Redução da CIDE

O governo mais uma vez reduziu a CIDE, que  é um tributo que incide na importação e comercialização da gasolina. O valor cobrado era de 0,23 centavos por litro de gasolina, agora será de 0,19 centavos por litro, no entanto segundo o governo, o preço final para o consumidor não terá alterações.

Além da redução da CIDE, haverá também redução da mistura de etanol na gasolina, a partir de 1º de outubro o percentual de etanol na gasolina cairá de 25% para 20%, essa medida deve-se ao fato da produção do etanol não ser suficiente para abastecer o mercado, correndo-se risco de desabastecimento de etanol.

O governo alega que terá perda de arrecadação de 50 milhões de reais em 2011, com a redução da CIDE, porém a perda deve ser compensado com aumento do consumo da gasolina.

O aumento do consumo de gasolina obriga a Petrobrás a importar o produto para atender o mercado, pois a sua capacidade está no limite, ou seja, o consumo é maior do que a capacidade produtiva. Portanto, existe falta de planejamento, a produção de etanol também não é suficiente para atender a demanda. A única vantagem dos carros bi-combustíveis é nessa ocasião, se houver falta de um combustível, abastece-sse com o outro.

O contribuinte não tem escolha, tem que pagar o preço que está na bomba, quando existe alta do Dólar, aumento internacional do petróleo, crise econômica, falta de produto, o aumento dos preços é empurrado para cima dos cidadãos, porém quando o barril de petróleo tem seu preço reduzido, quando o Dolár está em queda, ninguém vê falar em redução do preço dos combustíveis.

Sharing is caring!

(Visited 30 times, 1 visits today)