Você gostaria de pagar mais caro ao usar o cartão de crédito?

pagar mais caro com cartão

Cartão de Crédito

Isso mesmo, pagar mais caro simplesmente por pagar a conta no cartão de crédito. Atualmente é proibido usar preços diferenciados para diferentes formas de pagamento. Isso é o que diz a Resolução 34/1989 que ainda está em vigor. Porém o Senado Federal já aprovou uma alteração que permite aos comerciantes a cobrança de preços diferenciados. Agora a alteração também precisa passar pela Câmara dos Deputados.

Mas o que mudaria com isso?

Hoje quando fazemos uma compra e parcelamos no cartão de crédito o preço deve ser o mesmo que pagaríamos caso a compra fosse paga a vista. O projeto prevê que os pagamentos à vista tenham desconto em relação ao pagamento realizado com cartão de crédito. Se você compra a vista é um preço e se paga no cartão é outro. Teoricamente seria vantajoso para o consumidor que poderia pagar menos pelo produto ou serviço adquirido. No entanto, muitas pessoas utilizam o cartão de crédito para praticamente tudo. Desde um lanche na padaria até um compra pequena no supermercado. Se o preço no cartão for mais caro, obviamente que muitas pessoas deixarão de realizar estas pequenas compras no cartão. Nas compras maiores o consumidor será obrigado a utilizar o cartão de crédito e pagar mais caro.

Se a alteração for apenas para o cartão de crédito já trará transtornos para o consumidor, mas se incluir as compras no cartão de débito aí então os consumidores terão que reaprender a utilizar o cartão. Os comerciantes pagam taxas para manter as máquinas de cartão em suas lojas e querem repassar este valor ao consumidor. Na minha opinião isto não é correto, pois os comércios que possuem máquinas de cartão levam vantagem em relação aos que não possuem, hoje em dia é comum ter um cartão de crédito ou de débito na carteira, o fato de não aceitar cartões pode ocasionar a não concretização da venda.

Outro fato que pode ser ocasionado se a alteração incluir os cartões de débito é o fato do consumidor se ver obrigado a andar com a carteira cheia de dinheiro como era antigamente. Obviamente que seria um retrocesso, hoje em dia praticamente tudo pode ser pago com a utilização de cartões. Eu mesmo sou um consumidor que raramente vou ao banco retirar dinheiro vivo, simplesmente porque não preciso.

Mesmo utilizando apenas cartões a violência já é grande, vemos frequentemente as famosas saidinhas de banco, neste caso são poucas pessoas que saem com dinheiro, mas se a alteração for aprovada isso poderá mudar e facilitar ainda mais a vida dos criminosos.

Torço para que isso não seja aprovado, como disse anteriormente seria um retrocesso.

Enade 2014 será realizado em 23 de Novembro

Exame Nacional de Desempenho de Estudantes

Enade 2014

Estudantes de nível superior devem fazer a prova do Enade que será realizada no dia 23 de novembro de 2014.

A Portaria Normativa nº 08/2014, definiu que o Enade 2014 destina-se às seguintes áreas: os acadêmicos que

  • conferem diploma de bacharel em Arquitetura e Urbanismo; Sistema de Informação; Engenharia Civil; Engenharia Elétrica; Engenharia de Computação; Engenharia de Controle e Automação; Engenharia Mecânica; Engenharia Química; Engenharia de Alimentos; Engenharia de Produção; Engenharia Ambiental; Engenharia Florestal; e Engenharia.
  • conferem diploma de bacharel ou licenciatura em Ciência da Computação; Ciências Biológicas; Ciências Sociais; Filosofia; Física; Geografia; História; Letras-Português; Matemática; e Química.
  • conferem diploma de licenciatura em Artes Visuais; Educação Física; Letras-Português e Espanhol; Letras-Português e Inglês; Música; e Pedagogia.
  • conferem diploma de tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas; Automação Industrial; Gestão da Produção Industrial; e Redes de Computadores.

