Administração e Sucesso

Assuntos sobre administração, economia, política, atualidades, educação, dicas para Word, Excel e muito mais

Mês: janeiro 2011

Empréstimos e Financiamentos

As empresas geralmente são financiadas por recursos próprios (Capital Social) ou por recursos de terceiros (Empréstimos, Financiamentos). Quem investe na empresa tem a expectativa de ter um retorno, mas isso não é garantido para todos os investidores, pois se a empresa não tiver lucro nem os proprietários, nem os acionistas terão o retorno que pretendiam.

Por outro lado existe outro tipo de financiamento da empresa que é obrigatória a sua quitação, os empréstimos e financiamentos adquiridos pela empresa devem ser aplicados a fim de que o seu retorno seja maior que o seu custo. Para sabermos se o retorno foi satisfatório devemos calcular o Custo do Capital de Terceiros (KI). Para encontrarmos o Custo do Capital de Terceiros, dividimos as Despesas Financeiras Líquidas pelo Passivo Oneroso, supondo que o Resultado foi 7 %, nesse caso o Retorno sobre o Investimento da Empresa (ROI) deve ter sido superior a 7 %, caso contrário a captação de recursos de terceiros não foi um bom negócio.

Isso é uma questão lógica, não apenas para as empresas, mas também para nós mesmos. Quando vamos pegar algum dinheiro de terceiros devemos fazer com que o retorno seja maior que o seu custo, se pegamos dinheiro emprestado de um banco para comprar um veículo para ser utilizado no trabalho estamos fazendo um bom negócio, mas se esse carro ficar parado na garagem e for utilizado apenas nos fins de semana, talvez isso possa ser um prejuízo, pois a sua utilização não está trazendo o retorno satisfatório, nesse caso um carro usado poderia ser a solução.

A empresa precisa de recursos para o seu funcionamento, portanto precisa obter lucros que possam cobrir as despesas e ainda manter a capacidade de investimentos quando for necessário.

Teoria X e Y

Douglas McGregor foi o criador da Teoria X e Y, as suas teorias se contrapõem uma com a outra.

A Teoria X diz que as pessoas são preguiçosas, indolentes, que não gostam de trabalhar. Segundo a Teoria X as pessoas evitam o trabalho, não querem assumir responsabilidades e além disso precisam ser controladas e dirigidas, para que possam realizar as tarefas.

A Teoria Y diz que as pessoas são esforçadas e além disso gostam de ter o que fazer. Segundo a Teoria Y o trabalho é uma atividade tão natural quanto brincar ou descansar, as pessoas procuram e aceitam responsabilidades e desafios, as pessoas podem ser auto-motivadas e auto-dirigidas.

Uma Teoria é totalmente o oposto da outra, antes de sua morte McGregor estava elaborando a teoria Z que sintetizava as duas teorias anteriores.

Teoria dos Dois Fatores de Hersberg

      A Teoria dos Dois Fatores de Hersberg diz que a motivação depende de dois fatores: os higiênicos e os motivacionais.

      Os fatores higiênicos ou insatisfacientes se referem as condições em que as pessoas trabalham, entre elas as condições físicas e ambientais de trabalho, o salário, os benefícios sociais, as políticas da empresa, o tipo de supervisão recebido.

     Hersberg supõe que as más condições físicas e ambientais de trabalho causam insatisfação, um ambiente mal iluminado ou muito quente, ou um espaço inadequado, ainda o salário precisa satisfazer as necessidades do trabalhador, muitas vezes o salário não é suficiente, mas os benefícios sociais que a empresa oferece suprem essa deficiência. A política da empresa também pode deixar os funcionários insatisfeitos, assim como o tipo de supervisão recebido, o supervisor precisa conhecer bem as características de cada funcionário.

      Os fatores motivacionais ou satisfacientes referen-se ao conteúdo do cargo, às tarefas e aos deveres relacionados ao conteúdo do cargo em si. Produzem efeito duradouro de satisfação e de aumento de produtividade em níveis acima dos normais. A motivação acontece quando o trabalhador está satisfeito com aquilo que está fazendo.

Administração e Sucesso