusivo para arrecadar dinheiro para a manutenção de rodovias. Este é o FETHAB, Fundo Estadual de Transporte e Habitação que é a contribuição destinada a financiar o planejamento, a execução, o acompanhamento e avaliação de obras e serviços de transportes e habitação em todo o território mato-grossense.

Ocorre que nos últimos anos a finalidade do FETHAB foi alterada, o Governo utilizou recursos que deveriam ser para obras de transporte e habitação para fazer obras da Copa. Assim não resta dúvida que não tem dinheiro.

O Governo utilizou recursos do FETHAB para obras da Copa do Mundo, agora precisou pegar dinheiro emprestado do BNDES e do Banco do Brasil para fazer asfalto e depois de pronto quer conceder a iniciativa privada. Parece brincadeira sem graça, mas infelizmente não é.