O Enade é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação, conforme determina a Lei do SINAES (nº. 10.861/2004). De acordo com a legislação, devem ser inscritos no Exame estudantes de todos os cursos de graduação, durante o primeiro (ingressantes) e último (concluintes) ano do curso. É importante destacar que no histórico escolar do estudante fica registrada a situação de regularidade em relação a essa obrigação. Ou seja, ficará atestada sua efetiva participação ou, quando for o caso, a dispensa oficial pelo Ministério da Educação, na forma estabelecida em regulamento.

A participação no Exame será atestada por meio da assinatura do estudante na Lista de Presença de sala e no cartão de respostas às questões objetivas da prova. É importante destacar que a Lista de Presença de sala será disponibilizada aos estudantes somente após (uma) hora do início de realização da prova. O não cumprimento das formalidades de identificação e registro de presença do estudante no Exame durante este período mínimo determina situação de irregularidade junto ao Enade 2014.

Os acadêmicos devem ficar atentos e conferir se estão na lista de inscritos ao Enade para não correrem o risco de perder a prova.

De 21/10/2014 a 23/11/2014 será o período para resposta eletrônica ao Questionário do Estudante e consulta ao local de prova.

Mais informações no Manual do Enade 2014

Fonte: http://portal.inep.gov.br/enade

Frota de veículos no Brasil dobrou em 10 anos

Veículos

Frota de veículos

A frota de automóveis no Brasil mais que dobrou nos últimos 10 anos, já a frota de motocicletas mais que quadruplicou neste mesmo período. Só automóveis já são mais de 40 milhões, motocicletas já são quase 20 milhões segundo dados do DENATRAN.

Se olharmos apenas o lado econômico, isso foi muito bom para o crescimento do comércio de veículos e mostra que o poder aquisitivo do brasileiro melhorou muito na última década. Principalmente com a facilidade em conseguir financiamentos para compra de veículos e incentivos do Governo com a redução de IPI.

Porém, quando olhamos para os congestionamentos nas grandes cidades, claramente percebemos que as cidades não se prepararam para esse aumento da frota. Dez anos atrás os congestionamentos eram notícia constante nos jornais e hoje não é diferente. As cidades não possuem infraestrutura para tanto carro e a péssima qualidade do transporte público obriga cada vez mais as pessoas a comprarem um veículo próprio aumentando cada vez mais o problema. Ou seja, o correto seria investir em transporte público de qualidade e em ciclovias.

A deficiência do transporte público ou até mesmo a sua inexistência pode explicar o fenômeno do crescimento do número de motocicletas no país. Quando analisamos a frota de veículos em algumas cidades percebemos que elas possuem uma frota compatível com a média nacional. Ou seja, mais automóveis do que motos. Ao verificarmos os dados de Curitiba Capital do Paraná, conhecida pela eficiência no transporte público, temos os seguintes dados. Aproximadamente 1 milhão de automóveis e pouco mais de 150 mil motocicletas ou motonetas. Agora observando uma pequena cidade que também tem transporte público que funciona, a cidade de União da Vitória-PR com pouco mais de 50 mil habitantes, tem pouco mais de 17 mil automóveis e pouco mais de 6 mil motocicletas e motonetas. Curitiba tem apenas 15% de motos se comparado aos automóveis e União da Vitória tem pouco mais de 35% de motos se comparado aos automóveis. (IBGE, 2013)

Agora comparamos uma cidade onde o transporte público é ineficiente. Alta Floresta-MT com aproximadamente 50 mil habitantes em maio de 2014 tinha 8.703 automóveis e mais de 20.000 entre motocicletas e motonetas. Até o ano de 2000 quando a cidade ainda tinha transporte coletivo que funcionava razoavelmente, a frota de automóveis era maior do que a de motocicletas. Hoje as motos já são mais que o dobro dos veículos.

Isso é o que acontece com praticamente todas as cidades onde não existe transporte público de qualidade. Existem mais motocicletas do que automóveis. Se o número de automóveis já impressiona, o número de motos é pior ainda. Um veículo leva até 5 passageiros, enquanto a motocicleta legalmente só pode levar duas pessoas. Uma coisa é certa, só com transporte público de qualidade e construção de ciclovias nas cidades é que o problema do congestionamento pode ser solucionado. Porém o que vemos é cada vez menos gente andando de bicicleta, principalmente pelo perigo de disputar espaço em meio aos veículos.

Você é viciado em redes sociais?

