Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Mês: fevereiro 2013

O Uso do Celular no Ambiente de Trabalho e em Locais Proibidos

Celular no serviço

Celular

É certo que os telefones celulares estão presentes em todos os lugares e encontrar alguém que não possui um é uma tarefa bem difícil, pois no Brasil o número de linhas em operação é maior do que o número de habitantes. Estando em todos os lugares com as pessoas é preciso ter cuidado para não fazer feio ao utilizá-lo. Não é proibido ir a uma missa ou outro tipo de celebração religiosa portando um celular, pois o celular se tornou indispensável na atualidade, eu não vou utilizar o aparelho durante a celebração, mas após pode ser que eu precise utilizá-lo. Aliás, ninguém vai perceber que estou com ele, a menos que ele venha a tocar durante a celebração e eu tenha me esquecido de colocá-lo no silencioso. O vexame vai ser grande, todos vão olhar para mim.

No ambiente de trabalho é igual, existem ambientes que não condizem com os toques de celular. Já imaginou durante uma reunião, de repente uma música começa a tocar, pois existem alguns toques que são discretos, mas tem gente que coloca música de igreja, de time de futebol, funk, sons de bichos, etc. Outro local proibido são as bibliotecas, não apenas o som irá atrapalhar os estudantes, mas também é proibido atendê-lo no ambiente.

Se você frequenta muitos lugares que não convém utilizar toques, a melhor coisa mesmo é deixar sempre no modo vibratório ou silencioso. Durante a minha graduação nunca ocorreu de alguém escutar o toque do meu celular em quatro anos, porém tinha gente que não se importava em interromper o professor ou tirar a atenção de quem estava estudando.

Outra coisa inconveniente é ficar atendendo ligações sem importância durante o horário de expediente. Pode ser que seu chefe não goste muito desta ideia, aliás, existem locais onde simplesmente é proibido atender o celular durante o trabalho, já imaginou uma operadora de caixa pedindo para você esperar um pouco até que ela atenda o celular.

Tecnologia é bom, mas precisamos saber utilizá-la corretamente. Principalmente se puder causar vexame ou a perda de nosso emprego.

Leia também: Dicas para melhorar nossos relacionamentos no ambiente de trabalho

Curso de Direito na Unemat de Alta Floresta-MT

É o que está sendo divulgado na mídia nos útlimos dias, o curso já estava sendo esperado desde o ano passado, quando foram anunciados 9 novos cursos na UNEMAT, no entanto, os cursos de Direito nos Campis de Alta Floresta, Barra do Bugres e Pontes e Lacerda não tinham sido implantados ainda pois se aguardava o aval da OAB Federal.

Com a implantação do curso de Direito na Unemat em Alta Floresta-MT, os moradores da cidade e região passam a ter mais uma opção de curso gratuito, pois apesar do Campus da Unemat já estar instalado no município desde o ano de 1992, apenas 3 cursos são oferecidos, Agronomia, Ciências Biológicas e Engenharia Florestal. Em 2013 o campus passa a oferecer também uma turma especial de jornalismo com turma única que terá início  ainda em fevereiro de 2013. Com a implantação do curso de Direito, serão 4 cursos regulares e mais o curso de Jornalismo.

Aqueles que aguardavam ansiosamente por esta notícia já podem se preparar para o vestibular que deve ocorrer no meio do ano, ao que tudo indica desta vez o curso será implantado com certeza.

É Possível Viver com Um Salário Mínimo?

Esses dias vi alguém pesquisando isto no Google. Vamos analisar se é possível. É possível, mas vai depender da situação, se você é solteiro e mora sozinho, dá para se virar com esta quantia. No entanto, se você é casado e tem filhos, aí a situação é bem mais complicada.  

Viver com um salário mínimo

Salário Mínimo

Ganhando apenas um salário mínimo e tendo que sustentar mulher e filhos, a possibilidade de possuir casa própria um dia, é bem improvável.

Ou você vai morar de favor, ou vai entrar na fila das casas populares para tentar ganhar uma casa. Pagar aluguel com apenas um salário mínimo é o mesmo que tirar a comida da boca das crianças. Aliás, uma cesta básica custa aproximadamente R$ 300,00. Vamos supor que seja suficiente para sustentar uma família com um casal e dois filhos, coisa que eu duvido muito.




