Em 2003 surgiram os veículos com motor bicombustível, com certeza grande parte dos brasileiros comemoraram a possibilidade de possuir um veículo com duas opções de combustível, afinal o álcool sempre custou menos do que a gasolina. Passados 8 anos da novidade, atualmente a maioria dos veículos produzidos saem de fábrica com motor bicombustível, Flex, Total Flex, Power Flex, são diversos os nomes, porém todos tem a mesma função de permitir ao proprietário do veículo a escolha do combustível que ele prefere abastecer.

Mas quais são as vantagens e desvantagens que os veículos bicombustíveis apresentam para o consumidor.

Vantagens: a principal vantagem do veículo bicombustível é que o consumidor não corre o risco com a falta de um dos dois combustíveis, se faltar álcool é só encher o tanque com gasolina e vice versa. Antigamente quem tinha veículo movido apenas a álcool enfrentou o problema do desabastecimento e não tinha outra opção para abastecer. Outra vantagem é que o consumidor pode optar por aquele combustível que está mais barato.

Desvantagens: a principal desvantagem do veículo bicombustível é que a eficiência do motor diminui, apesar de existir a opção de dois combustíveis, obviamente que a mistura dos combustíveis no tanque prejudica o desempenho do motor, o correto seria utilizar apenas um combustível. Outra desvantagem é que com o aumento do consumo de álcool, a oferta do produto diminuiu consideravelmente e na maioria das vezes não é vantajoso abastecer com álcool.

O governo fez muita propaganda do álcool, mas esqueceu de fazer o planejamento, a produção brasileira de álcool não acompanhou o crescimento do consumo, o Governo foi obrigado a reduzir a mistura de álcool na gasolina e foi obrigado a importar álcool para abastecer o mercado brasileiro. Como consequência da redução de álcool na gasolina, e aumento do consumo de gasolina ocasionado pelo alto preço do álcool, o Governo também foi obrigado a importar gasolina para abastecer o mercado brasileiro.

Portanto faltou planejamento, o Governo fez enorme propaganda sobre a auto-suficiência de petróleo alcançada pelo Brasil em 2006 e sobre a descoberta do Pré-sal, porém até agora o consumidor não vê reflexos disso, continua pagando preços absurdos pelo combustível e o Governo tendo que importar combustível para evitar o desabastecimento do mercado brasileiro.