Vício em redes sociais

Redes sociais

Nós seres humanos temos vícios de todos os tipos e se tratando de redes sociais não seria diferente. Algumas pessoas não conseguem se controlar e sem perceber ficam viciadas em redes sociais também.

Isso pode prejudicar tanto a vida social e amorosa, quanto ao seu desempenho no trabalho pode ser pior ainda.

Mas como saber se você é um viciado em redes sociais, vamos ver alguns pontos que podem dizer se você é um deles. Como parâmetro vamos utilizar o Facebook que é a maior rede social da atualidade.

  • Ao ligar seu computador, tablet, notebook ou celular, a primeira coisa que você faz é acessar o Facebook para ver se tem alguma novidade;
  • Quando está trabalhando ou fazendo alguma coisa no computador fica o tempo todo logado no Facebook para ver as novidades;
  • Curte, comenta, ou compartilha tudo o que vê pela frente;
  • Não consegue ficar muito tempo sem acessar o Facebook;
  • Ficar nervoso quando por algum motivo não pode acessar a rede social;
  • Evita ir para lugares onde não é possível ter acesso a internet;
  • Mesmo quando tem visita ou simplesmente está conversando com alguém não consegue parar de olhar para o celular que está em sua mão e conectado;
  • Fica preocupado porque o tempo está passando e ainda não publicou nada hoje.

Essas são apenas algumas atitudes de pessoas viciadas. No trabalho algumas empresas costumam proibir o acesso ou limitar por algum tempo o acesso as redes sociais, no entanto, para pessoas que sabem os limites não precisa nada disso. Apenas para os viciados mesmo.

Quer bem feito, faça você mesmo: isso não pode ser uma regra na empresa

Delegar funções

Muitas vezes ouvimos as pessoas reclamando de algo que pediram para outras pessoas fazerem e se arrependeram depois de verem os resultados. Existe um ditado popular que diz o seguinte: se você quer que algo fique bem feito, então faça você mesmo.

Infelizmente nem sempre podemos fazer nós mesmos, quando vamos reformar nossa casa, por exemplo, precisamos contratar pessoas capacitadas para isso. O resultado pode não ficar como o esperado, mas mesmo que você tenha conhecimentos nem sempre poderá fazer tudo sozinho, a menos que você entenda de tudo e tenha disposição e tempo disponível para fazer a obra. Existem coisas mais simples como podar a grama, lavar o carro, trocar uma tomada, muitas vezes é melhor fazer você mesmo, porém, a maioria das pessoas que possuem recursos financeiros preferem pagar por qualquer tipo de serviço. A sugestão é escolher pessoas confiáveis, principalmente aquelas indicadas por empresas, ou empresas especializadas, assim você tem menos risco de ficar insatisfeito com o serviço e poderá reclamar caso não fique satisfeito.

A frase faça você mesmo também não se encaixa na empresa. Precisamos confiar em outras pessoas para realizarem os serviços, pois simplesmente não conseguimos fazer tudo sozinho. O correto é passar todas as informações necessárias para a realização das tarefas a serem executadas, assim o risco de erro diminui. Também é preciso ficar aberto a solução de dúvidas, se você é daqueles que fala uma vez e pronto, certamente seu subordinado ficará com medo de perguntar mais de uma vez sobre o mesmo assunto. É claro que ficar repetindo 500 vezes a mesma coisa também não é correto, porém, em um mesmo processo de trabalho podem aparecer eventuais diferenças, ou seja, as dúvidas sempre surgem.

Existem coisas que só competem a nós mesmos e não devemos delegá-las aos outros, mas a maioria das coisas precisamos de ajuda e a única solução é confiar nas outras pessoas.

Que tipo de chefe você é?

Chefe

Tipo de chefe

Existem três tipos denominados como Autocrata, Democrata e Liberal.

Autocrata:  é aquele tipo de chefe que decide tudo sozinho. Ele dá as ordens e seus subordinados devem cumpri-las. Os membros da equipe não tem qualquer tipo de influência nas decisões, assim como não podem escolher o método de trabalho, nem qual o melhor companheiro para auxiliar na execução das tarefas.