Pois existem coisas necessárias que estão fora da cesta básica e por sinal custam caro, como a carne, as frutas, verduras e outras coisas importantes para a nutrição das pessoas.  Eu não acredito que menos de R$ 400,00 seja suficiente para uma família comer durante um mês. Isso sem comer carne periodicamente. Além disso, uma família tem que pagar água, energia, gás, transporte, vestuário, e o pão de cada dia que está pela hora da morte. Um quilo de pão francês custando R$ 8,00 reais. Se comprar apenas meio quilo por dia já irá gastar R$ 120,00 mensais com pão.

Essas pessoas além de se alimentarem mal, têm que torcer muito para não ficar doentes. Aliás, tem que morar em uma região onde existe atendimento integral pelo SUS, pois como alguém ganhando apenas um salário mínimo vai pagar uma consulta de R$ 100,00, ou pagar por um tratamento dentário.

Esses dias eu mandei trocar um pneu da bicicleta do meu filho, pois o mesmo tinha estourado. Quando o moço falou que custava R$ 30,00 levei um susto. Nem bicicleta pobre pode ter mais?

Qual tipo de lazer que uma família dessas vai ter? Talvez assistir TV se sobrar dinheiro para comprar uma.

Fico indignado quando ouço nossos governantes dizerem que o salário mínimo aumentou bastante, e que milhões saíram da pobreza. Concordo, mas ainda continua sendo uma vergonha o valor do salário mínimo. Principalmente se levarmos em conta a nossa Constituição Federal, que diz que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as necessidades de alimentação, vestuário, moradia, transporte, saúde, educação e lazer. E também os números do DIEESE, que diz que para suprir todas estas necessidades o salário mínimo deveria ser acima de R$ 2.000,00.

Leia também: O Salário Mínimo e a Dignidade da Pessoa Humana




Um País sem Estradas

O Brasil segue batendo recordes em produção agrícola, no entanto, a situação logística ainda é a principal preocupação dos produtores brasileiros. O Estado de Mato Grosso, maior produtor de grãos enfrenta dificuldades para escoar a produção.

A principal rota de escoamento da produção encarece o frete, estradas ruins, combustível caro são os principais fatores. A falta de investimentos em logística é um problema gravíssimo e que persiste  à décadas.

Grandes obras de infraestrutura foram realizadas até os anos 80, um exemplo disso é a BR 163, em poucos anos a rodovia teve sua ligação concluída de Cuiabá à Santa Helena, porém, mais de 30 anos depois a extensão da obra que deveria ligar Cuiabá à Santarém no Pará ainda não foi concluída.  Várias previsões foram feitas, mas a conclusão da obra ainda é um sonho para os produtores matogrossenses que podem reduzir o custo do frete levando a produção até o porto no Pará.

A BR 163 é apenas um exemplo da morosidade dos investimentos em logística no Brasil. Porém, o país não apenas deixou de investir em estradas para escoar a produção, mas deixou de investir em formas alternativas de transporte. A solução para escoar a safra seria o transporte através de ferrovias. No entanto, o déficit de ferrovias no Brasil é imenso, existem projetos para ambos modelos, construção de rodovias e de ferrovias. Mas o investimento necessário é altíssimo, e a previsão de conclusão das obras também é longa. O Governo está buscando alternativas para recuperar o tempo perdido, mas esta buscando a parceria com a iniciativa privada para colocar isto em ação. Milhares de quilômetros de rodovias devem ser entregues para serem administrados pela iniciativa privada, e em troca disso será cobrado pedágio.

É um mal necessário, os motoristas reclamam, mas se as estradas forem conservadas adequadamente é uma boa. Pois o que adianta andar de graça pelas estradas, mas o asfalto ter mais buracos do que uma peneira. Aliás, de graça não é, todos pagam impostos, mas se o Governo não é competente para manter conservadas as rodovias, é melhor que privatize tudo mesmo.

Nível Superior: qual curso escolher?

Nível superior

Esta é a dúvida de muitos jovens ao terminarem o ensino médio, é claro que muitos já sabem muito bem o que querem, alguns se espelham nos pais e querem ter a mesma profissão e outros conseguem se identificar com a profissão antes mesmo de começar a estudar. Para aqueles que não sabem o que fazer, a melhor sugestão é buscar informações sobre o curso pretendido. Quais serão as disciplinas estudadas e qual será a área de atuação depois de formado. Isso para não ter surpresas durante os estudos e acabar abandonando por não gostar da profissão.

Muitos ficam indecisos e acabam prestando vestibular para os cursos com maior procura, engenharia, direito, administração, etc. Outros escolhem o curso por falta de opções, nos dois casos é preciso ter consciência de que a partir do momento que entramos na faculdade precisamos ter interesse pelas disciplinas mesmo que sejam chatas, ou certamente não conseguiremos alcançar a média para aprovação. Mesmo que façamos um curso apenas por fazer, mas conseguimos chegar ao final, devemos honrar a profissão. É verdade que muitos abandonam logo no início, e outros acabam gostando e vão até o final.

Seja como for, quem conclui um curso de graduação precisa passar por todas as etapas necessárias, disciplinas gerais, específicas, estágio, monografia, etc. Já é difícil para quem sabe que está fazendo o curso certo, imagine passar 4 ou 5 anos estudando e no final descobrir que aquilo não era nada daquilo que você queria.

É tempo e dinheiro perdido, com tanta informação disponível na internet não há motivos para ter dúvidas sobre o curso.

Gasolina Teve Aumento no Preço: que novidade!

Aumento da gasolina

O preço da gasolina aumentou mais uma vez, aliás, o aumento de preços não é novidade para os brasileiros. Novo seria se tivessem anunciado uma redução nos preços da gasolina. Mas o que mais me irrita assistindo o noticiário é quando dizem que já existem lugares onde a gasolina é vendida acima dos R$ 3,00. Então eu me pergunto, será que eu não moro no Brasil, pois em minha cidade a gasolina já é vendida acima de R$ 3,00 faz tantos anos que nem me recordo quanto tempo faz. Já paguei R$ 3,38 uns dois anos atrás. Atualmente está sendo vendida em média por R$ 3,28.

Pior que além de pagar caro pela gasolina, ela raramente pode ser substituída pelo álcool, pois na maioria das vezes o preço não compensa, o álcool custa menos sempre. No entanto, para ser vantajoso o valor do litro não deve ser superior a 70% do preço da gasolina. Se a gasolina custa R$ 3,00 e o álcool R$ 2,10 tanto faz abastecer com um ou com outro combustível, pois o álcool queima mais rápido. Dificilmente um veículo faz a mesma quilometragem por litro utilizando álcool ao invés de gasolina.

A única vantagem real dos veículos bicombustíveis é a certeza de não sofrer com a falta de combustível, pois se faltar álcool por causa da entressafra, ainda tem a opção de abastecer com gasolina.

É ilusão acreditar em combustível com preço mais baixo, se o álcool fosse mais vantajoso que a gasolina, todos abasteceriam com álcool, pois praticamente todos os veículos vendidos atualmente são bicombustíveis. Então, a gasolina teria queda nas vendas e o álcool não seria suficiente para abastecer o mercado. Consequentemente todos teriam que voltar a utilizar gasolina mesmo que o preço fosse absurdo.

Pior que além de pagar caro ainda tem que ficar de olho para não comprar gasolina adulterada.

Unemat Pode ter Mais Dois Campi: tudo depende de aumento do orçamento

Apesar de sair na mídia que a Uninova seria incorporada pela Unemat já no início de 2013, a proposta ainda não havia passado pelo CONSUNI, onde deveria ser aprovada. No entanto, agora o Conselho Universitário da Unemat aprovou não só a incorporação da Uninova, mas também da Uned de Diamantino. Mas para que isto se torne realidade será preciso que sejam garantidos recursos financeiros e a convocação de aprovados em concurso público e ainda a realização de concurso público para professores. Abaixo a notícia na integra:

O Conselho Universitário  (Consuni) da Universidade do Estado de Mato Grosso aprovou a criação de dois novos campi nos municípios de Nova Mutum e Diamantino. A aprovação foi condicionada a implantação dos mesmos com a aprovação de emenda constitucional que está em tramitação na Assembléia Legislativa que garante um percentual que varia de 2.1 a 2.5 percentuais da receita corrente líquida do Estado a partir de 2013 até 2017.