Democrata: é aquele tipo de chefe que toma decisões juntamente com o grupo de trabalho e assim incentiva o surgimento de ideias e os próprios membros podem fazer a divisão de tarefas e escolher quais as melhores pessoas para desenvolver cada tarefa. Assim todos podem expor aquilo que pensam e consequentemente se reduz a insatisfação no trabalho, pois na medida do possível cada um está fazendo aquilo que tem mais afinidade.

Liberal: é aquele tipo de chefe que deixa todas as decisões serem tomadas pelo grupo, ou seja, sua participação é quase inexistente. O chefe apenas fornece informações quando perguntado a respeito.

E você, em qual destes três tipos se encaixa?

 

Dicas básicas para quem quer administrar um negócio

como administrar um negócio

Dicas básicas de como administrar um negócio

Administrar um negócio de sucesso não é de longe uma tarefa fácil, exige preparo, planejamento, investimento, liderança e diversos outros fatores dignos de um bom chefe. Administrar um negócio vai muito além do que aprendemos em teoria na sala de aula, aqui precisamos tomar decisões que irão afetar diretamente o nosso negócio, seja para o bem ou mal.
É certo dizer que para certas coisas apenas aprendemos verdadeiramente com a pratica e administrar um negócio é uma delas. Como foi mencionado anteriormente, administrar qualquer tipo de negócio exige o preenchimento de certos fatores de quem o administra, como planejamento, preparo, segurança em tomar decisões, firmeza, liderança, investimento e, principalmente, não ter medo de errar e continuar tentando, mesmo com o aparecimento
inevitável de problemas.
A administração de restaurante, por exemplo, vai muito além do que apenas montar os pratos e servir a clientela, o encarregado deve estar ciente de montar um planejamento e controle de tudo que será colocado em prática, deve ser bom com tudo que entra e sai, sabendo exatamente o que deve ser controlado. Ter uma planilha financeira, com os gastos e lucros fixos e variáveis do restaurante, oferecer um treinamento para toda a equipe de cozinha, a criação de um cardápio, controle de desperdícios e rendimentos, organização das mesas, local, cozinha e estoque, tudo faz parte da administração de um restaurante.

administracao-e-negocios

planejamento

A ideia básica de administrar um negócio pode ser resumida em algumas dicas, depois disso, depende apenas de você conseguir ou não colocá-las em prática da melhor maneira possível:

      • Comece com um planejamento estratégico, são essas estratégias que serão a base para você conseguir alcançar os objetivos do negócio.
      • Promova melhorias contínuas, isto é, procure sempre uma oportunidade para inovar e melhorar seus produtos, serviços, métodos e processos, mostre ao seu público que sua empresa/negócio é capaz de manter um bom crescimento.
      • Organize informações, pois elas são necessárias para a execução das atividades.
      • Um olho no negócio, outro na concorrência, sem deixar que o seu negócio esfrie, mantenha-se sempre atento e bem informado sobre seus concorrentes, tantos os antigos quanto os que estão para surgir.

Promovendo qualidade de vida é algo sempre bem visto e aceito por todo tipo de público, garantindo ainda o bem-estar e a satisfação dos colaboradores.

Com a base do seu negócio bem planejada e firme, é possível crescer no mercado sem restrições, tomando sempre cuidado com imprevistos.

Escrito por: Bruno Silva  da Agencia St

Eu gosto de pagar imposto de renda

pagar imposto de renda

Imposto de renda

Quem leu o título vai dizer que sou trouxa, retardado, um verdadeiro idiota. Podem pensar o que quiserem. Pagar imposto de renda sempre foi o meu sonho de consumo. Vocês continuam pensando que eu só posso estar de brincadeira.

Pois bem, esta é a verdade. Eu sempre sonhei com o dia que poderia pagar imposto de renda. Quando eu ouvia as pessoas reclamando em ter que pagar o imposto de renda ficava até revoltado.

A explicação é muito simples. Quem não paga imposto de renda atualmente no Brasil são aquelas pessoas que recebem no máximo até R$ 1.787,77. Portanto, se você não quer pagar imposto de renda a solução é ter um salário abaixo desse valor. Um salário que está muito abaixo até mesmo do que é considerado como salário mínimo ideal para satisfazer as necessidades do trabalhador como diz a nossa Constituição Federal de acordo com dados do DIEESE.