A aprovação com a ressalva da incorporação das instituições de ensino superior Uninova (de Mutum) e Uned (Diamantino) foi por unanimidade dos conselheiros.  Com a aprovação a Unemat passaria a oferecer 56 cursos de graduação presenciais em 13 campi, sendo três em Nova Mutum (Administração, Ciências Contábeis e Agronomia) e quatro em Diamantino (Direito, Administração, Enfermagem e Educação Física).

O reitor da Unemat, professor Adriano Silva, destacou que a Unemat está sempre disposta a discutir a expansão da oferta do Ensino Superior Público em Mato Grosso, e que entende legítimo a reivindicação dos municípios pela presença da instituição, mas lembra que o projeto de expansão passa por entraves financeiros e orçamentários. “Temos que garantir a qualidade do ensino, pesquisa e extensão prestados pela Unemat, e não temos como atender todas as reivindicações sem um orçamento que faça frente as nossas despesas de custeio, manutenção e investimentos”, afirmou.

Segundo ele, o posicionamento dos conselheiros em vincular a expansão e a abertura de novos campi e cursos ao aumento da receita da instituição demonstra o comprometimento do corpo docente, técnico administrativo e dos gestores com a qualidade dos serviços prestados a população, ao mesmo tempo que mostra o interesse e comprometimento com a consolidação do Estado de Mato Grosso.  “A vinculação orçamentária da Unemat a receita do Estado vai garantir tranqüilidade no planejamento e execução das ações,garantindo a autonomia da universidade, o que é uma conquista história para a instituição”, diz.

Além da condicionante orçamentária, os conselheiros ainda colocaram como ressalva a implantação dos novos campi e cursos a autorização para a realização de concursos públicos e a posse dos aprovados em concursos para atender a demanda da instituição.

A implantação dos novos campi vai depender agora da aprovação e publicação da emenda constitucional requerida pelo Conselho Universitário que está em discussão na Assembléia Legislativa.

Fonte: http://www.novoportal.unemat.br/

Copa do Mundo é Prioridade, Vidas de Pessoas Não

Todos os anos é a mesma história, começam as chuvas de verão e as enchentes e deslizamentos de terra matam e deixam desabrigados milhares de pessoas no Brasil. O problema está aí, todo ano praticamente é a mesma coisa, e nada ou praticamente nada é feito para evitar que novas tragédias aconteçam. Como principal exemplo, temos a tragédia na região serrana do Rio de Janeiro, as cidades de Teresópolis e Nova Friburgo no Rio de Janeiro foram devastadas por deslizamentos de terra. Anos se passaram e as famílias desabrigadas ainda não receberam as moradias prometidas pelo poder público. Além disso, pouco foi feito para evitar que novas tragédias ocorram, várias desculpas e pouco de concreto foi feito. Verbas foram liberadas, mas pouco foi investido, a demora nos processos de licitação e os desvios de verbas deixam na mão as pessoas que precisam de ajuda urgente, principalmente porque ainda vivem em áreas de risco por não ter aonde ir.

Vi esses dias o exemplo da cidade de Londres na Inglaterra que já sofreu com inundações. O Governo simplesmente investiu bilhões na construção de um sistema contra inundações e desde então nunca mais ocorreram inundações, e olha que já se passaram décadas.

No Brasil é diferente, investem-se bilhões na construção de estádios, mas para salvar vidas não existe dinheiro, ou são investidas migalhas. As obras dos estádios também sofrem atrasos, mas a cobrança é tão grande que logo o problema é resolvido, pois os estádios têm prazo para serem entregues, para não prejudicar a realização da Copa no Brasil. Se os estádios não ficarem prontos a Copa não pode ser realizada um mês ou um ano depois. No entanto, as obras para socorrer os desabrigados no Brasil também tem prazo, a diferença é que nunca são respeitados.

Administração e Sucesso