A partir do valor de R$ 1.787,77 quanto maior for o salário maior será a incidência do imposto de renda. Se quanto mais eu ganho mais imposto eu pago, então está tudo bem. Isso significa que estou progredindo e nada mais justo do que pagar imposto por isso. Quanto à aplicação dos impostos pelo Governo aí já é outra história. Aqui estou falando sobre aqueles que reclamam de pagar imposto de renda. Quem não quer pagar que continue trabalhando por miséria e está tudo resolvido.

Concurso Nacional Novos Poetas. Prêmio CNNP 2014

Concurso Nacional Novos Poetas

Concurso Nacional Novos Poetas

Estarão abertas as inscrições para o Concurso Nacional Novos Poetas, Prêmio CNNP 2014.

Podem participar do concurso, todos os brasileiros natos, ou naturalizados, maiores de 16 anos.

Cada candidato pode inscrever-se com até dois poemas de sua autoria, com texto em língua portuguesa.

O tema é livre, assim como o gênero lírico escolhido. Serão 250 poemas classificados.

A classificação das poesias resultará no livro, Prêmio CNNP 2014. Antologia Poética.

Concurso Literário e uma importante iniciativa de produção e distribuição cultural,

alcançando o grande público, escolas e faculdades.

Inscrições gratuitas de 01 de agosto a 05 de setembro de 2014, pelo site: www.cnnp.com.br

Realização: Vivara Editora Nacional

Apoio Cultural: Revista Universidade

Privatização de indústrias brasileiras: foi bom ou ruim?

empresas e setores privatizados no Brasil

Privatização no Brasil

As privatizações realizadas pelos Governos brasileiros nas últimas décadas foram muito criticadas, diziam que o Governo estava entregando seu patrimônio para a iniciativa privada praticamente de graça, e isso traria prejuízos para o Brasil. Mas será que as privatizações foram mesmo um mau negócio? Vamos analisar as principais empresas e setores privatizados no Brasil.

  • Vale do Rio Doce

Hoje se chama simplesmente Vale, a empresa criada pelo Governo Getúlio Vargas foi privatizada na década de 90 pelo Governo Fernando Henrique Cardoso. A privatização recebeu muitas críticas, porém, após a privatização a Vale incorporou outras mineradoras e hoje é uma das maiores mineradoras do mundo e conseqüentemente uma das maiores empresas do mundo. Por mais que os problemas internos fossem resolvidos e a privatização não se concretizasse, dificilmente a empresa teria alcançado este porte e os lucros que tem atualmente.

  • Embraer

A empresa criada na década de 40 e que estava à beira da falência foi privatizada no início dos anos 90, hoje oscila entre terceira e quarta maior indústria aeronáutica do mundo. Portanto, dispensa comentários, de empresa quase falida está hoje entre as maiores do mundo.

  • Telefonia

A Telebrás foi privatizada na década de 90, na época em muitas localidades do país não existia serviço de telefonia e nem ao menos previsão de quando iria existir. Mesmo em regiões onde existia o serviço era preciso esperar até mais de um ano na fila e ainda pagar mais de mil reais por uma linha telefônica.

Atualmente basta querer para ter uma linha telefônica, tanto fixa como móvel. No Brasil existem mais celulares em operação do que o número de habitantes, nos lugares mais remotos existe o serviço de telefonia de no mínimo uma operadora. O setor de telefonia é campeão de reclamações por parte dos usuários, porém, é inegável o avanço nos serviços após a privatização do setor.

  • Energia

O setor de energia elétrica não foi totalmente privatizado, porém, o Brasil possui uma das tarifas elétricas mais caras do mundo. Portanto, pelo menos para o pequeno consumidor esse é um mau negócio e dispensa comentários.

  • Rodovias

Muitas rodovias brasileiras já foram concedidas à iniciativa privada e outras serão concedidas. O Governo mostra que não tem capacidade para manter as rodovias federais e estaduais em condições de trafegabilidade. A cobrança de pedágio é muito criticada principalmente por aqueles que utilizam as rodovias frequentemente, porém, é visível a qualidade das rodovias privatizadas quando comparadas com as que ainda estão sob a responsabilidade do Governo ou do Estado.